Exportar registro bibliográfico

Estudo morfológico comparado de galhas entomógenas em Baccharis concinna e Baccharis dracunculifolia da Serra do Cipó (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ARDUIN, MARCOS - IB
  • Unidades: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: MORFOLOGIA VEGETAL; BOTÂNICA
  • Language: Português
  • Abstract: O gênero Baccharis é considerado muito natural, pois seus representantes apresentam caracteres vegetativos comuns. As folhas de B. concinna e B. dracunculifolia apresentam, em geral, estrutura isobilateral, são anfiestomáticas, ostricomas glandulares são bisseriados e os tectores são, geralmente, longos em B. dracunculifolia e curtos em B. concinna. Os feixes vasculares são colaterais, frequentemente estão presentes fibras pericíclicas e cavidades esquizógenas, contendo substâncias lipofílicas, ocorrem abaixo do floema. Os caules jovens em ambas as espécies apresentam epiderme unisseriada com tricomas, colêquima angular/lacunar e cloroplastos estão presentes nas células córtex. A endoderme apresenta amiloplastos e suas paredes suberificam-se quando se inicia o crescimento secundário. O estelo é do tipo eustelo e a medula apresenta células consideravelmente maiores que as corticais. Estômatos são observados em caule de B. concinna, mas não em B. dracunculifolia. Por sua vez, nesta espécie observam-se inclusões de oxalato de cálcio nas células da medula, mas o mesmo não ocorre em B. concinna. Ductos esquizógenos associados à endoderme estão presentes nos caules. Com o avanço do crescimento secundário, estes ficam preenchidos com substâncias lipofílicas. Um revestimento epicuticular, a laca, está presente nas duas espécies, sendo mais conspícuo nas partes jovens. Galhas de ambrosia são induzidas pordípteros (Cecidomyiidae) e desprovidas de tecido nutritivo,pois a larva do indutor alimenta-se de hifas de fungos. As galhas de ambrosia de Baccharis concinna e B. dracunculifolia são constituídas por uma única câmara larval, contendo um indutor. São observadas hifas de fungos. Nas galhas de B. dracunculifolia, as hifas ficam confinadas à câmara larval e as células do parênquima paliçádico mostram-se alongadas. Nas galhas de B. concinna, as hifas estão presentes também entre células do clorênquima situadas ao redor ) da câmara larval. As células do clorênquima próximas à câmara larval alongam-se ligeiramente. As fibras pericíclicas do sistema vascular, em ambas as galhas, perdem as paredes secundárias. Quando o indutor está em fase pupal, as hifas de fungos aumentam em quantidade e preenchem várias partes da câmara larval. Nas hifas da galha de B. concinna verifica-se a presença de glóbulos lipofílicos, que estão ausentes nas hifas das galhas de B. dracunculifolia. Picnídios são observados somente nas galhas senescentes de B. dracunculifolia. Este trabalho é a primeira contribuição ao conhecimento de galhas de ambrosia na flora brasileira. Galhas induzidas por Neopelma baccharidis (Homoptera, Psyllidae) foram observadas em folhas jovens distendidas ou não de Baccharis dracunculifolia (Asteraceae). Três fases de desenvolvimento são reconhecidas nesta galha. Na primeira fase ocorre dobramento ao longo da nervura central, podendo ocorrer também torções nas folhas distendidas. Na fase seguinte, de intumescimento, agalha assume um formato fusiforme, notando-se uma fenda na porção superior, formada pela aproximação das margens foliares. Nessa fase, a câmara larval única fica recoberta por cera branca floculosa ou filamentosa. O intumescimento do mesófilo é causado, principalmente, por hiperplasia do tecido parenquimático; as cavidades secretoras aumentam em tamanho, mas não se observa acúmulo de secreção nas mesmas. Não é observada a formação de tecido nutritivo. O tecido vascular apresenta poucas modificações, porém as fibras pericíclicas perdem as paredes secundárias, tornando-se células parenquimáticas. Finalmente, na terceira fase, correspondente à senescente, a galha abre-se ao longo da fenda. As galhas são verdes, mas tornam-se escuras e secam, permanecendo presas ao caule por algum tempo. São discutidos os aspectos anatômicos da ontogênese da galha e relacionados alguns deles