Exportar registro bibliográfico

Estudos anatômicos e filogenéticos na tribo Cereeae, Cactaceae (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SOFFIATTI, PATRICIA - IB
  • Unidades: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: CACTUS; FILOGENIA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho apresenta o estudo anatômico de três gêneros pertencentes à tribo Cereeae Salm-Dyk, Arrojadoa Brittton & Rose, Stephanocereus A. Berger e Brasilicereus Backeberg, e a filogenia moelcular e combiana da tribo Cereeae, com o objetivo principal trazer informações que possibilitem entender a relação entre estes gêneros, e confirmar se Brasilicereus faz parte de Cereeae. A anatomia geral do caule das espécies, inclui o estudo dos tecidos de revestimento, fundamental e vascular, e o estudo detalhado do xilema secundário das espécies. As espécies apresentam hábito colunar, com exceção de uma espécies de Arrojadoa, A. bahiensis, que é globosa, e são endêmicas aos campos rupestres e cerrados associados ao longo da Serra do Espinahço, em Minas Gerais, e na Chapada Diamantina, na Bahia. A tibo Cereeae é composta por dez gêneros, mas a sua circunscrição é controversa, sendo a posição de alguns gêneros, como Brasilicereus e Uebelmmania ainda incerta no grupo. Como caracteres anatômicos de valor diagnóstico, cita-se o tipo de hipoderme, a ocorrência de esclereídes no córtex e as células lignificadas do súber. Quanto ao xilema secundário, principalmente os caracteres quantitativos permitem as separação ds espécies, mas alguns qualitativos, como o parênquima não lignificado e o tipo de parênquima axial podem ser utilizados. A filogenia molecular da tribo foi reconstruída a partir dos dados moleculares isolados, através do sequenciamento do rp116 de DNAde cloroplasto, e conjugando-se os resultados do estudo anatômico aos dados morfológicos obtidos da literatura. Todos os caracteres qualitativos anatômicos foram considerados. A análise molecular permitiu evidenciar vários paralelismos entre os caracteres anatômicos e os morfológicos usualmente utilizados na definição de grupos na tribo. A análise demonstra que tribo Cereeae, seguindo a circunscrição atual, não forma um caldo monofilético, e deve ser ampliada. (continua) Arrojadoa e Stephanocereus também não formam grupos monofiléticos, e Brasilicereus surge como um grupo basal, juntamente com outros gêneros considerados basais na tribo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.04.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOFFIATTI, Patricia; ANGYALOSSY, Verônica. Estudos anatômicos e filogenéticos na tribo Cereeae, Cactaceae. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Soffiatti, P., & Angyalossy, V. (2003). Estudos anatômicos e filogenéticos na tribo Cereeae, Cactaceae. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Soffiatti P, Angyalossy V. Estudos anatômicos e filogenéticos na tribo Cereeae, Cactaceae. 2003 ;
    • Vancouver

      Soffiatti P, Angyalossy V. Estudos anatômicos e filogenéticos na tribo Cereeae, Cactaceae. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020