Exportar registro bibliográfico

Comportamento alimentar materno em regime de seleção de nutrientes alterações no comportamento de ratos (Rattus norvegicus) (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: BEINNER, ROSANA PASSOS CAMBRAIA - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Assunto: PSICOBIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A ingestão de alimento deve ser suficiente para suprir as necessidades metabólicas do organismo. Como os alimentos contêm diferentes proporções de nutrientes, deve-se manter um balanço adequado para que as necessidades do organismo sejam supridas. Os animais apresentam variações no padrão de refeições, corn características específicas para cada espécie. Durante a lactação a investigação da relação entre ingestão de macronutrientes a padrão alimentar pode fornecer evidências sobre o comportamento alimentar materno durante este período de grande demanda. Objetivos: 1) Avaliar o desempenho alimentar de ratas-mães com tamanho médio de ninhada (8 filhotes) e com grande ninhada (16 filhotes) quanto à seleção demacronutrientes, em relação aos padrões de ingestão de nutrientes, consumo de energia a relação proteína/energia PCaI%; 2) Avaliar o desenvolvimento ponderal de filhotes de ninhadas de diferentes tamanhos (8 ou 16 filhotes); 3) Detectar alterações do padrão alimentar (refeição a taxa de ingestão), a na distribuição temporal da alimentação materna; 4) Determinar os períodos de ocorrência de visitas ao comedouro com alimento sem ocorrência de ingestão. Metodologia: ratas (Rattusnorvegicus) Wistar pesando entre 200 a 250 gramas foram acasaladas e após o parto constituíram ninhadas de 8 ou 16 filhotes. Foram alojadas individualmente em gaiolas de acrílico transparente a aço inoxidável, medindo 36 x 30 x 16 cm, a três túneis pare comedouros a uma altura de 9 cmdo fundo da gaiola. O consumo de alimento foi monitorado através de 3 balanças digitais da marca Ohaus (USA) posicionadas sob cada um dos três comedouros. Na sala adjacente ao biotério as informações das balanças foram armazenadas em um computador PC-Pentium, permitindo o registro automático das pesagens. O registro da ingestão foi tomado a cada 30 segundos durante 24 horas. Este consumo de alimentos foi registrado nos dias 1, 4, 7, 10 a 13 da lactação. As ) ratas-mães constituíram os seguintes grupos: S8 (seleção de nutriente com 8 filhotes), D8 (dieta composta com 8 filhotes), S16 (seleção de nutriente com 16 filhotes) a D16 (dieia composta com 16 filhotes). Os animais foram mantidos em um ciclo de claro-escuro de 12 horas, com a temperatura entre 21 a '25GRAUS' C. Durante a lactação foi realizado registro diário de peso materno e de ninhada, assim como de ingestão de dieia. Foi estipulado como uma refeição um período de permanência no túnel superior a 30 segundos como tempo mínimo de alimentação. Considerou-se terminada a refeição quando o período de alimentação no túnel foi seguida de 10 minutos (intervalo mínimo entre refeições) sem entrada no túnel para se alimentar novamente. Não ocorreu diferença significativa quanto ao peso médio materno entre os grupos durante todo o período de estudo, enquanto que a partir do dia 6 da lactação fica evidente a diferença de peso dos filhotes devido ao tamanho da ninhada (8 ou 16 filhotes). No dia 11 dalactação passa a ocorrer diferença significativa entre os grupos D8 a S8 a entre estes dois grupos (D8 com valor superior) a os dois grupos com 16 filhotes (S16 e D16). Os grupos com 16 filhotes (S16 e D16) apresentaram maior valor de consumo calórico principalmente na primeira semana de lactação, em relação aos grupos com 8 filhotes (S8 e D8). A relação diária de ingestão proteína/energia PCaI% foi superior para os grupos em seleção, mantendo-se constante durante o período, e não ocorreu diferença entre grupos quanto à energia consumida em cada 100g de alimento. A ingestão proteíca foi maior para os grupos S8 e S16, enquanto que a energia consumida do carboidrato foi similar para todos os grupos. O consumo de calorias da gordura foi superior para o grupo S16 na 