Exportar registro bibliográfico

Ácaros de palmeiras (Arecaceae) em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GONDIM JUNIOR, MANOEL GUEDES CORRÊA - ESALQ
  • Unidades: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: FITOSSANIDADE; ENTOMOLOGIA FLORESTAL
  • Language: Português
  • Abstract: As espécies de ácaros em palmeiras em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco foram avaliadas neste estudo. O número de espécies foi elevado, principalmente da superfamília Eriophyoidea e família Phytoseiidae. Doze espécies da superfamíliaEriophyoidea são relatadas, sendo 4 espécies novas para a ciência e 2 novos relatos para o Brasil. Retracrus johnstoni Keifer, um eriofideo da família Phytoptidae, apresentou a maior distribuição e número de plantas hospedeiras. Este foi tambémencontrado em altas populações em Syagrus romanzoffiana (Cham.) Giassman em Piracicaba, Estado de São Paulo e tem sido mencionado na literatura como importante praga de Arecaceae. A biologia deste ácaro foi estudada a 25,8'+ ou -'2.,O°C, 56±5%umidade relativa e 14 h de fotofase. Os parâmetros obtidos foram: desenvolvimento de ovo a adulto de 20,5 dias, longevidade de 19,1 dias, fecundidade de 5,4 ovos/fêmea e razão sexual de 2 fêmeas para 1 macho. Os sintomas causados por R.johnstoni foram descritos, e a morfologia de cada estágio de desenvolvimento e do esperinatóforo foram estudados através de microscopia eletrônica de varredura. Quarenta e quatro espécies de fitoscídeos foram identificadas, sendo 11 novas para aciência e 3 novos relatos para o Brasil. Iphisciodes zuluagai Denmark & Muma, foi o fitoseídeo mais comum e abundante. Devido a ocorrência comum deste ácaro em várias culturas, a compatibilidade reprodutiva entre populações coletadas em S.romanzoffiana e Citrussp., ambas identificadas como l. zuluagai, foi estudada. Ácaros de ambas populações foram cruzados livremente e produziram um número normal de descendentes, indicando que eles são compatíveis reprodutivamente, e que avegetação nativapode funcionar como reservatório de L zuluagai para plantas cultivadas comercialmente. O gênero Cocoseius foi redescrito. Outros grupos de ácaros são mencionados como as famílias Ascidae, Bdellidae, Cheyletidae, Cunaxidae, ) Eurodidae, Neophyllobiidae, Raphygnathidae, Stigmaeidae, Tarsonemidae, Tenuipalpidae, Tebranychidae e Tydeidae
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.08.2000
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GONDIM JUNIOR, Manoal Guedes Corrêa; MORAES, Gilberto Jose de. Ácaros de palmeiras (Arecaceae) em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco. 2000.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2000. Disponível em: < https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20200111-151600/ >.
    • APA

      Gondim Junior, M. G. C., & Moraes, G. J. de. (2000). Ácaros de palmeiras (Arecaceae) em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20200111-151600/
    • NLM

      Gondim Junior MGC, Moraes GJ de. Ácaros de palmeiras (Arecaceae) em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco [Internet]. 2000 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20200111-151600/
    • Vancouver

      Gondim Junior MGC, Moraes GJ de. Ácaros de palmeiras (Arecaceae) em áreas dos Estados de São Paulo e Pernambuco [Internet]. 2000 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20200111-151600/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020