Exportar registro bibliográfico

Parâmetros salivares do metabolismo mineral ósseo na insuficiência renal crônica (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: COSTA, JOSE ABRAO CARDEAL DA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Assunto: MEDICINA INTERNA
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo do presente trabalho foi definir parâmetros bioquímicos salivares (cálcio, fósforo e magnésio) nos pacientes portadores de insuficiência renal crônica na fase pré-dialítica e em tratamento dialítico, e correlacioná-los com os níveis séricos de iPTH no sentido de fazer o diagnóstico precoce da osteodistrofia renal. No diagnóstico da osteodistrofia renal utilizamos a avaliação de parâmetros bioquímicos e hormonais relacionados ao metabolismo do cálcio e fósforo, e principalmente a biópsia óssea em pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento dialítico, mas este é um procedimento invasivo e não isento de riscos. Sendo assim, resolvemos avaliar os parâmetros bioquímicos salivares, a medida da ultra-sonometria óssea e correlacioná-los com os parâmetros bioquímicos e hormonais do metabolismo do cálcio e fósforo dos pacientes com insuficiência renal crônica avançada como metodologia de diagnóstico não invasivo da osteodistrofia renal. No presente trabalho estudamos 13 pacientes portadores de IRC na fase pré-dialítica, sendo 9 do sexo masculino e 4 do sexo feminino, com idade média de 45,8 '+ OU -' 4,4 anos e clearance de creatinina médio de 21,4 '+ OU -' 2,9ml/min/1,73M2; e 9 pacientes em tratamento dialítico, sendo 5 do sexo masculino e 4 do sexo feminino, com idade média de 36,2 + OU -' 3,9 anos e clearance de creatinina avaliado em apenas um paciente (0,37 ml/min/1,73M2), pois os demais não apresentavam diurese. Comocontrole foram utilizados 15 voluntários saudáveis, sendo 6 do sexo masculino e 9 do sexo feminino, com idade média de 34,9 '+ OU -' 2,4 anos. Os pacientes foram orientados a permanecerem em uma dieta padronizada por um período de no mínimo de 5 dias, a qual fornecia 2600 calorias/dia, 0,6 g/kg/dia de proteínas de alto valor biológico e 615 mg/dia de cálcio e fósforo para os pacientes na fase pré-dialítica; e 2600 calorias/dia, 1,2 g/kg/dia de proteínas de alto valor ) biológico a 850 mg/dia de cálcio e fósforo para os pacientes em hemodiálise, e a suspensão do uso de qualquer medicamento que pudesse interferir no metabolismo do cálcio e fósforo, incluindo quelantes de fósforo a vitamina D3. As amostras de sangue e saliva foram colhidas após obedecerem os requisitos previamente estabelecidos, e utilizados para determinação de cálcio total e iônico, fósforo e magnésio no sangue e na saliva; e fosfatase alcalina total e iPTH no sangue. Dos pacientes em programa de hemodiálise, 8 já haviam sido submetidos à biópsia óssea, e os resultados foram utilizados como padrão de osteodistrofia renal. Realizamos também a medida da ultra-sonometria óssea avaliada através davelocidade de propagação do som nos ossos, em todos os pacientes para determinação das alterações na massa óssea
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.10.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COSTA, José Abrão Cardeal da; FOSS, Milton César. Parâmetros salivares do metabolismo mineral ósseo na insuficiência renal crônica. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Costa, J. A. C. da, & Foss, M. C. (2000). Parâmetros salivares do metabolismo mineral ósseo na insuficiência renal crônica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Costa JAC da, Foss MC. Parâmetros salivares do metabolismo mineral ósseo na insuficiência renal crônica. 2000 ;
    • Vancouver

      Costa JAC da, Foss MC. Parâmetros salivares do metabolismo mineral ósseo na insuficiência renal crônica. 2000 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020