Exportar registro bibliográfico

Aspectos da ecologia, biologia e manejo de bancos de Pterocladiella capillacea (Gelidiaceae, Rhodophyta) em costões rochosos da Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: YOSHIMURA, CRISTALINA YOSHIE - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Assunto: RHODOPHYTA
  • Language: Português
  • Abstract: A distribuição e abundância de Pterocladiella capillacea normalmente são associadas à um hidrodinamismo intermediário e baixa radiação solar. Uma vez que esta espécie é explotada em Santa Catarina, dados de variação sazonal de biomassa e recobrimento percentual são importantes, assim como sua distribuição horizontal e vertical. As coletas foram realizadas em 3 locais na Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina em 4 visitas sazonais, avaliando o recobrimento e a biomassa em 25 pontos sorteados aleatoriamente. Na primavera foram medidos os seguintes fatores ambientais: hidrodinamismo, temperatura, salinidade e irradiância para comparar os locais entre si e tentar relacionar estes fatores abióticos coma distribuição e abundância de P. capillacea. A biomassa nos locais de baixa abundância da espécie (entre 120,7 e 275,3 g 'm POT. -2') não mostrou variação ao longo do ano, ao contrário do local onde a abundância era máxima, onde, no verão (624,3g'm POT. -2') foi maior que as observadas no inverno e na primavera (306,3 e 408,7 g'm POT. -2', respectivamente), corroborando os dados obtidos anteriormente em São Paulo. O recobrimento percentual no verão (2,5%) foi maior que no outono (0,9%) no local sujeito ao maior hidrodinamismo. A distribuição vertical no local sombreado, de hidrodinamismo intermediário e com baixa inclinação do costão rochoso mostrou uma largura de faixa maior (31,3 cm), quando comparada aos outros dois locais (23,8 e 13,7cm, respectivemente). Pterocladiella capillacea possui ciclo de vida trifásico isomórfico. Porém, existem populações onde nunca foram encontradas plantas tetraspóricas ou sexuais e a reprodução restringe-se à vegetativa. No Brasil, como em outras partes do mundo, as populações mostraram uma freqüência maior de plantas tetraspóricas em relação às sexuais, ocorrendo, entretanto, uma freqüência muito alta de plantas não férteis. Não existem dados sobre variação ) sazonal dos estádios reprodutivos, tamanho do talo e grau de ramificação para populações ao sul do Estado de São Paulo. Além disso, a literatura não apresenta dados relacionando a variação desats características para a espécie. Quatro coletas sazonais foram realizadas em 3 locais na Ilha João da Cunha, para caracterizar, comparar e relacionar a composição dos estádios reprodutivos, tamanho e grau de ramificação. Os talos foram coletados aleatoriamente em 75 pontos de 0,25 'cm POT. 2' e analisados sob microscópio estereoscópico. O percentual de plantas não férteis nos 3 locais (57,6 à 92,1%) foi sempre superior à freqüência de plantas tetraspóricas (7,9 à 27,4%) ou sexuais (1,6 à 10,4%). Plantas tetraspóricas foram encontradas nos 3 locais em todas as estações do ano, enquanto que plantas sexuais foram encontradas em freqüência muito baixas, não ocorrendo em algumas estações. O tamanho das plantas do local sujeito ao maior hidrodinamismo foi sempre menor (entre 3,6 à 4,5 cm). Uma freqüência maiorde plantas mais ramificadas (entre quarta e sexta ordens) foi observada nos locais menos expostos ao hidrodinamismo e houve um aumento na freqüência de plantas mais ramificadas no outono (entre 0,8 e 9%). O tamanho das plantas não férteis foi sempre menor que de plantas férteis ao longo do ano nos 3 locais estudados, enquanto o grau de ramificação aumentou com o tamanho. Estas observações podem ser úteis para a explotação do banco, pois permitem propor um tamanho mínimo de coleta para que a população possa manter sua reprodução e um tamanho máximo de coleta, antes que as plantas tornem-se excessivamente ramificadas. No Brasil, a explotação de Pterocladiella capillacea iniciou-se na década de 40, mas a falta de conhecimento sobre sua biologia e utilização de métodos inadequados de coleta levaram ao esgotamento da matéria prima. Como os cultivos em campo de P. capillacea não apresentaram bons resultados, o ) manejo de bancos naturais parece ser uma alternativa para sustentar e aumentar a produção da espécie, por meio de métodos adequados de coleta. No presente estudo, comparou-se mensalmente dois métodos de poda e um controle em um banco natural através da observação do tamanho, recobrimento percentual e biomassa em áreas fixas de 400 c'm POT. 2' dispostas aleatoriamente em um local de abundância máxima na Ilha João da Cunha, Santa Catarina. O recobrimento percentual mostrou diferenças significativas entre os 3 tratamentos no quarto mês, quando o tratamento de cortecom tesoura foi significativamente menor que os tratamentos de arranque manual (p=0,0012) e controle (p=0,0001). A recuperação do tamanho no tratamentode arranque manual ocorreu no sexto mês e no tratamento de corte com tesoura ocorreu no quinto e sexto mês. No tratamento de arranque, a biomassa inicial (675,0 g'm POT. -2') foi maior que a do tratamento de corte (360,9 g'm POT. -2'). Porém, ao final do experimento, registrou-se um incremento de biomassa semelhante para os 2 tratamentos de poda (265,6 e 260,7 g'm POT. -2', respectivamente). O método de corte com tesoura parece ser mais adequado, pois toda a biomassa coletada é comercializável, evitando-se a necessidade de triagem posterior para a retirada de epibiontes e epífitas que o método de arranque manual exige. Além disso, as plantas submetidas à poda por corte com tesoura possuem tamanhos semelhantes, possibilitando que a coleta seguinte possa ser realizada antes que os talos tornem-se excessivamente ramificados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.03.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      YOSHIMURA, Cristalina Yoshie; BERCHEZ, Flávio Augusto de Souza. Aspectos da ecologia, biologia e manejo de bancos de Pterocladiella capillacea (Gelidiaceae, Rhodophyta) em costões rochosos da Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Yoshimura, C. Y., & Berchez, F. A. de S. (2001). Aspectos da ecologia, biologia e manejo de bancos de Pterocladiella capillacea (Gelidiaceae, Rhodophyta) em costões rochosos da Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Yoshimura CY, Berchez FA de S. Aspectos da ecologia, biologia e manejo de bancos de Pterocladiella capillacea (Gelidiaceae, Rhodophyta) em costões rochosos da Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina. 2001 ;
    • Vancouver

      Yoshimura CY, Berchez FA de S. Aspectos da ecologia, biologia e manejo de bancos de Pterocladiella capillacea (Gelidiaceae, Rhodophyta) em costões rochosos da Ilha João da Cunha, município de Porto Belo, Santa Catarina. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021