Exportar registro bibliográfico

LER - uma trajetória de dor e sofrimento: estudos com bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: MELO, DEBORA COUTO DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RMS
  • Subjects: LESÕES POR ESFORÇO REPETITIVO; TRABALHADOR URBANO
  • Language: Português
  • Abstract: O setor financeiro foi um dos primeiros setores da economia brasileira a adotar a automação e a informatizar-se. O processo de automação nos bancos brasileiros, em curso desde o final da década de 1960, intensificou-se no final dos anos de 1980 e produziu profundas mudanças no processo de trabalho bancário, com a adoção de novas tecnologias, com a intensificação do ritmo de trabalho, diversificação das tarefas, adoção de novas formas de gestão da mão-de-obra, dentre outras. Todas essas mudanças geraram graves repercussões nas condições de trabalho e na saúde. As Lesões por Esforços Repetitivos (LER) é considerada emblemática desta situação, por ser aquela que desnuda a intensificação da exploração da força de trabalho bancário que marca essa época. Tomando como referencial tal quadro de mudanças, esta pesquisa teve por objetivo investigar quais foram as repercussões da LER na vida dos trabalhadores bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença. Os dados obtidos através da entrevista guiada por um roteiro semi-estruturado foram analisados a partir de dois temas: as exigências do trabalho contribuindo para o desenvolvimento ou remissão da lesão e; como os trabalhadores percebiam e enfrentavam os sintomas e incapacidades geradas pela lesão. Foram entrevistados quatro homens e seis mulheres, com idades entre 41 e 49 anos e que trabalhavam no sistema bancário há, no mínimo 17 anos, tendo desenvolvido LER entre o final da década de 1980 até meados dadécada seguinte. Todos os entrevistados referiram apresentar sintomas que os incapacitavam para algumas de suas tarefas bancárias, e em decorrência disso, já ocuparam diversos cargos, apresentando-se limitados em agilidade, força e destreza manual para contar, escrever ou digitar. A dor foi um dos sintomas mais incapacitantes para as tarefas do trabalho e do cotidiano das pessoas, limitando-as em seu descanso, atividades de auto-cuidado, lazer ou .. cuidados com casa. Mediante o processo de privatização pelo qual o banco passava, os entrevistados referiram maior suscetibilidade a serem desligados em decorrência da lesão, desnudando a desvantagem que a mesma causa para o mercado de trabalho. Os tratamentos realizados na rede privada de assistência à saúde representaram uma forma de alcançar alívio parcial da dor e manutenção da capacidade para o trabalho, embora não se privilegiasse a atenção aos trabalhadores conforme as necessidades de a doença decorrente do trabalho. A atenção oferecida pelo INSS revelou a utilização deste como regulador dos benefícios concedidos pelo governo à população, estando, distante de atender as necessidades de promoção de ações
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.04.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MELO, Débora Couto de; NAVARRO, Vera Lúcia. LER - uma trajetória de dor e sofrimento: estudos com bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença. 2003.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2003.
    • APA

      Melo, D. C. de, & Navarro, V. L. (2003). LER - uma trajetória de dor e sofrimento: estudos com bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Melo DC de, Navarro VL. LER - uma trajetória de dor e sofrimento: estudos com bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença. 2003 ;
    • Vancouver

      Melo DC de, Navarro VL. LER - uma trajetória de dor e sofrimento: estudos com bancários de Ribeirão Preto/SP acometidos pela doença. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020