1a semana da lactação. A freqüência de refeições foi maior para o grupo S16 no dia 4, enquanto que o tamanho das refeições diferiu no dia 13 da ) lactação com o grupo D16 apresentando valor menor que os demais grupos, e o intervalo entre refeições variou principalmente no período claro. O tempo em alimentação foi maior para os grupos em seleção (S8 a S16) no período claro, enquanto que maior para os grupos com dieta composta (D8 a D16) no período escuro. A taxa de ingestão de proteína foi maior para o grupo S8 no dia 4, e a taxa de ingestão da gordura foi major para o grupo S16 nos dial 1, 7 e 13 da lactação. Verificou-se major freqüência de visitas aos comedouros com alimento sem ingestão para o grupo S16 emrelação ao grupo D16, sendo que ocorreu maior freqüência de visitas ao carboidrato para o grupos em seleção a grande ninhada no dia 7 da lactação. Conclusões: O paradigma da seleção de dieta empregado nesta pesquisa forneceu informações relevantes sobre os teores protéico a energético adequados ao metabolismo de ratas-mães durante a lactação, fornecendo informações detalhadas sobre o comportamento alimentar materno. A manutenção do peso materno durante a lactação evidencia mobilização das reservas corporais maternas, que associada à habilidade de selecionar o próprio alimento, promoveu o desenvolvimento dos filhotes. Uma suposição para o menor peso corporal de filhotes S8 em relação aos filhotes D8 seria o fato de que ratas-mães em seleção parecem se movimentar mais (procurando e alternando entre nutrientes), e já que não alteram seu peso corporal devido a este exercício, poderia ocorrer uma alteração na produção e fornecimento de leite para a ninhada. A ingestão de alimentos pelas ratas lactantes em seleção de nutrientes mostrou uma otimização do comportamento alimentar em relação à utilização da proteína. A densidade calórica (Calorias/100g de alimento) foi constante para todas ratas lactantes, sendo que ocorreu uma inversão de porcentagem energética entre proteína e carboidrato, com a vantagem da seleção de proteína fornecer base ) biológica para a produção de leite e de massa corporal. As ratas mães S16 alteram seu comportamento alimentar e certamentetambém seu comportamento materno, realizando outros comportamentos. não-maternais, neste caso as visitas ao comedouro sem ocorrência de alimentação. A distribuição temporal da alimentação de acordo com o ciclo circadian, mostra que as refeições (freqüência e tamanho) foram distribuídas igualmente nos períodos claro a escuro, o intervalo entre refeições foi maior no período claro, e a duração da alimentação durante o período claro foi maior para os grupos em seleção. A ocorrência de maior freqüência de visitas ao comedouro foi no período noturno, ciclo de atividades dos ratos, no entanto ratas-mães S16 visitaram mais que os outros grupos no período claro. As ratas-mães em seleção a com grande ninhada modificaram seu comportamento alimentar e certamente também seu comportamento materno, realizando outros comportamentos não-maternais, neste caso as visitas ao comedouro com alimento sem ocorrência de alimentação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.10.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BEINNER, Rosana Passos Cambraia; OLIVEIRA, Luiz Marcelino de. Comportamento alimentar materno em regime de seleção de nutrientes alterações no comportamento de ratos (Rattus norvegicus). 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Beinner, R. P. C., & Oliveira, L. M. de. (1999). Comportamento alimentar materno em regime de seleção de nutrientes alterações no comportamento de ratos (Rattus norvegicus). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Beinner RPC, Oliveira LM de. Comportamento alimentar materno em regime de seleção de nutrientes alterações no comportamento de ratos (Rattus norvegicus). 1999 ;
    • Vancouver

      Beinner RPC, Oliveira LM de. Comportamento alimentar materno em regime de seleção de nutrientes alterações no comportamento de ratos (Rattus norvegicus). 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021