Exportar registro bibliográfico

Parasitas intestinais e crescimento pondo-estatural na infância na cidade de São Paulo (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MUNIZ, PASCOAL TORRES - FSP
  • Unidades: FSP
  • Sigla do Departamento: HNT
  • Subjects: NUTRIÇÃO; DOENÇAS PARASITÁRIAS; CRESCIMENTO; PESO-ESTATURA; NUTRIÇÃO DA CRIANÇA; ESTUDOS TRANSVERSAIS; ESTUDOS LONGITUDINAIS
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Avaliar a influência que a infecção por parasitas intestinais exerce sobre o crescimento pondo-estatutal durante a infância na cidade de São Paulo. Método: Estudo de uma amostra probabilítica de 1.278 crianças menores de cinco anos deidade, realizado por intermédio de análise transversal e longitudinal, que compõe-se de um período de seis meses de seguimento sem intervenção e seis meses de seguimento após tratamento das parasitoses intestinais. Aas análises foram realizadasusando-se regressão linear múltipla, tendo como variáveis dependentes altura, peso, incrementos de peso e altura nos períodos de seguimento, sendo a variável independente presença ou ausência de parasitas intestinais nas fezes, ajustada parasexo, idade e variáveis sociais significativamente relacionadas com o crescimento infantil. Resultados: O parasita mais freqüente foi Giardia duodenalis (5,8 por cento), seguido de Ascaris lumbricoides (4,4 por cento) e Trichuris trichiura (1,1por cento). No estudo transversal, as crianças parasitadas possuíam, em média, menos 0,53 cm de altura, não atingindo significância estatística. Em relação ao peso, as crianças parasitadas possuíam, em média, menos 227 g de peso, quandocomparadas com o grupo não-parasitado com ajuste para idade, sexo e variáveis sociais com potencial de confusão. Do primeiro para o segundo período de seguimento, com ajuste para as variáveis idênticos ao período anterior, o déficit de peso dascrianças comgiardíase, em relação ao grupo controle aumentou em 223 gramas (p=0,058) e de altura diminuiu em 0,7 mm (0,827); na helmintíase, observou-se recuperação de 159g (p=0,871) e 0,5 mm (p=0,801), quando comparados com o gruponão-parasitado. Conclusões: Os modestos ou inexistentes efeitos das parasitoses intestinais no crescimento infantil podem ter ocorrido em razão da provável baixa carga parasitária e da pequena magnitude do déficit de crescimento existente tantonas ) crianças parasitadas quanto nas não-parasitadas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.06.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MUNIZ, Pascoal Torres; MONTEIRO, Carlos Augusto. Parasitas intestinais e crescimento pondo-estatural na infância na cidade de São Paulo. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Muniz, P. T., & Monteiro, C. A. (2000). Parasitas intestinais e crescimento pondo-estatural na infância na cidade de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Muniz PT, Monteiro CA. Parasitas intestinais e crescimento pondo-estatural na infância na cidade de São Paulo. 2000 ;
    • Vancouver

      Muniz PT, Monteiro CA. Parasitas intestinais e crescimento pondo-estatural na infância na cidade de São Paulo. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020