Exportar registro bibliográfico

Freqüência de coronavírus e rinovírus como causa de infecções respiratórias agudas em crianças (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: MACEDO, IZOLETE SANTOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Assunto: IMUNOLOGIA MÉDICA
  • Language: Português
  • Abstract: Coronavírus humanos (HCoV) e rinovírus (HRV) são importantes causas de infecções respiratórias agudas (IRA) no mundo. A maioria das infecções causadas por estes agentes são resfriados comuns, mas complicações como sinusite, otite média e ataques de asma são freqüentes. Há poucos estudos sobre o impacto de HCoV e HRV no Brasil. Nós desenvolvemos um ensaio baseado em RT-PCR e hibridização para HcoV e temos usado este ensaio juntamente com um ensaio de RT -PCR previamente descrito para avaliar as freqüências de HCoV e HRV em crianças com ARI. Estes ensaios foram testados em quatro grupos clínicos diferentes no Brasil: 1- crianças menores de 2 anos de idade seguidas prospectivamente em creche para crianças carentes em Salvador, Bahia; 2- crianças menores de 12 anos de idade que procuraram cuidados médicos na unidade de emergência (UE) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, com chiado; 3- crianças menores de 5 anos de idade com AIDS e IRA baixa admitidas na enfermaria da pediatria do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP e 4- crianças menores de 12 meses de idade admitidas em centro de terapia intensiva (UTI) por IRA baixa em hospital da comunidade (Hospital Santa Lydia) em Ribeirão Preto. Nós encontramos 73/286 (25,5%) lavados nasais (LN) positivos para HRV e 18/286 (6,3%) para HCoV nas crianças da creche em Salvador, Bahia; 26/118 (22%) LN positivos para HRV e 3/118 (2,5%) para HCoV em crianças comchiado atendidas na UE; 16/73 (22%) LN positivas para HRV e nenhuma para HCoV em crianças com AIDS e IRA baixa; 5/31 (16%) LN positivos para HRV e nenhuma para HCoV em crianças na UTI com IRA baixa. Interessantemente, não há diferença estatisticamente significante na detecção das freqüências de HRV entre crianças com chiado e controles sem sintomas de IRA, das quais 9/46 (19%) foram positivas para HRV. HRV foi um freqüente agente de IRA em crianças ) em diversos grupos clínicos no Brasil, principalmente entre as crianças da creche da cidade litorânea tropical onde as condições ambientais são mais propícias à transmissão. Diferentemente de estudos feitos no hemisfério norte, nós não encontramos associação significante de rinovírus com chiado. Consideravelmente, 19% de 46 crianças vistas na UE por outros motivos que não IRA tiveram HRV detectável seus LN. Apesar de detectado com freqüência baixa em geral, HCoV tende a ser mais freqüente nas crianças da creche. Entretanto, HCoV não foi encontrado em nenhuma criança com IRA baixa, com ou sem AIDS. Até onde sabemos, esta é a primeira vez que um estudo sobre freqüência de dois dos mais importantes agentes de resfriado comum baseado em RT -PCR foi conduzido no Brasil e a primeira vez que HCoV foi detectado em nosso país. Os dados sugerem que HRV e HCoV não são significantemente associados com chiado e que a freqüência de HCoV como causa de IRA no Brasil é similar aquela encontrada em regiõestemperadas do mundo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.07.2002

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACEDO, Izolete Santos; ARRUDA NETO, Eurico. Freqüência de coronavírus e rinovírus como causa de infecções respiratórias agudas em crianças. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Macedo, I. S., & Arruda Neto, E. (2002). Freqüência de coronavírus e rinovírus como causa de infecções respiratórias agudas em crianças. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Macedo IS, Arruda Neto E. Freqüência de coronavírus e rinovírus como causa de infecções respiratórias agudas em crianças. 2002 ;
    • Vancouver

      Macedo IS, Arruda Neto E. Freqüência de coronavírus e rinovírus como causa de infecções respiratórias agudas em crianças. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021