Exportar registro bibliográfico

Aspectos analíticos e mecanísticos do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: DRAGUNSKI, JOSIANE CAETANO - IQSC
  • Unidade: IQSC
  • Subjects: QUÍMICA ANALÍTICA; ELETROQUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho envolve o estudo do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina, bem como o desenvolvimento de uma metodologia utilizando-se a voltametria de onda quadrada (SWV) para sua determinação em água pura e em formulações comerciais. Os estudos eletroquímicos foram realizados utilizando o elétrodo de Hg e as técnicas de voltametria cíclica, SWV, coulometria e a cromatografia liquida de alta eficiência (HPLC). Inicialmente foram otimizados os diferentes parâmetros relativos aos estudos voltametricos. As medidas de SWV foram executadas em meio de 'Na IND.2'S'O IND.4' 0,1 mol 'L POT.-1' em pH = 2, com uma freqüência de 100 's POT.-1', uma amplitude de pulso ('DELTA''E IND.p') de 50 mV e um incremento de varredura ('DELTA''E IND.s') de 2 mV. Os resultados mostraram que a redução da atrazina envolve dois elétrons e ocorre de forma totalmente irreversível e controlado pela difusão das espécies, exibindo um pico de redução em -0,95 V vs Ag/AgCI com uma das espécies reagente e/ou produto adsorvidas na superficie do eletrodo. Foram obtidas curvas analíticas para atrazina utilizando-se a SWV, no intervalo de concentração de 1,0-10,0x'10 POT.-6' mol 'L POT.-1', resultando em um Limite de Detecção (LD) de 9,4x'10 POT.-9' mol. 'L POT.-1' (2,0 'MU'g 'L POT.-1') e um Limite de Quantificação (LQ) de 3,1x'10 POT.-8' mol 'L POT.-1' (6,7 'MU'g 'L POT.-1'). Os valores de LD e LQ obtidos por HPLC foram de 8,1x'10 POT.-9' mol 'L POT.-1' (1,75 'MU' 'L POT.-1') e 2,7x'10 POT.-8'mol 'L POT.-1' (5,8 'MU' g'L POT.-1'), respectivamente. Testes de recuperação foram realizados usando ambas as técnicas para atrazina em pura água e em formulação comercial mostrando eficiências de recuperação 98,0 e 95,0% por SWV, enquanto para HPLC os valores foram do 100,0 e 96,0%, respectivamente. ) Eletrólises a potenciais controlados foram realizadas em diferentes potenciais com a finalidade de elucidar o mecanismo de redução da atrazina sobre o eletrodo de Hg. Experimentos de Coulometria, foram feitos a -0,90, -0,95 e -1,10 V vs Ag/AgCI em 'Na IND.2'S'O IND.4' 0,1 mol 'L POT.-1' em pH = 2,0 e monitorados por medidas de HPLC. Os estágios iniciais das eletrólises envolvem 2 elétrons e 1 íon 'Cl POT.-' livre por molécula de atrazina, mas com o avanço do processo, o número total de elétrons muda para 4. Cálculos teóricos mostraram que o produto decIorado, formado inicialmente pode ser reduzido na mesma faixa de potencial que o composto principal, conduzindo assim, a uma redução completa da molécula. Um mecanismo é proposto envolvendo a redução inicial da ligação C-CI seguida pela ruptura do grupo nucleofugico etilamina. Estudos preliminares de NMR estão de acordo com o mecanismo proposto
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.04.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DRAGUNSKI, Josiane Caetano; AVACA, Luís Alberto. Aspectos analíticos e mecanísticos do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina. 2003.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2003.
    • APA

      Dragunski, J. C., & Avaca, L. A. (2003). Aspectos analíticos e mecanísticos do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Dragunski JC, Avaca LA. Aspectos analíticos e mecanísticos do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina. 2003 ;
    • Vancouver

      Dragunski JC, Avaca LA. Aspectos analíticos e mecanísticos do comportamento eletroquímico do herbicida atrazina. 2003 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020