Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo e do tecido Kranz das brácteas, e implicações ecológicas do rizoma de Cyperus giganteus Vahl (Cyperaceae) proveniente do Pantanal sul-mato-grossense (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RODRIGUES, ANA CLAUDIA - IB
  • Unidades: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: BOTÂNICA
  • Language: Português
  • Abstract: Cyperus giganteus ocorre no Pantanal habitando pequenas lagoas ou solo úmido a seco, ou seja, é anfíbia. O rizoma é simpodial com entrenós reduzidos. O promeristema origina a protoderme o procâmbio e o meristema fundamental; também está presenteo meristema de espessamento primário (MEP). A partir do MEP, diferenciam-se a endoderme e o periciclo. Posteriormente observa-se mudança de atividade da formação dos feixes vasculares. Esta mudança representa atividade secundária no vegetal,sendo o periciclo o próprio meristema de espessamento secundário (MES). Os elementos de vaso são ramificados e com diferenças estruturais entre aqueles produzidos pelo MEP e os produzidos pelo MES. O MEP origina também as raízes adventícias. Noápice radicular são evidentes a coifa com o caliptrogênio, o promeristema, a protoderme, o procâmbio e o meristema fundamental. O promeristema origina a protoderme e o meristema fundamental sendo possível observar-se a célula inicial comum aambos os tecidos. O córtex externo representa a hipoderme. A camada precursora da endoderme forma o córtex interno. Em níveis posteriores observa-se a aerênquima do tipo esquiso-lisígeno no córtex interno, cujas camadas mais internas, juntamentecom a endoderme se espessam. As brácteas apresentam anatomia Kranz do tipo clorociperoide; a bainha Kranz se origina do cordão procambial e a bainha mestoma do parênquima fundamental. Os cloroplastos das células da bainha Kranz apresentamtilacóidesconvolutos e retículo periférico conspícuo; os cloroplastos das células do mesofilo são relativamente menores, com granos e retículo periférico inconspícuo. Nos rizomas coletados nos dois ambientes observam-se diferençassignificativas: as paredes tanto das células endodérmicas como das células corticais adjacentes e bainha parenquimática dos traços foliares, apresentam-se mais espessadas no ambiente seco. É marcante também a diferença de quantidade relativa do ) amido e dos compostos fenólicos entre os dois nichos. No alagado o aerênquima é mais pronunciado e os entrenós mais alongados. São discutidas algumas causas prováveis dessas variações
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.02.2000

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUES, Ana Claudia; ESTELITA, Maria Emília Maranhão. Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo e do tecido Kranz das brácteas, e implicações ecológicas do rizoma de Cyperus giganteus Vahl (Cyperaceae) proveniente do Pantanal sul-mato-grossense. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Rodrigues, A. C., & Estelita, M. E. M. (2000). Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo e do tecido Kranz das brácteas, e implicações ecológicas do rizoma de Cyperus giganteus Vahl (Cyperaceae) proveniente do Pantanal sul-mato-grossense. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Rodrigues AC, Estelita MEM. Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo e do tecido Kranz das brácteas, e implicações ecológicas do rizoma de Cyperus giganteus Vahl (Cyperaceae) proveniente do Pantanal sul-mato-grossense. 2000 ;
    • Vancouver

      Rodrigues AC, Estelita MEM. Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo e do tecido Kranz das brácteas, e implicações ecológicas do rizoma de Cyperus giganteus Vahl (Cyperaceae) proveniente do Pantanal sul-mato-grossense. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020