Exportar registro bibliográfico

Interação de moléculas biologicamente ativas com filmes de Langmuir de fosfolipídios (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SÁNCHEZ, MIRNA INÉS MOSQUERA - IFSC
  • Unidades: IFSC
  • Sigla do Departamento: FCM
  • Subjects: MATÉRIA CONDENSADA
  • Language: Português
  • Abstract: A interação de várias substancias bioativas com monocamadas de fosfolipídios foi investgada usando isotermas de pressão e potencial de superfície, incluindo as drogas farmacológicas dipiridamol (DIP), clopromazina (CPZ) e trifluoperazina (TFP), além da melatonina (MEL) e o colesterol (COL). Os fosfolipídios empregados foram o zwiteriônico dipalmitoil fosfatidil colina (DPPC) e o aniônico dipalmitoil fosfatidil glicerol (DPPG) espalhados na superfície de água ultrapura, sendo que as monocamadas servem como modelo simples de membranas. A cooperatividade na interação entre fosfolipídios e moléculas com atividade biológica foi essencial para entender os acentuados efeitos na expansão (ou condensação) das monocamandas e as mudanças no momento de dipolo (até 10% de aumento na expansão em relação à monocamada do fosfolipídio puro para as misturas DIP/DPPC) que ocorreram a concentrações molares muito baixas entre 0,2-0,4% do DIP. Tais efeitos foram observados para todas as cinco substâncias investigadas, em todos os regimes de pressão. Nas altas concentrações, o comportamento da interação depende do tipo de mólecula e também de se a monocamada é de DPPC ou DPPG. Para o DPPC, as drogas farmacológicas foram expelidas da interface em vários graus a altas pressões, e existia um máximo de concentração da droga acima do qual ocorria a saturação, provavelmente porque as moléculas em excesso foram para a subfase. Essas concentrações críticas foram de 2% em mol para o DIPe a CPZ e de 5% em mol para a TFP. Para o DIP, em particular, os resultados das isotermas foram correlacionados com experimentos de espectroscopia de FTIR e microscopia de fluorescência "in situ", realizados por colaboradores, os quais permitiram a determinação de uma localização precisa da droga estudada. Não existe inserção do DIP na região da cauda hidrofóbica da monocamada do DPPC, com a interaçao ocorrendo com o grupo fosfato no zwiteríon, cujas ) pequenas mudanças na orientação induzidas pelo DIP levam a grandes mudanças no momento de dipolo. Como o DPPG está carregado negativamente sobre a superfície da água pura, não existe saturação nos efeitos de expansão com o aumento da concentração das drogas. O aumento do momento de dipolo efetivo na monocamada mista é atribuído a alterações na densidade de carga superficial pela adsorção da droga catiônica, que reduz a contribuição negativa do potencial da dupla camada, quando comparado com o da monocamada de DPPG puro. Os resultados do COL e a MEL devem ser considerados separadamente devido a sua natureza distinta, embora um comportamento cooperativo também tenha observado com grandes efeitos nas baixas concentrações. Tanto o COL como o MEL induzem mudanças na expansão das monocamadas de DPPC até a máxima concetração empregada, 20% molar. Para o COL foi observado um efeito de condensação a baixas concentrações, o qual foi seguido por uma expansão a altas concentrações, confirmando assim resultados préviosda literatura. Todas as monocamadas mistas COL/DPPG apresentavam-se expandidas, também confirmando alguns resultados da literatura para lipídios (diferentes do DPPC) quando misturados com o COL. A interação da MEL com o DPPC foi essencialmente similar à do COL, apesar do fato de a MEL pura não formar monocamadas estáveis. Sua interação com o DPPG foi peculiar já que o efeito que esta induz satura a 5% em mol. Isto também difere do comportamento das drogas farmacológicas. A MEL é neutra em todos os pHs, portanto, sua intenção com as membranas modelo de DPPG e DPPC só pode ocorrer via dipolo. O mesmo se aplica ao colesterol, o que justifica as diferenças no comportameto destas duas moléculas quando comparadas com as drogas (DIP, CPZ, TFP), que são carregadas sobre a água pura, nas misturas com os dois fosfolipídios (DPPG e DPPC)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.08.2000
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANCHEZ, Mirna Inês Mosquera; OLIVEIRA JUNIOR, Osvaldo Novais de. Interação de moléculas biologicamente ativas com filmes de Langmuir de fosfolipídios. 2000.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2000. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-08112013-102613/pt-br.php >.
    • APA

      Sanchez, M. I. M., & Oliveira Junior, O. N. de. (2000). Interação de moléculas biologicamente ativas com filmes de Langmuir de fosfolipídios. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-08112013-102613/pt-br.php
    • NLM

      Sanchez MIM, Oliveira Junior ON de. Interação de moléculas biologicamente ativas com filmes de Langmuir de fosfolipídios [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-08112013-102613/pt-br.php
    • Vancouver

      Sanchez MIM, Oliveira Junior ON de. Interação de moléculas biologicamente ativas com filmes de Langmuir de fosfolipídios [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-08112013-102613/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020