Exportar registro bibliográfico

Avaliação da participação de glicolipídeos de micobactérias na resposta inflamatória pulmonar em camundongos (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: LIMA, VALÉRIA MARÇAL FELIX DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPM
  • Assunto: IMUNOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: O glicolipídeo dimicolato de trealose (DMT), por estar localizado na parte externa da parede celular de micobactérias, pode ter papel importante nos processos inflamatórios iniciais, quando ocorre a interação entre o parasita e o hospedeiro nas infecções micobacterianas. Nesse trabalho, Mycobacterium tuberculosis foi submetida a tratamento com éter de petróleo, para a retirada desse glicolipídeo da parede, e os bacilos resultantes, viáveis e deslipidados (Mtb-d), foram estudados comparativamente com aqueles não deslipidados (Mtb), quanto à indução de reação inflamatória pulmonar e ativação celular. A reação, induzida pela inoculação intratraqueal de Mtb-d, mostrou ser de natureza aguda, não era persistente, cursava com baixos níveis de citocinas inflamatórias como IL-6, TNF-'alfa', IL-12 e IL-10, e as células do lavado bronco-alveolar mostravam baixa porcentagem de células pasitivas para os marcadores CD11b, CD40 e CD80. Esses dados iniciais sugerem que o DMT pode ter um papel importante no processo imunopatológico observado na tuberculose, pois induz a produção de citocinas capazes de aumentar a porcentagem de células positivas que expressam a moléculas de adesão CDl1b e as moléculas co-estimulatórias CD40 e CD80, que são fundamentais para a migração celular e desenvolvimento de reação inflamatória crônica. Além disso, o envolvimento do DMT com a alta produção de IL10, faz com que essa citocina regule negativamente as funções efetoras dos macrófagos etambém pode estar correlacionada com o aumento da suscetibilidade dos animais às infecções por micobactérias. Após a avaliação de que o DMT tinha importante papel no estabelecimento da reação inflamatória e na expressão de importantes moléculas para o controle da infecção micobacteriana, investigamos as atividades inflamatórias e estimulatórias do licolipídeo DMT purificado. Para isso, foram utilizados dois modelos experimentais: um dos modelos consistiu na ) inoculação intratraqueal de microesferas de PLGA contento DMT e o outro na inoculação endovenosa de partículas de carvão cobertas com uma camada desse glicolipídeo, mimetizando, a grosso modo, uma micobactéria. As microesferas foram inoculadas intratraquealmente em camundongos e após 60 dias verificamos intensa reação inflamatória com alta produção das citocinas TNF-'alfa'., IL-6, IL-12 e IL-10, 1L-4 e IFN-'gama' pelas células totais do pulmão, e, também, uma produção elevada de NO no sobrenadante de cultura das células do lavado broncoalveolar. Estes dados, obtidos "in vivo" pela inoculação de DMT, comprovavam a intensa atividade imuno-estimulatória desse composto descrita no parágrafo anterior e pode explicar em parte o efeito adjuvante do DMT. No outro modelo, pela inoculação endovenosa de partículas de carvão cobertas com esse glicolipídeo, foi observada migração celular característica, com intensa reação inflamatória ao redor das partículas embolizadas na microcirculação pulmonar. Para o estudo "in vitro",macrófagos peritoneais foram colocados sobre o DMT adsorvido em lamínulas. Após a estimulação, altos níveis das citocinas IFN-'gama', IL-6. TNF-e, IL-12 e IL-10 e NO foram detectados. Observamos também um aumento na atividade fagocítica em macrófagos pré-tratados com DMT. No entanto, verificamos uma diminuição na expressão das moléculas de classe 11 do MHC. Embora o DMT induza a secreção de quantidades elevadas de citocinas, que pode ter papel importante na imunidade inata, a diminuição na expressão de moléculas de classe II sugere um possível efeito modulador negativo na apresentação de antígenos. Em conclusão nossos dados sugerem que ocomposto DMT é um importante fator de virulência que colabora para a persistência da infecção através do recrutamento celular e liberação de mediadores inflamatórios que são fundamentais para a formação e manutenção da reação granulomatosa. Os dados obtidos ) servem para nortear o uso desse composto como adjuvante da resposta imune em experimentos usando vacinas de DNA ou terapia gênica contra tuberculose
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.06.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LIMA, Valéria Marçal Felix de; SILVA, Célio Lopes. Avaliação da participação de glicolipídeos de micobactérias na resposta inflamatória pulmonar em camundongos. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Lima, V. M. F. de, & Silva, C. L. (2000). Avaliação da participação de glicolipídeos de micobactérias na resposta inflamatória pulmonar em camundongos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Lima VMF de, Silva CL. Avaliação da participação de glicolipídeos de micobactérias na resposta inflamatória pulmonar em camundongos. 2000 ;
    • Vancouver

      Lima VMF de, Silva CL. Avaliação da participação de glicolipídeos de micobactérias na resposta inflamatória pulmonar em camundongos. 2000 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021