Exportar registro bibliográfico

Diversidade e estrutura de comunidades de bactéria em solos tratados com bissólidos (2002)

  • Authors:
  • Autor USP: SOUZA, ÂNGELA GARCIA DE - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LSN
  • Subjects: MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA; ADUBO DE LODO; ADUBO DE ESGOTO; QUÍMICA DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: A utilização de biossólidos como fonte de nutrientes vegetais e/ou como condicionador da estrutura de solos agrícolas tem sido amplamente preconizada. Embora seu efeito benéfico para as plantas seja inquestionável, muito pouco se sabe sobre seu impacto sobre a microbiota dos solos. Dependendo de sua origem, biossólidos podem conter altas concentrações de metais e agentes antimicrobianos, os quais podem interferir na fisiologia da microbiota, modificando a estrutura da comunidade microbiana dos solos. Como a biodiversidade dos solos pode estar associada a sua qualidade, o impacto da aplicação de biossólidos aos solos deve ser mais estudado. Neste trabalho, alterações da diversidade genética e da estrutura da comunidade de bactéria de solos tratados com biossólidos de duas ETEs do Estado de São Paulo foram avaliadas pela técnica de eletroforese em gel de poliacrilamida com gradiente desnaturante (DGGE). No primeiro experimento, foram avaliadas as alterações na divesidade genética e estrutura da comunidade de bacteria de um NITOSSOLO VERMELHO Eutroférrico típico, amostrados em 1, 2, 4 e 8 semanas após a aplicação do biossólido da ETE-Franca em quantidades equivalentes a 6, 12, 24 e 48 mg ha-1 além de um controle sem adição de biossólido. No segundo experimento, foi avaliado o impacto da aplicação de biossólidos da ETE-Franca e ETE-Barueri, caracterizados pala alta e baixa concentração de metais pesados, respectivamente, em dois tipos de solo (NEOSSOLO QUARTZARÊNICO Órticotípico e NITOSSOLO VERMELHO Eutroférrico típico), incubados por 60 dias e posteriormente cultivados com milho. As avaliações foram feitas 30 e 60 dias após o plantio do milho, sobre a diversidade genética e estrutura da comunidade de bacteria. O biossólido da ETE-Franca foi utilizado em quantidades equivalentes a 6, 24, 96 mg ha-1. Já o biossólido da ETE-Barueri foi utilizado em quantidades equivalentes a 31, 62, 124 mg ha-1 além de um controle ) sem adição de biossólido para cada tipo de solo. Os resultados demonstraram que a aplicação de biossólido com baixa concentração de metais pesados foi capaz de modificar a estrutura da comunidade de bacteria, que se restabeleceu com o tempo. Os índices de diversidade demonstraram as variações na estrutura da comunidade com aumentos da riqueza de espécies e diversidade no início do experimento e maior dominância após 8 semanas, sendo indicativo de resilência. No segundo experimento, foram detectadas variações nos amplicons de DGGE, demonstrando que a estrutura da comunidade de bacteria foi alterada em relação às doses e tipos de biossólidos utilizados. Solos tratados com o biossólido da ETE-Franca tiveram maior similaridade com os controles sem biossólido. Quando tratados com biossólido da ETE-Barueri, a estrutura da comunidade de bacteria foi alterada, sendo maior o efeito em solos arenosos. Os índices de diversidade em geral sofreram grandes modificações, entre 30 e 60 dias após o plantio de milho, com altavariabilidade nos valores de S (número de amplicons). Os valores obtidos para o índice de Shannon-Weaver (H) mostraram baixa variabilidade e os resultados de dominância (D) e equitabilidade (E) foram dependentes das doses de biossólidos aplicadas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.03.2002
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUZA, Ângela Garcia de; LAMBAIS, Marcio Rodrigues. Diversidade e estrutura de comunidades de bactéria em solos tratados com bissólidos. 2002.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002. Disponível em: < https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11138/tde-20200111-153248/ >.
    • APA

      Souza, Â. G. de, & Lambais, M. R. (2002). Diversidade e estrutura de comunidades de bactéria em solos tratados com bissólidos. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11138/tde-20200111-153248/
    • NLM

      Souza ÂG de, Lambais MR. Diversidade e estrutura de comunidades de bactéria em solos tratados com bissólidos [Internet]. 2002 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11138/tde-20200111-153248/
    • Vancouver

      Souza ÂG de, Lambais MR. Diversidade e estrutura de comunidades de bactéria em solos tratados com bissólidos [Internet]. 2002 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11138/tde-20200111-153248/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021