Exportar registro bibliográfico

Isolamento e caracterização de fungos da cromoblastomicose (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: VICENTE, VÂNIA APARECIDA - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LGN
  • Subjects: CROMOBLASTOMICOSE; FILOGENIA; FUNGOS; MARCADOR MOLECULAR; MICOLOGIA MÉDICA; NUCLEOTÍDEOS
  • Language: Português
  • Abstract: Os fungos dematiáceos compreendem um grande número de espécies agrupadas pela característica de apresentarem pigmentação na parede celular das células vegetativas e reprodutivas. São encontrados na natureza, integrando principalmente a microbiotado solo e a matéria orgânica em decomposição, distribuindo-se em regiões de clima tropical e subtropical. Muitos deles são sapróbios e de crescimento rápido, porém existem os que exibem tendência evolucionária à patogenicidade em hospedeirosvertebrados e são portanto reunidos dentro da família Herpotrichiellaceae. Entre as principais doenças causadas por estes agentes, destacam-se a cromoblastomicose e a feohifomicose. Em geral, a infecção ocorre devido à implantação traumáticadestes no tecido hospedeiro, podendo permanecer localizada com a formação de corpos muriformes no caso da cromoblastomicose ou interiorizar-se e disseminar-se com verificação de elementos fúngicos não diferenciados no tecido do hospedeiro,caracterizando a feohifomicose. A cromoblastomicose ocorre principalmente entre a população rural de zonas tropicais, relatada no Brasil e em especial distribuindo-se por todo o Estado do Paraná, onde o traumatismo por fragmentos vegetais é aprincipal causa da infecção. Desta forma, o presente trabalho foi realizado com a finalidade de isolar fungos dematiáceos relacionados com a cromoblastomicose em locais de ocorrência da doença, no Estado do Paraná e compará-los por meiodemicromorfologia, fisiologia, mercadores RAPD e seqüências ITS, com linhagens referência e de pacientes provenientes das regiões correspondentes aos locais de coleta. De um total de 540 amostras analisadas, foram recuperados 81 isoladosdematiáceos (15,0 %) com morfologia semelhante a dos agentes clássicos da cromoblastomicose, como Fonsecaea pedrosoí, Phialophora verrucosa e feohifomicose tais como Cladophialophora bantiana e Exophiala jeanselmei. Na região do primeiroplanalto foi ) recuperado o maior número de agentes, do os gêneros Ramíchioridium e Cladophialophora os mais freqüentes. Os isolados sapróbios foram comparados com linhagens referência de Rhínocladiella, Ramichloridium, Fonsecaea referência eisolados de pacientes com cromoblastomicose. Um grupo distinto foi formado para as espécies do gênero Fonsecaea , reunindo agentes da cromoblastomicose e alguns isolados sapróbios. Um subgrupo foi observado agrupando linhagens patógenas eisolados sapróbios provenientes da mesma região, geneticamente relacionados com o gênero Cladophialophora. Linhagens com morfologia tipo Ramichloridium foram encontradas dispersas por toda família Herpotrichiellacea. A formação de um complexodenominado C. arxii foi verificada reunindo a maior parte dos isolados sapróbios. Elementos de inserção, "intron", dentro da subunidade menor 18S do DNAR, foram observados nas espécies correlacionadas com o gênero Cladophialophora. As espéciesC. bantiana e E. spinifera, contendo agentes deinfecção sistêmica em potencial, apresentaram-se claramente separadas do grupo Fonsecaea, indicando uma possível distinção de agentes de infecção traumática cuja formação de corpos muriformesparece ser o principal fator de virulência em cromobiastomicose humana, assim como, os "introns' estão diretamente relacionados com a evolução dos agentes responsáveis por infecções sistêmicas. O potencial para a formação de corpos muriformes"in vitro", presença de "introns" e a proximidade genética com isolados patógenos demonstram o potencial patogênico dos isolados sapróbios
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.04.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VICENTE, Vânia Aparecida; PIZZIRANI-KLEINER, Aline Aparecida. Isolamento e caracterização de fungos da cromoblastomicose. 2000.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2000.
    • APA

      Vicente, V. A., & Pizzirani-Kleiner, A. A. (2000). Isolamento e caracterização de fungos da cromoblastomicose. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Vicente VA, Pizzirani-Kleiner AA. Isolamento e caracterização de fungos da cromoblastomicose. 2000 ;
    • Vancouver

      Vicente VA, Pizzirani-Kleiner AA. Isolamento e caracterização de fungos da cromoblastomicose. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021