Exportar registro bibliográfico

Adaptações morfológicas ao hábito alimentar em Thalassinidea (Crustacea: Decapoda) (2000)

  • Authors:
  • Autor USP: COELHO, VANIA RODRIGUES - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: HÁBITOS ALIMENTARES; CRUSTACEA
  • Language: Português
  • Abstract: Embora espécies de Upogebiidae historicamente tenham sido consideradas como filtradoras, estudos recentes mostram que muitas espécies deste grupo também se alimentam do sedimento. Neste trabalho os graus de especialização trófica de duas espéciesdesta família, Upogebia omissa e Pomatogebia operculata, foram analisadas. Os mecanismos alimentares, conteúdos estomacais e a morfologia dos apêndices envolvidos na alimentação, com ênfase nas cerdas, foram examinados. U. omissa, encontrada emsubstrato arenoso, é uma espécie troficamente generalista enquanto P. operculata habita galerias dentro de corais, sendo mais especializada em filtrar partículas. Somente 21% dos 57 tipos de cerda descritos foram comuns para ambas espécies. Ostipos de cerdas foram agrupados em três categorias principais; plumadas, serrilhadas e plumodenticuladas. Nenhuma cerda simples foi encontrada. U. omissa possui uma quantidade maior de tipos de cerda diferentes, com proporcionalmente mais tiposde cerdas serrillhadas e menos de plumodenticuladas do que P. operculata. O primeiro e o segundo pereiópodos possuem um importante papel no processo de coleta de alimento. As peças bucais possuem duas funções principais; escovar ereterpartículas, de maneira que o alimento possa ser transportado dos pereiópodos em direção à boca. Geralmente nestes apêndices, os dactyli e enditos basais são responsáveis por escovar partículas e os meri e enditos coxais pela retenção departículas. A diversidade dos tiposde cerdas e a complexidade da distribuição das mesmas nos apêndices podem estar relacionadas com a necessidade de selecionar e triturar partículas antes de ingerí-las, refletindo as diferentes estratégiastróficas utilizadas por U. omissa e U. operculata. As características das cerdas parecem ser indicadoras da relativa importância de um específico modo alimentar para espécies do mesmo grupo. No presente estudo foi investigado o comportamento ) trófico, conteúdo estomacal e morfologia dos apêndices envolvidos no processo alimentar, com ênfase em cerdas, de dois calianassídeos; uma espécie troficamente generalista Callichirus major e outra que se alimenta exclusivamentedosedimento, Sergio mirim. Somente 5% dos 87 tipos de cerda descritos foram comuns à ambas espécies. Os tipos de cerdas foram agrupados em quatro categorais principais; plumadas, serrilhadas , plumodenticuladas e simples. C. major possui umadiversidade maior de cerdas do que S. mirim. Relativamente à quantidade de cerdas presente em cada espécie, C. major possue uma taxa maior de tipos de cerdas serrilhadas em relação aos tipos de cerdas plumodenticuladas, e porcentagens similaresde cerdas plumadas e simples. Examinando as cerdas e a posição espacial dos apêndices envolvidos no processo alimentar, é possível inferir que a principal função dos dactyli, propodi e enditos basais é escovar partículas, enquanto os meri,ischia e enditos coxais retêm sedimento. A diversidade das cerdasencontrada nos apêndices envolvidos no sistema alimentar refletiu as diferentes estratégias tróficas das espécies de calianassídeos estudadas. Espécies que se alimentamexclusivamente do sedimento, com S. mirim, parecem ter uma quantidade menor de tipos de cerda do que espécies generalistas, com C. major. Aparentemente, a taxa mais elevada de tipos de cerdas serrilhadas em relação aos tipos de cerdasplumodenticuladas em Callianassidae depende mais da necessidade de triturar partículas antes da ingestão do que do mecanismo trófico utilizado pela espécie. O comportamento trófico, conteúdo estomacal e morfologia dos apêndices envolvidos noprocesso alimentar, com ênfase nas cerdas, de uma espécie de Laomediidae, Axianassa australis, foram investigados. Esta espécie se alimenta exclusivamente de sedimento. Os 32 tipos de cerdas descritos foram agrupados em 4 categorias principais:plumadas, ) serrilhadas, plumodenticuladas e simples. Examinando as cerdas e a posição espacial dos segmentos dos apêndices, é possível inferir que o primeiro e o segundo pereiópodos, terceiro maxilípede, assim como, o dactylus, propodus,carpus e merus do segundo maxilípede, estão adaptados para escovar partículas. O ischium, coxa e basis do segundo maxilípede parecem estar especializados em reter partículas. Em geral, a função principal dos enditos basais é escovar partículasenquanto que os enditos coxais as retêm. Padrões relacionados às adaptações morfológicas aos hábitos alimentaressão propostos para Thalassinidea com base nos resultados deste estudo e em revisão da literatura. A diversidade de cerdas, taxadetipos de cerdas plumodenticuladas em relação a tipos de cerdas serrilhadas e morfologia da mandíbula, estão aparentemente associados à adaptações ecológicas aos modos tróficos. Por outro lado, a presença e grau de desenvolvimento dacristadentata parecem estar mais relacionados à uma herança filogenética do que a mecanismos alimentares. O conteúdo estomacal também pode indicar os modos tróficos utilizados pelas espécies; enquanto que a predominância de partículas pequenassugere que o animal se alimenta do sedimento ou filtra partículas, conteúdos estomacais com elevadas quantidades de partículas maiores indica que alimentar-se do sedimento é o modo trófico exclusivo da espécie
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.02.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COELHO, Vania Rodrigues; RODRIGUES, Sérgio de Almeida. Adaptações morfológicas ao hábito alimentar em Thalassinidea (Crustacea: Decapoda). 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Coelho, V. R., & Rodrigues, S. de A. (2000). Adaptações morfológicas ao hábito alimentar em Thalassinidea (Crustacea: Decapoda). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Coelho VR, Rodrigues S de A. Adaptações morfológicas ao hábito alimentar em Thalassinidea (Crustacea: Decapoda). 2000 ;
    • Vancouver

      Coelho VR, Rodrigues S de A. Adaptações morfológicas ao hábito alimentar em Thalassinidea (Crustacea: Decapoda). 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021