Exportar registro bibliográfico

Análise citogenética e estudo de resposta adaptativa em indivíduos expostos à radiação ionizanate (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: TAKAHASHI, SANDRA APARECIDA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGM
  • Assunto: GENÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Os efeitos da exposição humana a altas doses de radiação podem ser diversos, incluindo os processos de carcinogênese e mutagênese. Por outro lado, estudos in vitro e in vivo mostraram que a exposição das células a baixas doses de radiação é capazde induzir um fenômeno de radiorresistência quando as células são subseqüentemente expostas a doses elevadas. Tal fenômeno, conhecido como resposta adaptativa, tem sido atribuído à ativação de mecanismos de reparo de DNA induzidos por baixosníveis de radiação. Este estudo foi conduzido com o objetivo de monitorizar dois tipos de populações expostas in vivo à radiação ionizante: indivíduos profissionalmente expostos (grupo médico) a vítimas do acidente com o Cs (Goiânia), comrelação à indução de aberrações cromossômicas em linfócitos de sangue periférico. A análise de uma amostra de 8 médicos profissionalmente expostos aos raios-X e y por um período de 3,5 a 26 anos de trabalho (dose total acumulada variando de9,54a 209,42 mSv) mostrou que a freqüência de dicêntricos + anéis/100 células (0,30 ± 0,08) foi estatisticamente maior (p<0,01) que a do grupo de indivíduos não-expostos (0,02 ± 0,02). As doses absorvidas, estimadas a partir da curva decalibração para dicêntricos+anéis/célula construída no próprio laboratório, variaram de 0,07 a 0,20 Gy, indicando uma exposição acima do limite recomendável de 0,05 Gy/ano. Contudo, não se observou correlação positiva entre a freqüência dedicêntricos + anéis a tempode serviço, dose acumulada ou idade. Com relação ao grupo de vítimas do acidente em Goíânia, a análise dos linfócitos do sangue periférico, coletados de 13 indivíduos 7,5 anos após o acidente, não mostrou diferençassignificativas em relação ao grupo de indivíduos não-expostos. Neste caso, provavelmente ocorreu uma queda nas freqüências de aberrações em função do tempo, devido ao fato de que os linfócitos carregando aberrações instáveis tendem a sereliminados da ) circulação sangüínea. Os experimentos de resposta adaptativa foram realizados expondo-se cps linfócitos de 7 médicos e 3 vítimas do acidente de Goiânia a uma dose adaptativa (0,01 Gy) administrada 5 h após a estimulação mitogênica,seguida pela exposição a doses de 1,0; 2,0 ou 3,0 Gy 5li após a dose adaptativa. Observou-se uma heterogeneidade muito grande na resposta celular à radiação, dependendo do doador e das doses de radiação, não sendo detectada uma "respostaadaptativa" em nenhum dos grupos estudados. Os linfócitos de indivíduos não-expostos (controles pareados), submetidos aos mesmos procedimentos, também não exibiram tal fenômeno. Estes resultados indicam a ausência de resposta adaptativa, tantoem indivíduos expostos quanto em indivíduos não expostos, quando os linfócitos são irradiados na fase Gi do ciclo celular. Em 4 amostras de sangue de vítimas do Cs, foram realizados experimentos de radiossensibilidade, expondo-se as culturas delinfócitos a altas doses de radiação (0,75; 1,5 a 3,0Gy)durante a fase G0, do ciclo celular. Tais experimentos mostraram que, após a exposição in vitro à dose de 3,0 Gy, o grupo de vítimas do Cs apresentou freqüências maiores de deleções eaberrações/100 células, em relação aos indivíduos não-expostos. Assim, a exposição in vivo à radiação ionizante não parece ser capaz de desencadear o fenômeno de resposta adptativa após exposição in vitro a altas doses, mas pode aumentar aradiossensibilidade dos linfócitos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.12.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HYODO, Sandra Aparecida Takahashi; SAKAMOTO-HOJO, Elza Tiemi. Análise citogenética e estudo de resposta adaptativa em indivíduos expostos à radiação ionizanate. 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Hyodo, S. A. T., & Sakamoto-Hojo, E. T. (1999). Análise citogenética e estudo de resposta adaptativa em indivíduos expostos à radiação ionizanate. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Hyodo SAT, Sakamoto-Hojo ET. Análise citogenética e estudo de resposta adaptativa em indivíduos expostos à radiação ionizanate. 1999 ;
    • Vancouver

      Hyodo SAT, Sakamoto-Hojo ET. Análise citogenética e estudo de resposta adaptativa em indivíduos expostos à radiação ionizanate. 1999 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021