Exportar registro bibliográfico

Saúde e doença mental: conceitos e assistência segundo portadores, familiares e profissionais (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: OSINAGA, VERA LUCIA MENDIONDO - EERP
  • Unidade: EERP
  • Sigla do Departamento: ERP
  • Assunto: ENFERMAGEM PSIQUIÁTRICA
  • Language: Português
  • Abstract: A partir da vivência profissional com o indivíduo, portador de distúrbio mental, assim como, de seus familiares questionamos a visão dos mesmos a respeito deste processo de adoecer e suas respectivas convivências com a assistência disponível.Assim, buscamos conhecimentos e métodos para encontrar respostas. 0 objetivo desta pesquisa foi conhecer as opiniões sobre saúde l doença mental e assistência, junto a uma amostra constituída de 250 sujeitos, (100 portadores, 109 familiares e 41profissionais) em dois serviços psiquiátricos no Rio Grande do Sul. Construímos e validamos uma escala de Medida de Opinião - EMO, composta por 56 afirmativas sobre Saúde e Doença Mental onde o sujeito demonstra seu grau de concordância comoconteúdo expresso. Os dados quantitativos foram analisados com provas não-paramétricas a os qualitativos através de comparações entre as respostas que sobressaíram nos três grupos nas duas categorias: Conceito e Assistência em Saúde e DoençaMental. Dessas análises, concluímos que os grupos diferem tanto na categoria Conceito como na categoria Assistência; os portadores estão mais concordantes com relação às afirmações sobre os Conceitos seguidos dos familiares a dos profissionais.Sobre a Assistência, houve maior concordância dos familiares, seguido dos portadores e dos profissionais. 0 teste Wilcoxon permitiu concluir que os portadores a os profissionais tendem a concordar mais freqüentemente com relação aoConceito deSaúde/Doença Mental do que com Assistência. Das respostas ao EMO, analisadas qualitativamente, destacamos que houve maior concordância quanto o Conceito de que cuidar do doente mental é uma tarefa difícil e pouco valorizada como competênciaprofissional e carrega o equívoco de que o uso de drogas leva à doença mental. Esta questão traz para a enfermagem uma preocupação, pois muitos desses profissionais não são reconhecidos como alguém que precisa de preparo para trabalhar ) com doentes mentais. Com relação à Assistência, concordam principalmente que a única solução para o problema do doente mental é a internação em hospital psiquiátrico a que pouco se sabe sobre a loucura, a doença mental, seus limitese suas delimitações. A partir dessa pesquisa, estamos convencidas da importância do papel da família e de profissionais engajados no processo de Assistência em Saúde e Doença Mental. Este estudo permite profundas reflexões sobre a assistência emsaúde mental, sendo importante contribuição temática e metodológica, nesta área
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.09.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OSINAGA, Vera Lúcia Mendiondo; FUREGATO, Antonia Regina Ferreira. Saúde e doença mental: conceitos e assistência segundo portadores, familiares e profissionais. 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Osinaga, V. L. M., & Furegato, A. R. F. (1999). Saúde e doença mental: conceitos e assistência segundo portadores, familiares e profissionais. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Osinaga VLM, Furegato ARF. Saúde e doença mental: conceitos e assistência segundo portadores, familiares e profissionais. 1999 ;
    • Vancouver

      Osinaga VLM, Furegato ARF. Saúde e doença mental: conceitos e assistência segundo portadores, familiares e profissionais. 1999 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021