Exportar registro bibliográfico

Estudo filogenético entre gêneros de Psitacídeos (Psittacidae, Aves) baseado em seqüências de DNA mitocondrial (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: TAVARES, ERIKA SENDRA - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Assunto: AVES
  • Language: Português
  • Abstract: A ordem Psittaciformes parece ser uma das mais antigas ordens de aves atualmente existentes (Forshaw, 1989; Cooper & Penny, 1997). Ainda não há evidências suficientes para afirmar o período e a localização da origem do grupo, mas duas propostas têm sido levadas em consideração. Glenny (1954) sugeriu um centro de origem na região Antática e Cracraft (1973) propôs a origem na região do hemisfério norte. Em ambos os casos, a dispersão dos táxons seria facilitada pelas interconexões dos continentes do sul, cuja separação total ocorreu entre o final do Paleoceno e início do Eoceno do Período Terciário. Atualmente as aproximadamente 350 espécies estão divididas em duas famílias: Cacatuidae e Psittacidae. Os representantes da família Cacatuidae são exclusivos da distribuição do Pacífico. A família Psittacidae inclui duas subfamílias: Loriinae e Psittacinae. Na distribuição sul-americana ocorrem apenas representantes da tribo Arini, pertence à subfamília Psittacinae, sendo também exclusivos dessa região. A monofilia do grupo neotropocal foi apontada por estudos de comparação de crânio e anatomia (Smith, 1873), comportamento e morfologia (Sick, 1997), análise de cariótipo (Lucca e col., 1991) e análise de DNA mitocondrial (Miyaki e col. 1998). Uma das formas de organizar os gêneros neotropicais para efeito de identificação é a separação de grupos pela morfologia da cauda, que pode ser longa e pontiaguda, longa e arredondada ou curta e arredondada. Estudos vêmevidenciando a monofilia de gêneros de cauda longa e pontiaguda em relação a gêneros de cauda curta (Mónton, 1977; Valentine 1990; Miyaki e col. 1992, 1993, 1995, 1997 e 1998). Porém, um estudo do cariótipo das espécies de cauda curta Pionites leucogaster e Pionopsitta pileata, detectou para essas espécies um padrão semelhante ao observado para espécies de cauda longa, podendo "quebrar" a monofilia entre as espécies que apresentam caudas de diferentes formas. ) Várias propostas de classificação entre os gêneros de psitacídeos foram feitas ao longo do tempo, com base em diferentes características. A grande dificuldade no estabelecimento de uma classificação entre gêneros de psitacídeos neotropicais, deve-se à grande homogeneidade morfológica e cariotípica entre os mesmos. ocorrem cruzamentos híbridos intergenéricos em cativeiro, evidenciando uma aproximação maior do que a esperada dentro do grupo (Sick, 1997). Além dos esforços empregados por naturalistas, ecólogos, anatomistas, fisiologistas e morfologistas para estabelecer as relações filogenéticas entre os grupos, avanços na área de biologia molecular têm contribuido muito para essa questão. No presente trabalho foram estudadas relações filogenéticas entre 18 espécies neotropicais representantes do grupo de cauda longa e pontiaguda (Ara ararauna, Ara severa, Propyrrhura maracana, P. auricollis, P. couloni, Orthopsittaca manilata, Diopsittaca nobilis, Cyanopsitta spixii, Guaroubaguarouba, Aratinga leucophthalmus, Aratinga cactorum, Aratinga aurea, Nadayus nenday, Anodorhynchus leari, Anodorhynchus hyacinthinus, Pyrrhura picta, Myiopsitta monachus e Brotogeris versicolurus), um com cauda curta (Amazona aestiva) e um com cauda longa e arredondada (Deroptyus accipitrinus) com base em seqüências de regiões do DNA mitocondrial. Foram considerados para análise, 344 pares de bases da região do DNA ribossomal 12S, 485 pares de bases correspondentes à região do DNA ribossomal 16S, 1042 pares de bases do gene para citocromo b, 461 pares de bases do gene para subunidade I da citocromo