Exportar registro bibliográfico

Ambientes para educação infantil: um quebra-cabeça? Contribuição metodológica na avaliação pós-ocupação de edificações e na elaboração de diretrizes para projetos arquitetônicos na área (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: ELALI, GLEICE VIRGINIA MEDEIROS DE AZAMBUJA - FAU
  • Unidade: FAU
  • Sigla do Departamento: AUT
  • Subjects: AVALIAÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO; ESCOLAS; AMBIENTE ESCOLAR
  • Language: Português
  • Abstract: Na época na qual meio ambiente e qualidade de vida são temas em evidência, parte do controle sobre as práticas sócio-ambientais exige regulamentação e fiscalização das iniciativas (públicas e privadas) em áreas que abrangem da medicina à construção civil, passando por alimentação, hábitos individuais, energia, etc. Nesse contexto é necessária especial atenção com a infância, pois a criança representa o próprio futuro/continuidade da sociedade. Assim, sendo a escola um dos principais locais de vivência infantil, a preocupação com sua qualidade ambiental precisa ser redobrada, sobretudo em se tratando de instituições que lidam com menores de 7 anos. No Brasil, a Constituição de 1988 reconheceu a educação infantil como direito da criança entre 0 e 6 anos, tomando-a uma obrigação do Estado delegada ao âmbito municipal, e exigindo que os municípios criem instrumentos de controle adequados. Isso gerou a oportunidade de olhar-se criticamente cada realidade a fim de delimitar-se propostas social e ambientalista coerentes, tarefa na qual essa tese opta por utilizar a APO. Partindo de um roteiro básico de pesquisa, foram visitadas 41 pré-escolas em Natal-RN e vistoriadas 16. Em 5 destas o trabalho foi aprofundando, envolvendo multi-métodos: entrevistas, análise de behavior settings, observação de comportamento, mapeamento comportamental simplificado, questionários (adultos) e elaboração de desenho-temático (crianças). Os resultados obtidos proporcionaram uma análiseacurada do ambiente dessas instituições sob o ponto de vista técnico e a partir da percepção dos usuários. Os dados serviram de base à discussão sobre os espaços educativos para aquela faixa etária, e subsidiaram a indicação de algumas diretrizes visando a futura criação de normas que fiscalizem os empreendimentos em Natal-RN e orientem a elaboração de propostas arquitetônicas adequadas às necessidades da população local
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.09.2002
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ELALI, Gleice Virginia Medeiros de Azambuja; ORNSTEIN, Sheila Walbe. Ambientes para educação infantil: um quebra-cabeça? Contribuição metodológica na avaliação pós-ocupação de edificações e na elaboração de diretrizes para projetos arquitetônicos na área. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16131/tde-10032010-141853/ >.
    • APA

      Elali, G. V. M. de A., & Ornstein, S. W. (2002). Ambientes para educação infantil: um quebra-cabeça? Contribuição metodológica na avaliação pós-ocupação de edificações e na elaboração de diretrizes para projetos arquitetônicos na área. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16131/tde-10032010-141853/
    • NLM

      Elali GVM de A, Ornstein SW. Ambientes para educação infantil: um quebra-cabeça? Contribuição metodológica na avaliação pós-ocupação de edificações e na elaboração de diretrizes para projetos arquitetônicos na área [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16131/tde-10032010-141853/
    • Vancouver

      Elali GVM de A, Ornstein SW. Ambientes para educação infantil: um quebra-cabeça? Contribuição metodológica na avaliação pós-ocupação de edificações e na elaboração de diretrizes para projetos arquitetônicos na área [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16131/tde-10032010-141853/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021