Exportar registro bibliográfico

Análise quantitativa do desenvolvimento da fenda palpebral (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PAIVA, RAQUEL SOUZA NUNES - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: ROT
  • Subjects: PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS OFTALMOLÓGICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Foram estudadas 185 crianças, e um grupo controle formado por 35 adultos entre 20 e 39 anos de idade sem patologias oculares ou sistêmicas. Todos os indivíduos da população foram fotografados em estado alerta, focando-se apenas a fenda palpebral. Essas imagens foram transferidas para um microcomputador Power Macintosh 8100, processando-se apenas a imagem do olho direito pelo programa NIH 1.58. Foram analisadas as curvaturas palpebrais superior e inferior, a localização espacial do ponto máximo do contorno palpebral superior e mínimo inferior. Foram também medidos: largura da fenda palpebral, distância entre o centro da pupila e a margem palpebral (DMP) superior e inferior, área da fenda, ângulo formado pelos cantos interno e externo e o número de sulcos da pálpebra inferior. Utilizou-se análise de variância unifatorial e posterior comparação com o teste de Tukey. Observou-se: a) que tanto a pálpebra superior como a inferior sofrem modificações posicionais significativas durante a infância, sendo que a pálpebra superior está mais baixa no primeiro trimestre de vida, alcançando o ápice no final do primeiro trimestre e depois diminuindo lineramente até a idade adulta, e a inferior é mais alta aos 3 meses de idade, migrando inferiormente até os 18 meses de vida quando então se estabiliza, b) o aumento da área da fenda palpebral está intimamente ligado ao crescimento da largura da fenda palpebral, c) as curvaturas palpebrais superior e inferior não sofrem modificaçãodurante a infância e são semelhantes às dos adultos, d) até os 30 meses de vida o ponto mais alto da pálpebra superior é medial ao centro da pupila e após esta idade, inclusive nos adultos, o ponto mais alto é temporal ao centro da pupila, e) o ponto mais baixo da pálpebra inferior é temporal ao centro da pupila na maioria das crianças até os 36 meses de vida e em todas acima desta idade, inclusive nos adultos, f) os sulcos palpebrais inferiores único ) e duplo estão presentes na maioria dos casos em todas as faixas etárias, inclusive nos adultos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.12.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAIVA, Raquel Souza Nunes; CRUZ, Antônio Augusto Velasco. Análise quantitativa do desenvolvimento da fenda palpebral. 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Paiva, R. S. N., & Cruz, A. A. V. (1999). Análise quantitativa do desenvolvimento da fenda palpebral. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Paiva RSN, Cruz AAV. Análise quantitativa do desenvolvimento da fenda palpebral. 1999 ;
    • Vancouver

      Paiva RSN, Cruz AAV. Análise quantitativa do desenvolvimento da fenda palpebral. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020