Exportar registro bibliográfico

Caracterização in vitro dos efeitos de organofosforados e carbamatos sobre colinesterases plasmáticas e cerebrais de aves. Estudo da relação atividade colinesterásica cerebral: densidade de receptores muscarínicos de acetilcolina em diagnóstico de intoxicação aguda por estes praguicidas (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: VALDES, SADY ALEXIS CHAVAUTY - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VPT
  • Subjects: PESTICIDAS; CODORNAS; AVES
  • Language: Português
  • Abstract: Um dos objetivos foi ordenar diferentes inseticidas organofosforados e carbamatos de uso frequente no entorno do Parque Nacional de Emas (GO) de acordo com a capacidade de inibir in vitro 50% (CI50) da atividade colinesterásica em plasma e cérebro de codornas (Coturnix japonica). Também foi estudada a relação entre atividade colinesterástica cerebral e densidade de receptores muscarínicos em diferentes espécies de aves. O último objetivo foi comparar dois meios de diagnóstico de intoxicação por inseticidas anticolinesterásicos : a utilização da razão atividade colinesterástica cerebral : densidade de receptores muscarínicos (ChR:RmACh) e a determinação isolada da atividade enzimática cerebral. Foram utilizadas 44 codornas, sendo 15 para a determinação das CIs 50, 15 para a determinação da razão ChE:RmACh e 14 para as intoxicações experimentais, além de material cerebral de 19 aves silvestres de diferentes espécies. Com relação à potência de inibição plasmática, os inseticidas foram assim ordenados : triclorfon > carbofuran > etion > monocrotofós > carbaril > metil paration > metamidofós > malation > clorpirifós. Em cérebro, a ordem foi : carbofuran > carbaril > metil > paration > triclorfon > monocrotofós > metamidofós > etion > malation > clorpirifós. Esta informação pode servir para a escolha na agricultura de inseticidas menos agressivos para a avifauna. Quanto ao estudo da relação ChE:RmACh, esta apresentou, em codornas, variação 36% menor do que a atividadecolinesterásica isolada, e se mostrou um meio de diagnóstico mais eficiente nas intoxicações experimentais com malation e etion do que a atividade enzimática. Já em aves silvestres, a razão apresentou variação maior do que a atividade colinesterásica isolada, possivelmente pela falta de controle das condições pós-morte destes animais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VALDES, Sady Alexis Chavauty; SÁ-ROCHA, Luiz Carlos de. Caracterização in vitro dos efeitos de organofosforados e carbamatos sobre colinesterases plasmáticas e cerebrais de aves. Estudo da relação atividade colinesterásica cerebral: densidade de receptores muscarínicos de acetilcolina em diagnóstico de intoxicação aguda por estes praguicidas. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Valdes, S. A. C., & Sá-Rocha, L. C. de. (2001). Caracterização in vitro dos efeitos de organofosforados e carbamatos sobre colinesterases plasmáticas e cerebrais de aves. Estudo da relação atividade colinesterásica cerebral: densidade de receptores muscarínicos de acetilcolina em diagnóstico de intoxicação aguda por estes praguicidas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Valdes SAC, Sá-Rocha LC de. Caracterização in vitro dos efeitos de organofosforados e carbamatos sobre colinesterases plasmáticas e cerebrais de aves. Estudo da relação atividade colinesterásica cerebral: densidade de receptores muscarínicos de acetilcolina em diagnóstico de intoxicação aguda por estes praguicidas. 2001 ;
    • Vancouver

      Valdes SAC, Sá-Rocha LC de. Caracterização in vitro dos efeitos de organofosforados e carbamatos sobre colinesterases plasmáticas e cerebrais de aves. Estudo da relação atividade colinesterásica cerebral: densidade de receptores muscarínicos de acetilcolina em diagnóstico de intoxicação aguda por estes praguicidas. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021