Exportar registro bibliográfico

Caracterização ultra-sônica tecidual miocárdica em pacientes com Doenças de Chagas (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: PAZIN FILHO, ANTONIO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: DOENÇA DE CHAGAS; CARDIOPATIAS (DIAGNÓSTICO)
  • Language: Português
  • Abstract: A presente investigação foi desenvolvida para testar a hipótese de que a caracterização ultra-sônica tecidual, avaliada mediante variáveis derivadas do "integrated backscatter" (IBS) - (intensidade, amplitude de variação e padrão de curva), possa identificar precocemente envolvimento cardíaco na doença de Chagas. Assim, foram estudados 69 indivíduos, de ambos os sexos, com idade variando entre 15 e 73 anos (média ± desvio padrão: 49 '+ OU -' 12 anos), distribuídos em 4 grupos: 19 voluntários normais, 13 indivíduos portadores da forma indeterminada, 7 indivíduos com a forma digestiva e 30 indivíduos portadores da forma cardíaca da doença de Chagas. A quantificação da intensidade do IBS foi realizada em equipamento de ultra-som comercialmente disponível, utilizando-se transdutor multi-freqüência (2-4 MHz) e o "software" de densitometria acústica incorporado no sistema. Os valores de IBS foram quantificados em 12 segmentos cardíacos, documentados a partir de imagens paraesternais do eixo menor do coração nos planos basal, médio e apical. Em cada um destes planos foram analisados os segmentos anterior, lateral, posterior e apical. As seguintes variáveis do IBS foram avaliadas: 1) o coeficiente corrigido (CC) do IBS, obtido pela divisão da intensidade do IBS em cada segmento, pelo valor de obtido em um "phantom" de borracha, mantendo-se constantes os ajustes do equipamento e a profundidade; 2) a magnitude da variação cíclica (MVC) do IBS, representada peladiferença de intensidade pico-a-pico, durante o ciclo cardíaco; ) 3) o sincronismo da curva com a sístole ventricular. O valor médio do coeficiente corrigido do IBS para os 12 segmentos ventriculares agrupados foi significativamente maior (p< 0.001) nos cardiopatas chagásicos (0.87 '+ OU -' 0.10) que nos pacientes da forma indeterminada (0.73 '+ OU -' 0.14) e digestiva (0.75 '+ OU -' 0.13) ou nos indivíduos normais (0.67 '+ OU -' 0.13). O coeficiente corrigido do IBS mostrou valores mais elevados (p< 0,05) nos cardiopatas chagásicos que apresentavam segmentos com mobilidade parietal preservada comparativamente aos normais, em 4 dos 12 segmentos estudados (anterior basal, posterior e septal médios, anterior apical), enquanto os outros grupos de chagásicos eram comparáveis aos normais. Este índice mostrou tendência de aumento progressivo de seus valores concomitantemente com o aumento da gravidade da disfunção ventricular segmentar. A magnitude da variação cíclica mostrou uma ampla variabilidade individual e apresentou valores mais elevados (p< 0,05) nos cardiopatas que nos normais, em apenas um segmento (septal médio) dos 12 estudados. Anormalidades no sincronismo da curva de variação do IBS com a sístole ventricular foram identificadas em 4 segmentos (anterior e posterior basal, anterior médio e medial apical) dos 12 avaliados, nos cardiopatas chagásicos. Não se demonstrou correlação entre o grau de disfunção segmentar do ventriculo e os valores de magnitude davariação cíclica e o padrão da curva de variação do IBS. Conclusões 1) o coeficiente corrigido do IBS mostrou-se capaz de identificar precocemente o envolvimento cardíaco na doença de Chagas em segmentos que apresentavam mobilidade parietal preservada; 2) o aumento dos valores do coeficiente corrigido do IBS com o grau de disfunção segmentar sugere uma relação entre as alterações das propriedades acústicas do tecido e o grau de fibrose apresentado pelo segmento; ) 3) a magnitude da variação cíclica não se mostrou um método consistente para diferenciar chagásicos de normais; 4) alterações no sincronismo da curva de variação do IBS com a contração ventricular também identificaram precocemente os cardiopatas chagásicos; 5) Nenhum dos métodos estudados identificou alterações nos pacientes chagásicos com a forma indeterminada; 6) o significado prognóstico das alterações dessas variáveis do IBS permanece por ser esclarecido
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.01.2002

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAZIN FILHO, Antônio; MACIEL, Benedito Carlos. Caracterização ultra-sônica tecidual miocárdica em pacientes com Doenças de Chagas. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Pazin Filho, A., & Maciel, B. C. (2002). Caracterização ultra-sônica tecidual miocárdica em pacientes com Doenças de Chagas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pazin Filho A, Maciel BC. Caracterização ultra-sônica tecidual miocárdica em pacientes com Doenças de Chagas. 2002 ;
    • Vancouver

      Pazin Filho A, Maciel BC. Caracterização ultra-sônica tecidual miocárdica em pacientes com Doenças de Chagas. 2002 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020