oxidase e 988 pares de bases correspondente à região controladora. Para alguns táxons não foram obtidas seqüências de todas essas regiões. De acordo com os resultados obtidos pelas seqüências analisadas por métodos de distância, máxima parcimônia e máxima verossimilhança, foram reconhecidos os grupos monofiléticos: (Anodorhynchus ) leari, Anodorhynchus hyacinthinus), (Aratinga aurea, Aratinga cactorum), (Ara severa, Ara ararauna), (Propyrrhura auricollis, P. maracana) e como grupo irmão desse clado, P. couloni e ainda o grupo (Guarouba guarouba e Diopsittaca nobilis). Desses, o último não foi descrito em trabalhos prévios. Dentre esses agrupamentos são considerados fortemente relacionados os gêneros Ara e Propyrrhura. Orthopsittaca manitata, Cyanopsitta spixii e Nandayus nenday parecem ser grupos derivados de linhagens intermediárias entre os claros (Ara, Propyrrhura) e(Aratinga aurea, A. cactorum. Próximo a estes táxons, está (G. guarouba, D. nobilis). Entre esse último e Anodorhynchus, encontra-se o táxon Aratinga leucophthalmus, sugerindo que Aratinga não forma um grupo monofilético. O táxon Pyrrhura picta parece ser o mais próximo dos demais já mencionados. Deroptyus accipitrinus, Brotogeris versicolurus e Myiopsitta monachus, apesar de apresentarem cauda longa, não são bem relacionados aos demais táxons. Em algumas topologias incluindo grupos externos de outras ordens de aves, Myiopsitta monachus parece ser menos relacionadas às demais espécies de cauda longa do que Amazona aestiva, espécie de cauda curta. Isso pode reforçar a idéia de que a forma da cauda pode ser uma característica que surgiu mais de uma vez no grupo por convergência. Foram estimados os períodos divergência entre as linhagens que originaram os gêneros estutados. A linhagem ancestral de Myiopsitta monachus divergiu das demais há cerca de 69 milhões de 800 mil anos. Já o ancestral de Amazona aestiva teria divergido das demais linhagens há cerca de 64 milhões e 400 mil anos. Esse período coincide com o grande evento que teria causado a extinção dos dinossauros, assim como de vários outros grupos animais. Uma grande diversificação de táxons que originaram vários gêneros atuais de psitacídeos ocorreu, segundo nossas estimativas, possivelmente entre 30 a ) 50 milhões de anos. Nesse período, limite entre Eoceno/Oligoceno, ocorreu a formação das calotaspolares, causando várias alterações morfo-climáticas de efeito global. Entre 20 e 29 milhões de anos atrás, houve a separação de linhagens de espécies pertencentes aos gêneros Ara (A. ararauna e A. severa) e Aratinga (A. aurea e A. cactorum) e há cerca de 15 a 19 milhões de anos divergiram os grupos (D. nobilis e G. guarouba) e (A. leari e A. hyacinthinus). Nesse período ocorreu o soerguimento de várias cadeias que atualmente fazem parte da Cordilheira dos Andes. Esse evento certamente teve influência na região leste do continente sul-americano, especialmente na região norte, o que pode ter favorecido a diversificação de hábitats favorecendo o surgimento de novas espécies
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAVARES, Erika Sendra; MIYAKI, Cristina Yumi. Estudo filogenético entre gêneros de Psitacídeos (Psittacidae, Aves) baseado em seqüências de DNA mitocondrial. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Tavares, E. S., & Miyaki, C. Y. (2001). Estudo filogenético entre gêneros de Psitacídeos (Psittacidae, Aves) baseado em seqüências de DNA mitocondrial. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Tavares ES, Miyaki CY. Estudo filogenético entre gêneros de Psitacídeos (Psittacidae, Aves) baseado em seqüências de DNA mitocondrial. 2001 ;
    • Vancouver

      Tavares ES, Miyaki CY. Estudo filogenético entre gêneros de Psitacídeos (Psittacidae, Aves) baseado em seqüências de DNA mitocondrial. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020