Exportar registro bibliográfico

Incidência da deficiência de vitamina A em recém-nascidos pré-termo e sua associação com o desenvolvimento de displasia broncopulmonar (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: WEINMANN, ANGELA REGINA MACIEL - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Assunto: PEDIATRIA
  • Language: Português
  • Abstract: A vitamina A desempenha diversas funções no organismo, dentre elas se destaca seu papel fundamental na diferenciação e regulação dos tecidos muco secretores, especialmente do epitélio bronco respiratório. Recém-nascidos pré-termo apresentamníveis baixos de vitamina A, especialmente quando comparados aos de termo. Além disso, alguns estudos tém demonstrado uma associação entre deficiência de vitamina A e desenvolvimento de displasia broncopulmonar. O propósito do presente estudofoi de determinar a condição de vitamina A em recém-nascidos pré-termo, através da determinação sérica do retinol, das proteínas transportadoras: proteína ligadora do retinol a pré-albumina e do teste dose resposta relativa, nos primeiros 28dias de vida, bem como de avaliar a possivel relação entre vitamina A e incidência de displasia broncopulmonar. Foram estudados 124 recém-nascidos pré-termo, que constituíram três grupos de acordo com o peso ao nascer: grupo I: < 1000 gramas (n=30), grupo II: 1 000 a 1499 gramas (n=61) a grupo III: > 1500 gramas (n=33). A incidéncia de dïsplasia foi de 54,3%, 9,85 e 3% para o grupo , II e III, respectivamente. A vitamina A foi determinada por cromatografia líquida de alta pressão(HPLC), a proteína ligadora do retinol e pre-albumina por nefelometria. As medianas da concentração sérica do retinol, aos 7, 21 e 28 dias, nos três grupos, estiveram sempre acima de 20 ug/dL variando entre 21,64 ug/dL e 30,53u g/dL. Não houvediferença estatística entre osgrupos estudados (p>0,05). Os níveis da proteína ligadora do retinol também não diferiram entre os grupos, com valores de medianas variando entre 1,7 mg/dL a 2,5 mg/dL. Em relação a pré?albumina encontrou-se umaelevação no valor da mediana, aos 21 dias, para as crianças do grupo III, em relação ao I e II (p< 0,05). A incidéncia de deficiência de vitamina A avaliada pelo teste dose resposta relativa foi elevada aos 7 dias, 60%, e, aos 28 dias foi de (continuação) 40,3%, 28,7% a 35,8%, respectivamente. Não se encontrou diferença significativa nos níveis de vitamina A para o grupo com a sem displasia broncopulmonar, assim como não houve associação entre a resposta positiva ao teste aincidência de displasia, nos grupos I e II.Concluiu-se que a deficiência de vitamina A é elevada, especialmente quando avaliada pelo teste dose resposta relativa. Não foi possível, no presente estudo estabelecer uma associação entre displasiabroncopulmonar e níveis séricos de vitamina A, nível sérico < 20ug/dL e teste dose resposta relativa positivo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.05.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WEINMANN, Angela Regina Maciel; JORGE, Salim Moisés. Incidência da deficiência de vitamina A em recém-nascidos pré-termo e sua associação com o desenvolvimento de displasia broncopulmonar. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Weinmann, A. R. M., & Jorge, S. M. (2000). Incidência da deficiência de vitamina A em recém-nascidos pré-termo e sua associação com o desenvolvimento de displasia broncopulmonar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Weinmann ARM, Jorge SM. Incidência da deficiência de vitamina A em recém-nascidos pré-termo e sua associação com o desenvolvimento de displasia broncopulmonar. 2000 ;
    • Vancouver

      Weinmann ARM, Jorge SM. Incidência da deficiência de vitamina A em recém-nascidos pré-termo e sua associação com o desenvolvimento de displasia broncopulmonar. 2000 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021