Exportar registro bibliográfico

Estudo do IGF-I das IGFBPs em crianças com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: CUNHA, HELOÍSA MARCELINA DA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Assunto: PEDIATRIA
  • Language: Português
  • Abstract: A hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase caracteriza-se pela diminuição da produção do cortisol, com consequente aumento compensatório do hormônio adrenocorticotrófico, e elevação dos andrógenos adrenais, cursando comelevação da velocidade de crescimento e maturação óssea se não tratada ou insuficientemente tratada. Pouco se sabe até o momento a respeito dos mecanismos pelos quais os andrógenos adrenais estimulam essa aceleração do crescimento, e estudos associando as inter-relações entre o sistema IGF e os andrógenos adrenais também são escassos. Desse modo, este trabalho teve como objetivos avaliar as concentrações séricas do IGF-I e das IGFBPs em pacientes com hiperpiasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase e correlacionar os resultados encontrados com o grau de controle clínico dos pacientes (tratamento adequado ou insuficiente) e com os andrógenos adrenais. Foram acompanhados 31 pacientes pré-púberes, 19 com forma clássica perdedora de sal (9M e 10F), 10 com forma clássica virilizante simples (7M e 3F) e 2 com forma não clássica (2F), média de idade de 3,6 'mais ou menos' 2,6 anos. Amostras de sangue foram coletadas em média a cada 3 meses para a dosagem da testosterona, SDHEA, A4-androstenediona, IGF-I, IGFBP-1, IGFBP2, IGFBP-3, IGFBP-4 e insulina. Juntamente foi realizada avaliação clínica detalhada dos pacientes, os quais, segundo critérios definidos baseados na avaliação clínica e nos andrógenosadrenais, tiveram seu tratamento classificado em adequado, insuficiente ou excessivo. As IGFBPs também foram analisadas por Western Ligand Blotting. As concentrações séricas do IGF-I, quando analisadas de forma pareada no mesmo paciente (n=17), foram maiores nas situações com tratamento adequado comparado ao insuficiente, embora normais para a idade cronológica. Correlação positiva foi observada entre o IGF-I e a testosterona, e o IGF-I e o SDHEA, sugerindo provável ) regulação do IGF-I pelos andrógenos adrenais. Observou-se também correlação positiva entre o EDP do IGF-I e as doses m2/dia do glicocorticóide. Não houve diferença significativa na leitura de densidade óptica das bandas de 39-42 kDa(IGFBP-3), 30 kDa (IGFBP-1/5) e 24 kDa (IGFBP-4) entre tratamento adequado e insuficiente, porém encontrou-se diferença de intensidade na banda de 34 kDa (IGFBP-2), com maior intensidade nas situações de tratamento insuficiente. As concentrações séricas da IGFBP-3 e da insulina foram maiores no tratarnento adequado, enquanto que as concentrações séricas da IGFBP-1 e IGFB-2 foram maiores no tratamento insuficiente. Observou-se correlação negativa entre as concentrações sëricas de IGFBP-3e a androstenediona, e não foi observada correlação entre a IGFBP-1 e a IGFB-2 e os andrógenos adrenais. Demonstrou-se também correlação positiva entre o EDP da IGFBP-3 e as doses /m2/dia do glicocorticóide. Os resultados sugerem que a normalização da velocidade de crescimento observada nassituações de controle clínico adequado em crianças com hiperplasia adrenal congênita, envolva a modulação das ações do IGF-1 pelas IGFBPs. O tratamento com doses fisiológicas do glicocorticóide parece exercer influência na regulação das IGFBPs, inibindo a IGFBP-2 e regulando a proteólise da IGFBP-3. A participação dos andrógenos adrenais na regulação do sistema IGF deve também ser considerada
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.11.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PALHARES, Heloísa Marcelina da Cunha; MARTINELLI, Carlos Eduardo. Estudo do IGF-I das IGFBPs em crianças com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Palhares, H. M. da C., & Martinelli, C. E. (2000). Estudo do IGF-I das IGFBPs em crianças com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Palhares HM da C, Martinelli CE. Estudo do IGF-I das IGFBPs em crianças com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase. 2000 ;
    • Vancouver

      Palhares HM da C, Martinelli CE. Estudo do IGF-I das IGFBPs em crianças com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020