Exportar registro bibliográfico

Mitocrítica e estória de vida em Oscar Wilde: a educação fática em "O retrato de Dorian Gray" e em "Escritos do Cárcere" (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: BUSNARDO FILHO, ANTONIO - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: PERSONALIDADE; EDUCAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: O tema proposto neste trabalho retoma a estória de vida do autor por meio de uma análise dos mitemas encontrados nas obras estudadas e que definem o mito reitor do processo de criação. Neste sentido, o processo de criação e a estória de vida serão, também, processo de individuation, que permitem a descoberta dos arquétipos estruturadores da personalidade durante a busca do "Selbst", numa circumambulatio constante. Por meio deste processo, o arquétipo do Duplo aparece como um aspecto sombrio que dialoga com outros arquétipos, como, por exemplo, os arquétipos do Puer e do Senex, permeados pelo mito de Pothos. O Duplo é também, uma presença hermesiana que tem como característica o limite, o mundo do "entre dois". O limite, como área de definição, é pensado como um Universo Crepuscular - Considerando a proposta de Michel Guiomar - das vivências do autor, assemelhando-se a um Micro Universo Sintético polimorfo do tipo Duplo Existencial, um Micro-Universo da Mediação, que se encaminhará para um Universo da Angústia. A Decadência, final do século XIX e período estudado, insere-se no Universo da Angústia, assim como Oscar Wilde. Partindo desta delimitação conceitual, os mitemas da época, contidos nas obras analisadas, são apresentados como elementos indutores de um processo de iniciação, que se dá tanto pela construção das obras, como pelo desenvolvimento da vida do autor. A partir do levantamento destes mitemas é analisado o percurso iniciático de Oscar Wilde. Sob oaspecto do Duplo, que é uma característica marcante da Decadência, no mitema da inversão/subversão estudou-se a figura do dândi como cristalização do esteticismo enquanto modo de vida e comportamento social, enfatizando a máscara social, sob o arquétipo da persona, e a transgressão, sob o arquétipo do trickster, encontrados na obra e na vida de Wilde; então, processo de iniciação, próprio da construção da obra, processo de individuation, percurso ) iniciático, junta-se à proposta de "Educação Fática" como uma contra-educação da alma que integra todos os processos, por ter a mediação simbólica uma prática pervagante, facilitada pelo fator "fático", como um olhar "para além de" da educação. Neste sentido, a educação, ao permitir a circulação dos símbolos e dos mitos é um processo que permite ao indivíduo a busca de sua totalização - é um processo de transcendência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.09.2002

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BUSNARDO FILHO, Antonio; CARVALHO, José Carlos de Paula. Mitocrítica e estória de vida em Oscar Wilde: a educação fática em "O retrato de Dorian Gray" e em "Escritos do Cárcere". 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Busnardo Filho, A., & Carvalho, J. C. de P. (2002). Mitocrítica e estória de vida em Oscar Wilde: a educação fática em "O retrato de Dorian Gray" e em "Escritos do Cárcere". Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Busnardo Filho A, Carvalho JC de P. Mitocrítica e estória de vida em Oscar Wilde: a educação fática em "O retrato de Dorian Gray" e em "Escritos do Cárcere". 2002 ;
    • Vancouver

      Busnardo Filho A, Carvalho JC de P. Mitocrítica e estória de vida em Oscar Wilde: a educação fática em "O retrato de Dorian Gray" e em "Escritos do Cárcere". 2002 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020