Exportar registro bibliográfico

Competição intergenotípica na análise de testes de progênie em essências florestais (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: LEONARDECZ NETO, EDUARDO - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LGN
  • Subjects: PRODUTOS FLORESTAIS; GENÉTICA ESTATÍSTICA; GENÉTICA QUANTITATIVA; MELHORAMENTO GENÉTICO VEGETAL
  • Language: Português
  • Abstract: No presente trabalho buscou-se introduzir o efeito da competição entre plantas nas análises dos testes de progênie/procedências em essências florestais, com o fim de identificar os seus efeitos e as distorções devidas à sua não observância. Para tanto, foram utilizados ensaios com níveis de precisão e mortalidades diferentes, de cinco espécies, a saber: Gallesia gorarema Vell. Moq., Eucaliptus grandis Hill ex Maider, Eucaliptus citridora Hook, Pinus elliottii Engl. var. elliottii e Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. Obtiveram-se as esperanças dos quadrados médios das fontes de variação da análise de variância nos delineamentos aqui utilizados. Com base nestas derivações, foi demonstrado explicitamente o viés nas estimativas de parâmetros genéticos quantitativos. Este viés está diretamente relacionado com a magnitude do coeficiente de regressão b e com a grandeza relativa das somas de quadrados de diferentes efeitos contidos na análise de variância da variável competição. Caso ignorado o efeito de competição, quando este influencia a variável resposta Y, os ponderadores b, que compõem o índice de seleção terão estimativas viesadas, gerando erro na seleção dos indivíduos superiores. Na análise de dados observou-se que a inclusão da competição, de maneira geral, reduziu as estimativas das componentes de variância, e por conseqüência, outras estimativas de parâmetros que são função destes, quando comparado com as estimativas feitas por via das análises sem o ajustepara a competição. A análise com a variável competição não mostrou diferenças significativas para o efeito de progênies. Isto demostra que a competição comportou-se de forma aleatória, o que corrobora para que seja colocada na análise como uma covariável; caso contrário esta teria que ser considerada uma componente da performance e introduzida numa análise multicaracterística. Utilizando as análises com e sem ajuste para a competição, )para estimar os valores genéticos e o ganho com a seleção, observou-se que os indivíduos selecionados não são concordantes. Isto indica que os equívocos na seleção podem ser comuns, haja vista que o fato de se ajustar os dados faz com que o posto dos indivíduos tidos por superiores seja alterado. É recomendável considerar os efeitos da competição na análise de dados em que os indivíduos estão sujeitos a competir uns com os outros, no seu desenvolvimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.08.2002
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LEONARDECZ NETO, Eduardo; VENCOVSKY, Roland. Competição intergenotípica na análise de testes de progênie em essências florestais. 2002.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-30102002-160556/ >.
    • APA

      Leonardecz Neto, E., & Vencovsky, R. (2002). Competição intergenotípica na análise de testes de progênie em essências florestais. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-30102002-160556/
    • NLM

      Leonardecz Neto E, Vencovsky R. Competição intergenotípica na análise de testes de progênie em essências florestais [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-30102002-160556/
    • Vancouver

      Leonardecz Neto E, Vencovsky R. Competição intergenotípica na análise de testes de progênie em essências florestais [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-30102002-160556/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021