Exportar registro bibliográfico

Cultura, arte e política: o movimento hip hop e a constituição dos narradores urbanos (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: LOURENÇO, MARIANE LEMOS - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PST
  • Subjects: CULTURA; ARTES; MÚSICA; POLÍTICA
  • Language: Português
  • Abstract: É evidente a falta de interesse da sociedade pela esfera pública e por questões políticas. Para Sennett [1999], isso se relaciona a uma vida voltada para o "eu" e seus problemas particulares. Em conseqüência disso, as forças dominantes acaba prevalecendo. Qualquer manifestação no sentido oposto ao status quo reveste-se de suma importância, por ser sinal de que nem tudo foi absorvido. Presente o propósito de mostrar uma face para muitos obscura da sociedade, esta pesquisa teve como objetivo o estudo do Movimento Hip Hop, o qual foi avaliado enquanto forma de contestação social e política. O caminho escolhido foi ouvir jovens que participam do Movimento Hip Hop residentes na periferia da cidade de Curitiba, além da pesquisa bibliográfica. No decorrer do estudo, foi possível constatar que o Movimento Hip Hop constitui-se um novo sujeito político na esfera pública do cotidiano da periferia e que sua arte está impregnada do caráter de contestação social e política. No Brasil o rap político destaca-se assegurando esse caráter. O Movimento, sendo "cultura de rua". destaca-se por suas práticas artístico-culturais, que ensejam uma reapropiação do espaço público das cidades. Seus integrantes propõem uma nova forma de participação política, através de seus elementos artísticos (rap, break, grafite e trabalho dos Dj's e Mc's), garantindo visibilidade e cidadania aos jovens que de participam. Neste trabalho os letristas do rap figuram como narradores urbanostendo-se tomado o conceito de narrador no sentido dado por Walter Benjamim. Eles abordam em suas narrativas temas que dizem respeito a sua experiência na polis: violência, drogas, exclusão social e econômica, falta de ética aos políticos governantes, enfim, os problemas que envolvem a periferia. ). A arte do Movimento Hip Hop possibilita aos jovens enfrentar a realidade e o sofrimento contrapondo-se estratégias coletivas de defesa conceituadas por Dejours[ 1999]. No Hip Hop, estratégias coletivas de defesa são substituídas pela arte do Movimento, que propicia solidariedade, valorização de si mesmo e da periferia, informação e conhecimento substituição da violência pela força das idéias e das palavras
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.02.2002

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOURENÇO, Mariane Lemos; OLIVEIRA, Paulo de Salles. Cultura, arte e política: o movimento hip hop e a constituição dos narradores urbanos. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Lourenço, M. L., & Oliveira, P. de S. (2002). Cultura, arte e política: o movimento hip hop e a constituição dos narradores urbanos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Lourenço ML, Oliveira P de S. Cultura, arte e política: o movimento hip hop e a constituição dos narradores urbanos. 2002 ;
    • Vancouver

      Lourenço ML, Oliveira P de S. Cultura, arte e política: o movimento hip hop e a constituição dos narradores urbanos. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021