Exportar registro bibliográfico

Escuto o tempo fluindo: estudo da obra Claro enigna, de Carlos Drummond de Andrade (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: SINISCALCHI, CRISTIANE ESCOLASTICO - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLT
  • Subjects: LITERATURA BRASILEIRA (HISTÓRIA E CRÍTICA); POESIA
  • Language: Português
  • Abstract: Os poemas de Claro enigma, livro publicado por Carlos Drummond de Andrade em 1951, revelam um poeta ciente da finitude e disposto a analisar as conquistas e perdas da maturidade para, no atrito com o tempo corrosivo, enriquecer sua obra com a expressão das tensões vividas pelo homem que caminha, lúcido, para a morte. Drummond dedica-se a um exercício obstinado para compreender e representar poeticamente os efeitos desse devir nas respostas emocionais, nas ações praticadas e nos sentidos conferidos ao mundo, inserindo o tema na linha da investigação filosófica que anima a obra no período. Nesse movimento, nota a temporalidade vazia e as várias representações que procuram escamotear a angústia do tempo, reagindo a elas com a incondicional aplicação da lucidez na leitura de si mesmo e do objeto. Armado contra as imagens falaciosas do mundo, o poeta anuncia seu desligamento da poesia atravessada pela matéria histórica, que cultivara na década anterior, e, em seu lugar, apresenta uma poesia fortemente dissonante, que pretende a dicção alta e a referência mítica, mas desautoriza o conhecimento produzido pela tradição cultural. A resistência ao fluxo do tempo faz-se pela experiência amorosa e pela memória da família e da província. A vivência do amor permite ao sujeito reelaborar a vida que se esvai, resgatando alguma vitalidade no momento de ocaso. No entanto, é uma experiência antitética, já que sua aprendizagem é solitária e reafirma a morte incorporada. Oestado de simpatia com a morte coloca a memória como a mais fundamental experiência do tempo e, nessa linha, a família e a terra natal são revisitadas em função do desejo de compreender a herança material-emotiva que os antepassados legaram. A palavra que rememora recria a família, tornando-a alvo do desejo e de uma prosaica mitificação, mas não basta para anular os conflitos do passado, que emergem e pontuam a singular identidade mineira do poeta. O conjunto ) das questões postas por Claro enigma define um paradoxo entre a proposta de idealidade, representada pelo não-tempo do mito, e o aprisionamento no fluxo diruptivo do tempo, promovido pela experiência da madureza. A lucidez impede a instauração da idealidade, mas o simbólico gesto de tirar os olhos do mundo, muito freqüente na obra, evidenciará a necessidade de manutenção de um refúgio para a subjetividade individual. Essa tensão é o principal recurso estruturador de Claro enigma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.08.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SINISCALCHI, Cristiane Escolastico; PONTIERI, Regina Lúcia. Escuto o tempo fluindo: estudo da obra Claro enigna, de Carlos Drummond de Andrade. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Siniscalchi, C. E., & Pontieri, R. L. (2001). Escuto o tempo fluindo: estudo da obra Claro enigna, de Carlos Drummond de Andrade. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Siniscalchi CE, Pontieri RL. Escuto o tempo fluindo: estudo da obra Claro enigna, de Carlos Drummond de Andrade. 2001 ;
    • Vancouver

      Siniscalchi CE, Pontieri RL. Escuto o tempo fluindo: estudo da obra Claro enigna, de Carlos Drummond de Andrade. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021