com aspectos ecológicos e da ) biologia do indutor. Um inseto pertencente à família Psyllidae (Homoptera), ainda não identificado, induz galhas por dobramento ou enrolamento em folha jovem de Baccharis concinna (Asteraceae). Na galha de dobramento, toda a lâmina foliar se dobra, espessa-se e forma uma única câmara larval, revestida pela epiderme da face adaxial; na de enrolamento, a folha se enrola, em maior ou menor grau, forma-se a câmara larval na porção central, sempre revestida pela epiderme da face adaxial, e também pode se formar uma câmara anexa, parte revestida por epidermeda face adaxial e parte pela da abaxial. A parte da folha que constitui a câmara larval torna-se espessada, enquanto que na parte que envolve o lado externo da câmara anexa isto não ocorre. Os dois tipos de galhas são revestidos externamente pela epiderme da face abaxial. Na região não espessada, as características estruturais são praticamente as mesmas das folhas sadias. Na região espessada, a epiderme permanece unisseriada e as células epidérmicas da face abaxial acumulam substâncias lipídicas. Na epiderme da face adaxial há algumas células hipertrofiadas. No mesófilo, a maioria das células parenquimáticas encontram-se hipertrofiadas, há perda de espaços intercelulares e os cloroplastos diminuem em número ou desaparecem totalmente. Dessa forma, essas células apresentam um aspecto hialino. A proliferação celular é mais restrita. No sistema vascular, há um pequeno aumento dos tecidos vasculares, principalmente floema, hipertrofia de céluas parenquimáticas e as fibras pericíclicas perdem as paredes secundárias. Os indutores alimentam-se de fluidos de floema e suas peças bucais estão modificadas em rostros. Estes são introduzidos no tecido vegetal até alcançar o floema e deixam como rastro a bainha salivar. Não há formação de tecido nutritivo. Comparando-se galhas formadas em plantas estaminadas com as que se formam emplantas pistiladas, não se ) observou diferenças estruturais entre elas. Duas galhas induzidas por lepidópteros em B. concinna ocorrem emcaules jovens, junto ao ápice ou a pequena distância dele. Uma apresenta formato fusiforme e a outra claviforme. Em ambas, a epiderme, córtex e sistema vascular não se alteram significativamente. O crescimento secundário ocorre normalmente, mas apesar do aumento em espessura, não há formação de periderma. A medula é consumida pela larva do indutor, reconstituindo-se em tecido parenquimático neoplásico, o qual é novamente ingerido. Na galha madura, quando o indutor está em fase pupal, nenhum tecido nutritivo típico é observado. O consumo do tecido medular leva á formação de uma câmara única, mas como o indutor permanece na parte superior, este trecho constitui a câmara pupal e a parte inferior, onde são depositados excrementos, de câmara fecal. A galha induzida por lepidóptero em B. dracunculifolia ocorre em caules jovens, em geral a certa distância do ápice. Tem formato cilíndrico e a epiderme, córtex e tecido vascular também são pouco afetados. A medula é consumida, formando a câmara única, subdividida em pupal e fecal. Na câmara fecal não se observa proliferação de tecido parenquimático neoplásio, mas este é abundante na câmara pupal enquanto o indutor está se alimentando. A periderme pode instalar-se em locais isolados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.12.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARDUIN, Marcos; KRAUS, Jane Elizabeth. Estudo morfológico comparado de galhas entomógenas em Baccharis concinna e Baccharis dracunculifolia da Serra do Cipó. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Arduin, M., & Kraus, J. E. (2000). Estudo morfológico comparado de galhas entomógenas em Baccharis concinna e Baccharis dracunculifolia da Serra do Cipó. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Arduin M, Kraus JE. Estudo morfológico comparado de galhas entomógenas em Baccharis concinna e Baccharis dracunculifolia da Serra do Cipó. 2000 ;
    • Vancouver

      Arduin M, Kraus JE. Estudo morfológico comparado de galhas entomógenas em Baccharis concinna e Baccharis dracunculifolia da Serra do Cipó. 2000 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020