Exportar registro bibliográfico

Alteração da espessura da fase livre da gasolina sob ação co-solvente do etanol (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA, MARIA ANISIA DE CASTRO - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GGE
  • Subjects: COMBUSTÃO; ETANOL; GASOLINA
  • Language: Português
  • Abstract: volume de etanol), em colunas distintas teve o propósito de verificar as mudanças nas propriedades da gasolina pela adição do álcool. A gasolina pura funcionou como parâmetro, e todas as modificações ocorridas no "outro" meio foramatribuídas ao álcool. Verificou-se que com o mesmo volume injetado, as duas gasolinas comportaram-se de maneiras diferentes. Os efeitos percebidos com a adição de etanol à gasolina resumem-se: - diminuição da espessura da fase livre ) devido a ação co-solvente do etanol na tensão interfacial água-gasolina; - a E-24 move-se mais rápido que a gasolina pura; - a relação de espessura da fase livre no poço de monitoramento e sua espessura no aqüífero foi de 4, para aE-24, e 2.6, para gasolina pura. Isto indica que o programa de remediação aplicado para a E-24 baseado nos dados para gasolina pura podem super estimar o volume de produto a ser recuperadoA busca de soluções para poluição do ar conduziu a adição de álcool na composição da gasolina. Com esta medida além da redução da emissão de monóxido de carbono para atmosfera o uso de etanol diminui a fração de produtos derivados de petróleo nocombustível. Entretando quando estende-se o tema para o efeito desta mistura ao meio ambiente (solo e águas subterrâneas) algumas propriedades ainda são desconhecidas. Na década de 90 a ciência mundial se voltou ao estudo do etanol devido adescoberta, por parte dos cientistas americanos dos danos causados pelo MTBE (methil tert-buthyl ether). Entretanto poucos trabalhos têm o etanol como alvo de pesquisas e formas de detecção no subsolo. O poço de monitoramento (PM) é uma dasferramentas aplicadas na verificação e quantificação da presença de gasolina no aqüífero. No entanto, os dados oriundos dos poços têm limitações, pos as condições de pressão, tensões e forças a que estão sujeitos os fluidos no meio poroso nãosão rebatidos para o interior do poço. No experimento desenvolvido neste trabalho, há demonstração visual da diferença entre os ambientes de acumulação de gasolina em termos de espessuras entre as lâminas de gasolina no poço e meio contíguo, e avalidade das equações aplicadas a correção desta diferença. O experimento consistiu na simulação de vazamento de gasolina diretamente na franja capilar em 2 (duas) colunas de laboratório. A utilização de duas misturas diferentes, gasolina pura eE-24 (24% em
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.09.2000
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Maria Anisia de Castro; OLIVEIRA, Everton de. Alteração da espessura da fase livre da gasolina sob ação co-solvente do etanol. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-05102015-144509/pt-br.php >.
    • APA

      Pereira, M. A. de C., & Oliveira, E. de. (2000). Alteração da espessura da fase livre da gasolina sob ação co-solvente do etanol. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-05102015-144509/pt-br.php
    • NLM

      Pereira MA de C, Oliveira E de. Alteração da espessura da fase livre da gasolina sob ação co-solvente do etanol [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-05102015-144509/pt-br.php
    • Vancouver

      Pereira MA de C, Oliveira E de. Alteração da espessura da fase livre da gasolina sob ação co-solvente do etanol [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-05102015-144509/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021