Exportar registro bibliográfico

Estimativas da diversidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em quatro remanescentes de florestas ombrófila densa e uma restinga no estado de São Paulo, Brasil (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: TAVARES, ANTONIO ALVES - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: ENTOMOLOGIA; BIOLOGIA ANIMAL; FORMICIDAE
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho é parte do projeto Riqueza e Diversidade de Hymenoptera e lsoptera ao longo de um gradiente latitudinal na Mata Atlântica, que é parte do programa BIOTA/FAPESP. Objetiva produzir inventários comparáveis de lsoptera e grupos selecionados de Hymenoptera ao longo da Mata Atlântica, investigando a sua divisão biogeográfica e a variação dos padrões de diversidade com a latitude. O objetivo desta tese foi o inventário da fauna de formigas em 4 localidades das 26 estudadas no projeto maior. Medidas de diversidade foram avaliadas e a riqueza de espécies estimada nas áreas. Os efeitos de diferentes habitats, altitude e latitude na diversidade de espécies foram discutidos, tentando responder se alguns padrões do gradiente da Mata Atlântica podem ser detectados em uma menor escala. Duas áreas em altitudes relativamente altas (Parque Estadual Intervales e Núcleo Cunha do Parque Estadual da Serra do Mar) e duas baixas (Núcleo Cubatão, Parque Estadual da Serra do Mar e Estação Ecológica Juréia-ltatins) foram amostradas no Estado de São Paulo. Na estação Ecológica Juréia-ltatins uma área de mata de restinga também foi investigada. Em cada uma das 5 áreas foram peneiradas 50 amostras de 1 m2 de serapilheira, obtidas ao longo de um transecto pré-existente, sempre longe da borda da mata no mínimo 500 m, submetidas a extratores Winkler para extrair a fauna de formigas. Foram coletadas 7 subfamílias, 43 gêneros e 170 espécies, 158 espécies : foram encontradas nasáreas típicas de mata e 58 na mata de restinga. Myrmicinae foi a família que apresentou a maior riqueza, com 104 espécies, seguida por Ponerinae (50 species), Formicinae (10), Ecitoninae (3), Dolichoderinae (2), Cerapachyinae e Pseudomyrmecinae, com 1 espécie cada. O gênero Pheidole foi o de maior riqueza, com 23 espécies, seguido por Hypoponera (21 espécies) e Solenopsis (15). Cerca de 35 % de todas as espécies pertencem a estes gêneros. Shannon- ) Wiener (H') e o número de Hill N1 foram os índices de diversidade de espécies mais úteis para comparar a significância da heterogeneidade entre diferentes áreas. O estimador da riqueza de espécies Chao 2 foi o mais útil para estimar a riqueza de espécies nas áreas. O decréscimo da latitude nas áreas correspondeu à uma elevação da riqueza de espécies observada e estimada, que era o padrão esperado para o gradiente de riqueza de espécies na Mata Atlântica. As áreas baixas mostraram resultados diferentes das altas que podem ser atribuídos à escala latitudinal muito pequena. Uma menor riqueza de espécies nas áreas altas foi estimada por Chao 2. A distância entre as áreas não se correlacionou significativamente com a dissimilaridade da fauna. Foi encontrada uma forte diferenciação entre a composição faunística das áreas altas e baixas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.12.2002

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAVARES, Antonio Alves; BRANDÃO, Carlos Roberto Ferreira. Estimativas da diversidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em quatro remanescentes de florestas ombrófila densa e uma restinga no estado de São Paulo, Brasil. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Tavares, A. A., & Brandão, C. R. F. (2002). Estimativas da diversidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em quatro remanescentes de florestas ombrófila densa e uma restinga no estado de São Paulo, Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Tavares AA, Brandão CRF. Estimativas da diversidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em quatro remanescentes de florestas ombrófila densa e uma restinga no estado de São Paulo, Brasil. 2002 ;
    • Vancouver

      Tavares AA, Brandão CRF. Estimativas da diversidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em quatro remanescentes de florestas ombrófila densa e uma restinga no estado de São Paulo, Brasil. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021