Exportar registro bibliográfico

Estudo da atenção às vítimas de acidentes de transporte em um hospital universitário de emergências no Brasil. Aspectos epidemiológicos, de gravidade e de mortalidade (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SCARPELINI, SANDRO - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCA
  • Subjects: ACIDENTES DE TRÂNSITO (EPIDEMIOLOGIA;MORTALIDADE)
  • Language: Português
  • Abstract: Os acidentes de transporte formam uma das principais causas de morte nos Estados Unidos da América, particularmente entre os jovens. Em 1997, ocorreram 37.280 acidentes fatais naquele país, resultando em 41.967 mortes. Em 1997, no Brasil, foram registradas 35.756 mortes por acidente de transporte, permanecendo como uma das principais causas de mortes em todas as idades. O coeficiente de mortalidade foi de 22,4 por 100.000 habitantes, naquele ano. Dados mais recentes do Estado de São Paulo mostram que no ano de 1999 ocorreram 7.311 óbitos decorrentes de acidentes de transporte, correspondendo a 3,1% de todas as causas de mortes com coeficiente de mortalidade de 20,41 por 100.000 habitantes. Neste mesmo ano o Município de Ribeirão Preto contabilizou 137 óbitos com o mesmo diagnóstico, obtendo o pior coeficiente de mortalidade dentre as cidades do Estado com mais de 200 mil habitantes, de 28,9 por 100.000. Neste trabalho retrospectivo, procurou-se obter dados relativos à epidemiologia dos pacientes vítimas de acidente de transporte atendidos na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e, através da metodologia TRISS para a análise dos cuidados com o trauma, avaliar a qualidade do atendimento prestado em dois períodos, antes e após a instituição do controle de fluxo de emergências na região de Ribeirão Preto. Foram analisados 1394 atendimentos no período entre 01 de julho de 1997 e 31 de dezembro de 1997 (GrupoA), e 573 atendimentos no período entre 01 de julho de 2000 a 31 de dezembro de 2000 (Grupo B). Houve uma redução de 821 atendimentos, entre os dois períodos (queda de 58,89%). No grupo A, 1142 pacientes eram do gênero masculino (81,92%). No grupo B, 453 eram do gênero masculino (79,06%). A média das idades foi de 29,26 anos no grupo A e 31,26 anos grupo B. Os acidentes por colisão entre automóveis lideravam a casuísta, ) quanto ao meio de transporte utilizado pelas vítimas, em ambos os grupos, com 32,21% para o Grupo A e 35,60% para o Grupo B. A metodologia TRISS pode ser aplicada em 1078 casos do Grupo A (Grupo C) e 450 casos do Grupo B (Grupo D). A estatística M foi 0,865 para o primeiro grupo e 0,922 para o segundo grupo. A estatística Z para a mortalidade nos dois grupos resultou nos seguintes índices: Grupo C com estatística Z=4,6619 e Grupo D estatística Z=5,7736 (p<0,001), nos dois casos com números positivos. A estatística W foi calculada para cada grupo, apresentando os seguintes resultados: Grupo C com estatística W=-1,28 e Grupo D com estatística W=-3,52. A letalidade no Grupo C foi de 3,06%, enquanto que no Grupo D foi de 6,44%. A análise dos índices de gravidade dos óbitos mostrou que 69,69% e 79,31% possuíam TRISS maior que 0,5 (Ps>50%), para os grupos C e D, respectivamente, e que, portanto, a evolução fatal, para estes casos, era inesperada, pela abordagem proposta pelo MTOS. Os resultados encontrados mostram índices de qualidademenores que o padrão norte americano (MTOS). Contudo alguns aspectos são abordados com relação ao aprimoramento do atendimento decorrente do desenvolvimento do atendimento pré-hospitalar na Região, da evolução do atendimento hospitalar pela Instituição (aplicação do método ATLS) e quanto à necessidade do aprimoramento da coleta de dados junto ao exame necroscópico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.11.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SCARPELINI, Sandro; ANDRADE, José Ivan de. Estudo da atenção às vítimas de acidentes de transporte em um hospital universitário de emergências no Brasil. Aspectos epidemiológicos, de gravidade e de mortalidade. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Scarpelini, S., & Andrade, J. I. de. (2001). Estudo da atenção às vítimas de acidentes de transporte em um hospital universitário de emergências no Brasil. Aspectos epidemiológicos, de gravidade e de mortalidade. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Scarpelini S, Andrade JI de. Estudo da atenção às vítimas de acidentes de transporte em um hospital universitário de emergências no Brasil. Aspectos epidemiológicos, de gravidade e de mortalidade. 2001 ;
    • Vancouver

      Scarpelini S, Andrade JI de. Estudo da atenção às vítimas de acidentes de transporte em um hospital universitário de emergências no Brasil. Aspectos epidemiológicos, de gravidade e de mortalidade. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020