Exportar registro bibliográfico

Correlação bioquímica do soro com a saliva no diagnóstico da osteodostrofia renal em pacientes renais crônicos, em programa de hemodiálise (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: LUCCA, LEANDRO JÚNIOR - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Assunto: MEDICINA INTERNA
  • Language: Português
  • Abstract: Na década de 70 surgiram relatos dos níveis elevados de cálcio (CaT) e fósforo (P) na saliva, como manifestação do hiperparatireoidismo secundário à insuficiência renal crônica (IRC) em fase pré-dialítica e do hiperparatireoidismo primário, por provável ação do paratormônio (PTH) sobre a secreção das glândulas salivares, sugerindo-o como um método precoce no diagnóstico. Visando conhecer o comportamento de parámetros bioquímicos na saliva (Sa) e correlacioná-los com os do soro (So) de pacientes renais crônicos em hemodiálise (HD) e portadores de osteodistrofia renal (ODR), procedemos o presente trabalho. 8 indivíduos hígidos como controles (C), e 39 pacientes submetidos a punção biópsia óssea para diagnóstico da ODR, com idade entre 15-65 anos, foram submetidos a uma dieta por 5 dias com 1000-1200 mg/dia de Ca e P, e 615mg/dia de Ca e 850mg/dia de P, respectivamente; além de suspenso qualquer medicamento que interferisse no metabolismo do Ca e P. A seguir, observando-se os requisitos de metodologia para coleta de sangue e saliva, bem como para determinação dos parâmetros bioquímicos (CaT, P, CaxP, Mg, Alb, pH a ICa no soro e na saliva; FAT, 25'(OH) Ind. 2''D Ind. 3' 1,25'(OH)Ind. 2''D Ind. 3 no soro) e hormonais (IPTH no soro) foram obtidos os resultados, os quais foram estatisticamente e evidenciaram o que se segue 16 pacientes (41,03%) apresentaram diagnóstico histológico de doença adinâmica (AD), 11 (28,20%) doença mista (DM), 10 (25,64%) osteitefibrosa (OF), e2 (5,13%) osteomalácia (OM). A intoxicação por alumínio foi observada em 43,58% dos pacientes estudados. O tempo em tratamento conservador foi maior no grupo AD que DM (p<0.05); o consumo de 'Al Ind. 2''(OH) Ind. 3' foi maior no DM que AD (p<0,05); comparados os grupos "C" com o G1 (DM+OF) e G2 (AD+OM), notou-se consumo maior de 'A1 IND. 2''(OH) Ind. 3' no Gl que G2 (p<0,03). Comparando-se o "C" com o grupo total (GT), com os grupos AD DM, OF e OM, ) e com os grupos de alto (G1) e baixo (G2) remanejamento ósseo, notou-se apenas os parâmetros do soro elevados, e característicos da ODR conforme relatado na literatura. O ICa(Sa) representou aproximadamente 40% do ICa(So) dos controles, e 60-70% dos demais grupos estudados. Entretanto, na comparação de dados do Gl com AD, notam-se diferenças estatísticas significantes e associação da AD com: CaT(So)>9,5mg/dl; CaT(Sa)>6,Omg/dl; ICa(So)>1,15mmol/1; FAT(So)'<OU=' 122U/1; e iPTH(So)'<OU='250pg/ml. Concluí-se que: 1) a variabilidade de resultados na saliva é muito ampla, porém, a padronização dos métodos permite resultados confiáveis; 2) é preciso estudar um número maior de pacientes e controles, para se determinar os valores normais nestes, bem como os valores dos portadores de IRC com e sem ODR: 3) o ICA(SA) representa 40% do ICA(SO) nos controles, e 60-70% nos pacientes: 4) o iPTH(SO) não parece ser o responsável pelo níveis salivares de CaT, ICa e P de pacientes com IRC em hemodiálise, e portadores de ODR. O CaT(SA) e oICa(Sa) parecem depender principalmente da concentração no soro destes elementos; 5) os resultados não permitem diferenciar as formas histológicas da ODR; 6) a observação conjunta do CaT(SO)>9,5mg/dl, CaT(SA)>6,0mg/dl, ICa(SO)>1,15mmol/l, FAT(SO)'<OU='122 U/I e iPTH(SO)'<OU='250pg/ml, sugerem AD
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.05.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LUCCA JÚNIOR, Leandro; FERRAZ, Agenor Spallini. Correlação bioquímica do soro com a saliva no diagnóstico da osteodostrofia renal em pacientes renais crônicos, em programa de hemodiálise. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Lucca Júnior, L., & Ferraz, A. S. (2000). Correlação bioquímica do soro com a saliva no diagnóstico da osteodostrofia renal em pacientes renais crônicos, em programa de hemodiálise. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Lucca Júnior L, Ferraz AS. Correlação bioquímica do soro com a saliva no diagnóstico da osteodostrofia renal em pacientes renais crônicos, em programa de hemodiálise. 2000 ;
    • Vancouver

      Lucca Júnior L, Ferraz AS. Correlação bioquímica do soro com a saliva no diagnóstico da osteodostrofia renal em pacientes renais crônicos, em programa de hemodiálise. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021