Exportar registro bibliográfico

Litogeoquímica e química mineral do Maciço Charnockítico Aimorés-MG (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: MELLO, FERNANDO MACHADO DE - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GGG
  • Subjects: ESTRATIGRAFIA; GEOQUÍMICA; QUÍMICA MINERAL; PETROLOGIA; MAGMATISMO
  • Language: Português
  • Abstract: O Maciço Intrusivo Aimorés localiza-se no limite dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, às margens do Rio Doce. Foram realizados trabalhos de mapeamento de semi-detalhe do maciço, estudos petrológicos, geoquímicos e isotópicos visandoelucidar a natureza do magmatismo gerador das suítes charnockíticas -monzodioríticas-graníticas, bem como suas implicações na evolução do magmatismo da região do vale do Rio Doce. O objetivo principal deste trabalho é mostrar os resultados dosestudos litogeoquímicos, de química mineral e isotópicos das rochas constitutivas deste plúton. A região do Rio Doce está localizada na parte centro-norte da Província Estrutural da Mantiqueira, à leste do Cráton do São Francisco. Esta provínciaé representada por um cinturão móvel Neoproterozóico, associado ao Ciclo Brasiliano (900-450 Ma). Este cinturão móvel retrabalhou um embasamento Paleoproterozóico ou mais antigo e foi acompanhado por extensa granitogênese neoproterozóica. Omagmatismo granitóide neoproterozóico da região em pauta tem sido dividido em termos tectônicos da seguinte maneira: pré-tectônico (representado pelos granitos da Suíte Galiléia), sin-tectônico (p.e. Suíte Urucum), tardi- a pós-tectônico (SuíteAimorés) e pós-tectônico (Complexo sienítico de Ibituruna). O Maciço Intrusivo Aimorés (MIA) é constituído de rochas básicas a intermediárias, na parte central, e de rochas ácidas na porção externa. Foram definidas, com base nos dadospetrográficos elitogeoquímicos, três suítes: (i) Suíte Monzodiorítica-Granodiorítica (SMG), (ii) Suíte Charnockítica (SC) e, (iii) Suíte Granada-Granítica (SGG). A primeira suíte é constituída de duas unidades de mapeamento: osMonzodioritos-Granodioritos com piroxênio (SMGp) e os Quartzo-Monzodioritos com titanita (SMGt). A segunda é constituida por duas unidades de mapeamento: (a) Quartzo-Monzonitos/Granitos com hiperstênio ou Charnockitos s.l (SCh) e, (b)Granitos porfiríticos ) (SCp); enquanto a terceira é composta por apenas uma unidade de mapeamento, os Granada-Granitos (SGG). As rochas do Maciço Aimorés definem um trend no diagrama QAP de Streckeisen (1973), que corresponde ao de uma série subalcalinamonzonítica no diagrama de Lameyre & Bowden et al. (1984). O índice de saturação em alumina (ACNK) das rochas do Maciço Aimorés aumenta com o índice de diferenciação, sendo correlacionado com o grau de evolução da rocha. Esta evolução éinicialmente rápida, tornando-se suave quando o ACNK é igual a um (cristalização da biotita). O fracionamento do andibólio (pobre em Al) aumenta com o ACNK. O MIA é caracterizado por conteúdos mais elevados em 'K IND.2'O e 'Fe IND.2''O IND.3POT.*'/('Fe IND.2'O IND.3 POT.*'+MgO) do que as suítes granitóides pré- e sin-tectônicas da região estudada. No diagrama R1 versus R2 de Batchelor & Bowden (1985), as rochas monzodioríticas e quartzo-monzodioríticas da SMG discriminam-se nocampo de granitóides relacionados ao soerguimento pós-colisional,enquanto as da SC discriminam-se no campo tardi-orogênico. A SGG situa-se no campo sin-orogênico. Estudos de química mineral efetuados nas suítes do maciço permitiram caracterizaros tipos de minerais existentes, bem como definir a existência de modificações tardi-magmáticas relacionadas ao reequilíbrio parcial no estado sólido das composições primárias de feldspatos, piroxênios e biotitas. A análise geotermométrica, combase na composição do par clinopiroxênio-ortopiroxênio, segundo o geotermômetro de Wood & Banno (1973), forneceu valores de temperatura de 812ºC e 876ºC, para a SMG; e de 860ºC, para a SC. A média de pressões obtidas no cálculo geobarométrico,com base em anfibólios a partir do método de Schimdt (1992), foi de 6,4 Kbars para a SMGp e 6,3 Kbars para a SCh. As análises isotópicas foram efetuadas pela sistemática Rb/Sr e Sm/Nd em rocha total, U/Th/Pb em monazitas e U/Pb em zircões. ) Destas análises, ressaltam-se os valores de "épsilon'IND.Nd' bastante negativos para as rochas da SMG e SC (entre -8,07 e -6,58), a idade de 498 '+OU-'35,6 Ma no diagrama concórdia pelo método U/Pb em zircões (intercepto inferior)da SC, e a idade de cristalização de monazitas em torno de 'DA ORDEM DE'490 Ma, para a SGG
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.04.2000
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MELLO, Fernando Machado de; MACHADO, Rômulo. Litogeoquímica e química mineral do Maciço Charnockítico Aimorés-MG. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44134/tde-25092014-152701/pt-br.php >.
    • APA

      Mello, F. M. de, & Machado, R. (2000). Litogeoquímica e química mineral do Maciço Charnockítico Aimorés-MG. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44134/tde-25092014-152701/pt-br.php
    • NLM

      Mello FM de, Machado R. Litogeoquímica e química mineral do Maciço Charnockítico Aimorés-MG [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44134/tde-25092014-152701/pt-br.php
    • Vancouver

      Mello FM de, Machado R. Litogeoquímica e química mineral do Maciço Charnockítico Aimorés-MG [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44134/tde-25092014-152701/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021