Exportar registro bibliográfico

Estudo da corrosão do duralumínio 2024 em concreto de cimento Portland (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LEITE, CRISTINA MACHADO CORREA - EP
  • Unidades: EP
  • Sigla do Departamento: PQI
  • Subjects: CORROSÃO; CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND
  • Language: Português
  • Abstract: A elevada resistência mecânica do duralumínio pode viabilizar a sua utilização como armadura em estruturas de concreto de cimento Portland. A vantagem em relação ao aço carbono é sua baixa massa específica, porém, não se estudou sua resistência àcorrosão nesse meio. O objetivo deste trabalho é estudar o comportamento de corrosão do duralumínio 2024 em meio aquoso, simulando o pH do concreto, e empregando-se corpos-de-prova embutidos em concreto. Foram utilizadas as seguintes técnicas:ensaios de perda de massa, medidas de potencial em circuito aberto, medidas de resistência à polarização linear e levantamento de curvas de polarização anódica. Na primeira etapa do trabalho foram realizados ensaios de perda de massa com oduralumínio 2024 na forma natural (sem anodização), em meio aquoso simulando o pH do concreto. Os ensaios foram planejados estatisticamente através de um projeto fatorial tipo '2 POT.3' (com pH da solução de Ca(OH)2, teor de Cl-, e tempo deimersão como variáveis independentes, e velocidade de corrosão como resposta), observou-se que a velocidade de corrosão aumentou com o pH, e diminuiu com o tempo para valores de pH mais elevados. O teor de Cl- não teve influência nas velocidadesde corrosão. Nas medidas do potencial de corrosão observou-se um comportamento similar no meio simulando o pH do concreto e com corpos-de-prova embutidos em concreto. O teor de Cl- não teve influência considerável no potencial em circuitoaberto, mas para temposde cura maiores os valores de potencial em circuito aberto foram mais positivos. Nas curvas de polarização anódica verificou-se a formação de uma camada superficial que limitou a densidade de corrente anódica, sendo queas densidades de corrente limite anódicas foram menores para as amostras embutidas, portanto o meio aquoso que simulou o pH do concreto foi mais agressivo. Nos ensaios para acompanhar o comportamento do duralumínio durante o tempo de cura do ) concreto, verificou-se que a velocidade de corrosão diminuiu com o tempo. Na segunda etapa pretendeu-se analisar a resistência à corrosão do duralumínio 2024 anodizado em comparação com a resistência do duralumínio na forma natural,embutido em concreto de cimento Portland, contaminado ou não por íons cloreto, variando-se o período e o ambiente de exposição dos corpos-de-prova (ao ambiente ou em câmara úmida). Nos ensaios de perda de massa e nos ensaios de resistência àpolarização linear, do duralumínio na forma natural e anodizado, embutido em concreto, observaram-se velocidades de corrosão menores para a liga anodizada. Nas medidas de potencial de corrosão observou-se que a anodização elevou o potencial decorrosão, em relação ao duralumínio na forma natural e que o teor de Cl- e a condição de exposição do concreto não tiveram influência sobre o potencial. Nos ensaios de polarização verificou-se, também, para o duralumínio anodizado, a formação deuma camada superficial que limitou a densidade de correnteanódica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.08.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LEITE, Cristina Machado Corrêa; AOKI, Idalina Vieira. Estudo da corrosão do duralumínio 2024 em concreto de cimento Portland. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Leite, C. M. C., & Aoki, I. V. (2000). Estudo da corrosão do duralumínio 2024 em concreto de cimento Portland. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Leite CMC, Aoki IV. Estudo da corrosão do duralumínio 2024 em concreto de cimento Portland. 2000 ;
    • Vancouver

      Leite CMC, Aoki IV. Estudo da corrosão do duralumínio 2024 em concreto de cimento Portland. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020