Exportar registro bibliográfico

Verificação da resistência da união de uma resina composta para restaurações indiretas ao titânio cp (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: MATOS, RODRIGO LINO DE - FORP
  • Unidade: FORP
  • Sigla do Departamento: 805
  • Subjects: RESTAURAÇÃO DENTÁRIA; RESINAS COMPOSTAS (ODONTOLOGIA); TITÂNIO (ODONTOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: 0 titânio é um elemento abundante na natureza e seu emprego na Odontologia está se desenvolvendo cada vez mais em função de suas propriedades. Atualmente, além de sua grande aplicabilidade na Implantodontia, pode ser usado também na área de Prótese como parte constituinte de uma liga de fundição odontológica. Na área da Prótese, as restaurações metaloplásticas/metalocerâmicas vêm sendo pesquisadas há muito tempo com o propósito de conseguir maior retenção, seja da porcelana ou de resinas a um metal. Tais restaurações têm sido largamente empregadas na Odontologia, uma vez que esta união possibilitou melhores propriedades físicas, como: aumento da resistência ao impacto e ao cisalhamento, e também, passou a conferir boa estética ao paciente. Por outro lado, para que a restauração seja clinicamente satisfatória, é necessário que o material apresente resistência adequada da união entre metal e revestimento estético, porcelana ou resina. 0 objetivo deste trabalho foi avaliar a resistência da união de resina composta indireta ao titânio. Foram utilizadas: Titânio cp (Rematitan), uma resina para facetas (Artglass), diferentes tipos de retenção (química; mecânica com esferas 0,4 mm; mecânica com esferas 0,6 mm; química/mecânica com esferas 0,4 mm; química/mecânica com esferas 0,6 mm), o auxiliar de retenção (Retention Flow) a hastes sem retenção química e/ou mecânica). Os corpos-de-prova foram elaborados com hastes metálicas de titânio sendo que em uma dasextremidades foi confeccionado um dos tipos de retenção, em torno das quais foi construído um anel com a resina. 0 ensaio mediu a força necessária para a remoção da resina do metal (titânio). Os resultados obtidos foram analisados com o auxílio do "software" GMC 8.0 para interpretação estatística dos dados obtidos e foram discutidos em relação à literatura específica. Os dados foram submetidos à análise de variância e foi detectada diferença estatisticamente ) significante em nível de 1 % entre as diversas retenções utilizadas. 0 teste de Tukey ao nível de 1 % de probabilidade evidenciou as diferenças. De modo geral, a retenção mecânica associada à retenção química apresentou maiores e melhores valores de resistência, sendo que os piores valores de resistência foram observados quando não se utilizou retenção ou somente retenção química. Em função dos dados obtidos pode-se concluir que a retenção mecânica 0,6 mm, associada à retenção química, é alternativa viável para melhorar a resistência da união titânio-resina (Artglass) nas restaurações metaloplásticas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.05.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MATOS, Rodrigo Lino de; MATTOS, Maria da Glória Chiarello de. Verificação da resistência da união de uma resina composta para restaurações indiretas ao titânio cp. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Matos, R. L. de, & Mattos, M. da G. C. de. (2001). Verificação da resistência da união de uma resina composta para restaurações indiretas ao titânio cp. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Matos RL de, Mattos M da GC de. Verificação da resistência da união de uma resina composta para restaurações indiretas ao titânio cp. 2001 ;
    • Vancouver

      Matos RL de, Mattos M da GC de. Verificação da resistência da união de uma resina composta para restaurações indiretas ao titânio cp. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021