Exportar registro bibliográfico

Transição epidemiológica ou transição da epidemiologia: desafios da epidemiologia em relação às mudanças sociais (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VASCONCELOS, HENRIQUE NOGALES - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RMS
  • Subjects: MEDICINA PREVENTIVA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho procura discutir, de forma crítica, a evolução da Epidemiologia contemporânea para um distanciamento de seus compromissos iniciais com as condições de vida das populações humanas. Mas constata que o resgate dessa formulação inicialnão pode mais ser realizado de forma idealista, sem uma investigação epistemológica e histórica dessa evolução. Tomando-se como pressuposto que a evolução do conhecimento e das disciplinas científicas não se faz voluntariamente por um grupo deidealizadores, mas através de rupturas e conflitos que refletem as mudanças sociais e políticas, busca-se compreender a formação histórica dos conceitos básicos com que lida a Epidemiologia desde seus primórdios. No primeiro capítulo analisa-seo conceito e as representações sobre saúde e doença, que deram origem à medicina moderna, observando-se a aproximação contínua das situações de mudanças sociais, políticas e tecnológicas. Pressupõe-se, antes, que a ciência não é umempreendimento cumulativo, e que os cientistas estabelecem os limites de suas tarefas em consonância com suas crenças e com as determinaçães da comunidade científica. Essas limitações, no entanto, não impedem a ocorrência de revoluçõescientificas, rupturas no processo de conhecimento, que passam a delinear novos modelos teóricos. O conhecimento é também um processo de múltiplas invenções, muitas formas de abordagem sobre o mesmo objeto, e é essa rica imagem polissêmica queconstrói o mundo racional dosaber. A epidemiologia é uma ciência que também evolui por "atritos" e rupturas, e postula-se que o conceito de doença é que tem definido as múltiplas formas de construção dessa ciência. No segundo capítulo éapresentado o tema de transição, enfocando especialmente asteorias da Transição Epidemiológicas eda Transição Demográfica. A transição social e cultural determinadas pelo fato da modernização, podem ser notadas durante todo o processo deTransição ) Demográfica, com uma visão especial das mudanças nos perfis de mortalidade e fecundidade, e, mais recentemente, dos amplos processos de migração populacional. A Epidemiologia é também o resultado dessas mudanças sociais e culturaisque caracterizam principalmente esse período que vai dos finais do século XVIII. No terceiro capítulo procura-se resgatar uma proposta de humanização da ciência epidemiológica, a partir da identificação de suas crises. Enfoca-se a construção deuma ciência baseada no conceito de "pessoa", como uma categoria diferente de "indivíduo", rejeitando como conseqüência a transformação do sujeito em simples elemento de análise. Do mesmo modo, o projeto da vigilância epidemiológica é questionadoem sue formalizaão coercitiva, burocrática e normativa. Impõe-se uma revisão desse projeto no âmbito de uma vigilância mais criativa, dinâmica e positiva. Utiliza-se como referência o projeto da "Vigilâncía à Saúde segundo Condições de Vïda".Finaliza-se o texto levantando-se as principais críticas ao paradígma atualda epidemiologia, e se propõe uma revisão da literatura que aponta o esgotamento paradigmático da disciplina. As soluções que apontam para um aprofundamento doconhecimento biológico, ou as que reclamam um maior compromisso com a saúde pública, não são suficientes. Deve-se ampliar o debate para também incluir novas questões urgentes, como a da integração disciplinar para compreender melhor os novosdesafios diante de novas doenças a novas tecnologias, e a construção de um projeto humanizador para a ciência. A autonomia e a ética devem ser características intrínsecas de todo esse processo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.03.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VASCONCELOS, Henrique Nogales; NOGUEIRA, Jarbas Leite. Transição epidemiológica ou transição da epidemiologia: desafios da epidemiologia em relação às mudanças sociais. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Vasconcelos, H. N., & Nogueira, J. L. (2000). Transição epidemiológica ou transição da epidemiologia: desafios da epidemiologia em relação às mudanças sociais. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vasconcelos HN, Nogueira JL. Transição epidemiológica ou transição da epidemiologia: desafios da epidemiologia em relação às mudanças sociais. 2000 ;
    • Vancouver

      Vasconcelos HN, Nogueira JL. Transição epidemiológica ou transição da epidemiologia: desafios da epidemiologia em relação às mudanças sociais. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020