Exportar registro bibliográfico

Organizações patológicas e equilíbrio psíquico em pacientes diabéticos tipo 2 (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: HELENO, MARIA GERALDA VIANA - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSC
  • Subjects: PSICANÁLISE; RELAÇÕES DE OBJETO
  • Language: Português
  • Abstract: Através da prática clínica, notamos em alguns pacientes diabéticos uma resistência paralisadora crônica que impede o tratamento. Eles parecem não se darem conta do que se passa com eles e vivem como se o não tratamento fosse algo bom. Sentem-se protegidos e têm a convicção de que nada irá acontecer-lhes. Eles garantem que não sentem nada, nenhum sinal de complicação aguda ou crônica. Pensamos que esta proteção "perversa" pode ser compreendida a partir do estudo das "organizações patológicas". Elas oferecem grande resistência a mudanças e a experiências de dependência de objeto. Os objetivos desta pesquisa foram: (1) avaliar o grau de eficácia adaptativa e os episódios de crise; (2) avaliar a dinâmica emocional e o equilíbrio adaptativo do ego, visando a compreensão do sistema tensional inconsciente principal, que pode identificar, ou não, a presença das organizações patológicas; (3) correlacionar o grau de eficácia adaptativa com a presença ou não das organizações patológicas; (4) correlacionar o grau de equilíbrio adaptativo do ego com a intensidade da ação das organizações patológicas e (5) correlacionar a qualidade do controle glicêmico com a presença ou não das organizações patológicas. Os instrumentos utilizados foram a Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada - EDAO e O Teste das Relações Objetais de Phillipson - TRO. O controle da glicemia foi determinado através de exames de laboratório. Foram sujeitos desta pesquisa 30 pacientesdiabéticos do tipo 2, amostra representativa e imparcial de uma população de 113 pacientes diabéticos atendidos no primeiro semestre de 1999 na Liga dos estudantes para o atendimento do pacientes diabético - LIGA, do Centro de Diabetes da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Os sujeitos de ambos os sexos tinham idade entre 44 e 62 anos e foram divididos em dois grupos. O grupo I era formado por 15 pacientes com bom controle glicêmico e o grupo II, por 15 ) pacientes com mau controle. Os dois grupos foram controlados por seis meses, durante os quais as recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes - SBD(1999) foram utilizadas para determinar a qualidade do controle glicêmico. A partir deste critério os grupos foram definidos. Os pacientes com glicose plasmática de jejum (GJ) < 126 mg/dl e Glicose Casual (GC) < 200 mg/dl foram considerados de bom controle e formaram o Grupo I. Acima ou igual a estes valores, Grupo II, de mau controle. Os resultados mostraram que existe forte correlação entre a eficácia adaptativa e o equilíbrio interno do ego com a qualidade do controle glicêmico. Assim, quanto melhor o nível da adaptação, melhor o controle glicêmico. Da mesma forma, quando as relações de objeto tendem à adaptação ou são positivas, melhor o controle glicêmico. Quanto à presença das organizações patológicas, a análise através da EDAO e do TRO mostrou que no Grupo I, de bom controle, não foi observada a presença destas organizações.Estes pacientes apresentavam respostas que, cumulativamente, geravam a melhora ou manutenção da eficácia adaptativa. O equilíbrio do mundo interno gerava a possibilidade de adaptação às situações. No Grupo II, de mau controle, pôde-se observar a presença e a intensidade das organizações patológicas. Estes pacientes apresentavam respostas que impediam qualquer tipo de progresso, reduzindo de forma significativa a eficácia adaptativa. No TRO, da mesma forma, observou-se no Grupo II a imobilização ou paralisação frente às situações, fenômeno característico das organizações patológicas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.12.2000
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HELENO, Maria Geralda Viana; ROSA, José Tolentino. Organizações patológicas e equilíbrio psíquico em pacientes diabéticos tipo 2. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-20012011-111355/?&lang=pt-br >.
    • APA

      Heleno, M. G. V., & Rosa, J. T. (2000). Organizações patológicas e equilíbrio psíquico em pacientes diabéticos tipo 2. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-20012011-111355/?&lang=pt-br
    • NLM

      Heleno MGV, Rosa JT. Organizações patológicas e equilíbrio psíquico em pacientes diabéticos tipo 2 [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-20012011-111355/?&lang=pt-br
    • Vancouver

      Heleno MGV, Rosa JT. Organizações patológicas e equilíbrio psíquico em pacientes diabéticos tipo 2 [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-20012011-111355/?&lang=pt-br

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020