Exportar registro bibliográfico

Dinâmica do nitrogênio ('ANTPOT.15 N') no sistema solo-cana-de-açúcar com ou sem queima da palhada (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, MAURO WAGNER DE - CENA
  • Unidade: CENA
  • Assunto: FERTILIDADE DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: Foram conduzidos experimentos em lisímetros para estudar a dinâmica do nitrogênio da uréia (15N) no sistema solo - cana-de-açúcar, em diferentes manejos, simulando condições de reforma e condução de canavial colhido com ou sem prévia despalha a fogo. Os lisímetros foram construídos de tambores plásticos com 220 litros de volume, contendo aproximadamente 250 kg da camada superficial (0-25cm) de um Podzólico Vermelho-Amarelo (PV), distrófico, textura areno-argilosa. O experimento foi instalado na área experimental do Departamento de Física e Meteorologia (DFM) da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", da Universidade de São Paulo (ESALQ-USP), de janeiro de 1996 a novembro de 1997, abrangendo os ciclos de cana-planta e de primeira rebrota da variedade SP80 1842. Nos lisímetros destinados ao estudo no ciclo de cana-planta, os tratamentos corresponderam a um fatorial 2x4 e foram distribuídos em blocos ao acaso, com três repetições. Os fatores foram: 1) adição diferenciada de dois tipos de restos culturais ao solo, em doses equivalentes a 13 e 19 t ha-1 de matéria seca, simulando, respectivamente, condições de reforma de canavial após a colheita da cana com ou sem prévia despalha a fogo; 2) doses de nitrogênio de 0, 899; 1798; e 2697 mg por lisímetro, equivalentes a 0; 30; 60; e 90 kg ha-1, usando-se uréia (15N). Nos lisímetros destinados ao estudo com a cana de primeira rebrota também foram adicionadas, por ocasião da sua montagem, as mesmasquantidades de restos culturais usadas para os da cana-planta; entretanto a dose de N aplicada foi a equivalente a 30 kg ha-1, empregando-se uréia com abundância isotópica natural. Nestes lisímetros, no ciclo de primeira rebrota, o experimento foi um fatorial 2x2x2, com três repetições em delineamento em blocos casualizados. Os fatores foram: (1) duas condições de superfície de solo: presença ou ausência de palhada de cana; (2) duas localizações da solução de uréia ) aplicada superficialmente ou enterrada no solo à profundidade de 15 cm ; (3) duas fontes de potássio: KCl ou vinhaça. A dose de nitrogênio e a de potássio foram equivalentes à 100 e 120 kg ha-1 de N e K2O, respectivamente. A massa de palhada colocada sobre o solo dos lisímetros, os mesmos que por ocasião do plantio simularam reforma do canavial em áreas sem queima, correspondeu a 20 t h-1 de matéria seca. Nos experimentos com cana-planta e na de primeira rebrota, foram feitas avaliações da lixiviação de nitrogênio no solo, com ênfase para o originário da uréia (15N); aproveitamento do 15N-fertilizante pela cultura, 15N-fertilizante residual no solo e balanço do 15N-fertilizante no sistema solo-planta. No experimento com cana de primeira rebrota, com a uréia aplicada em superficie (sobre a palhada ou solo nu) ou enterrada no solo a 15 cm de profundidade, quantificaram-se, com coletor semi-aberto estático, as perdas por volatilização de amônia, originárias da hidrólise da uréia. Avaliou-se,também, a influência da aplicação da uréia e vinhaça na decomposição da palhada colocada sobre o solo dos lisímetros. Os resultados obtidos nos dois experimentos indicaram que a utilização de lisímetros nos estudos de dinâmica do 15N possibilitou realizar medidas com boa precisão e fácil operacionalidade. Não foram verificadas perdas por lixiviação do nitrogênio derivado do fertilizante tanto na cana-planta quanto na de primeira rebrota, havendo, inclusive, reduzido movimento vertical do 15N-adubo nos lisímetros; pois mais de 70% do fertilizante recuperado no solo encontravam-se na camada de 0-30 cm. Somente na cana-planta ocorreu perda mensurável do N nativo do solo ou dos restos culturais, que equivaleu a 4,5 kg ha-1 de N. Para a cana-planta ocorreu efeito linear da adubação tanto no acúmulo de matéria seca quanto no de nitrogênio e no de sacarose aparente (POL). O nitrogênio na planta derivado do )fertilizante-15N (NPDF) variou de 6,8 a 16,2%, havendo também efeito linear de doses. A recuperação do 15N-adubo pela cana-planta foi em média de 54% e somente cerca de 10% do N do adubo não foi encontrado no sistema solo-planta. Na cana de primeira rebrota não foi verificado efeito da adição de uréia ou vinhaça na degradação da palhada, havendo diferença apenas entre a palhada inicial e as remanescentes, com redução na matéria seca de aproximadamente 70%. Mais de 90% do potássio contido na palhada foi liberado, enquanto para o P, Ca, Mg e S, esta liberação foide 60%. O N foi pouco mineralizado, pois mais de 80% permaneceu na palhada. No ciclo de primeira rebrota constatou-se também que tanto a forma de aplicação do fertilizante quanto a cobertura do solo influenciou a recuperação do 15N-fertilizante no sistema solo-planta. Pelo balanço de massas verificou-se que quando a solução de uréia foi aplicada sobre a palhada, a perda de fertilizante na forma de amônia oscilou em torno de 40% do N aplicado, causando decréscimos na produção de sacarose, da ordem de 15%, comparativamente ao tratamento em que o adubo foi enterrado no solo. As perdas gasosas doN-fertilizante pela parte aérea da cana de primeira rebrota foram próximas a 20% do N adubo. A análise de produção de sacarose por quantidade de N aplicado mostrou que a eficiência da cana de primeira rebrota foi em média 40% menor que a cana-planta, entretanto quando se analisou a relação por N contido na parte aérea, não houve diferenças significativas entre os tratamentos. Dos manejos estudados na cana de primeira rebrota somente no tratamento com a uréia enterrada no solo,sob a palhada de cana, houve balanço positivo do N total no sistema; assim, o estudo de formas alternativas de adubação e também geração ou melhoria de implementos aptos ao enterro do fertilizante no solo, sob o colchão de palhada, com o mínimo revolvimento destes restos culturais (continuação) contribuirá para que, com o passar dos anos, a cultura da cana-de-açúcar venha a ser menos dependentedas adubações nitrogenadas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.10.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Mauro Wagner de; TRIVELIN, Paulo Cesar Ocheuze. Dinâmica do nitrogênio ('ANTPOT.15 N') no sistema solo-cana-de-açúcar com ou sem queima da palhada. 1999.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1999.
    • APA

      Oliveira, M. W. de, & Trivelin, P. C. O. (1999). Dinâmica do nitrogênio ('ANTPOT.15 N') no sistema solo-cana-de-açúcar com ou sem queima da palhada. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Oliveira MW de, Trivelin PCO. Dinâmica do nitrogênio ('ANTPOT.15 N') no sistema solo-cana-de-açúcar com ou sem queima da palhada. 1999 ;
    • Vancouver

      Oliveira MW de, Trivelin PCO. Dinâmica do nitrogênio ('ANTPOT.15 N') no sistema solo-cana-de-açúcar com ou sem queima da palhada. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020