Exportar registro bibliográfico

Aplicações de técnicas espectróscopicas e oilarográficas para caracterização e avaliação da reatividade do húmus com o herbicida atrazina (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated author: SIMÕES, MARCELO LUIZ - IFSC
  • School: IFSC
  • Sigla do Departamento: FFI
  • Subject: QUÍMICA DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: Uma alternativa para o destino dos resíduos urbanos é a reciclagem através da compostagem e vermicompostagem (produção de húmus). A falta de padrão de qualidade destes materiais tem prejudicado o desenvolvimento dessa alternativa, tendo prejuízos, produtores e consumidores. Neste trabalho procurou-se parâmetros que pudessem ser utilizados para padronização. Por Ressonância Paramagnética Eletrônica (EPR) as amostras com nível de radicais livres semiquinona de '10 POT.17' spin/gde amostra e '10 POT.18' spin/g de carbono, ou superior, indicaram melhor qualidade do produto, no que se refere ao grau de humificação. Com o objetivo de avaliar o potencial de sorção do húmus e seu possível efeito catalítico na degradação e fotodegradação do herbicida Atrazina (AT), realizou-se vários experimentos. Resultados de espectroscopia no Ultravioleta e Visível (UV-Vis) mostraram que, para pH's próximos do pKa da AT (1,68) o húmus possui similar efeito catalítico que ácidos húmicos e fúlvicos na degradação da AT. Em pH neutro não foi observado degradação da AT, mesmo para altas concentrações de húmus e longos períodos de interação (262 dias). A partir de dados de Polarografia de Pulso Diferencial (PPD) em conjunto com dados de UV-Vis, observou-se uma curva de sorção da AT com máximo (20%) em torno de pH 4,0, decaindo para menos de 5% de sorção para os demais pH’s utilizados (2,0; 6,0; 7,0; 8,0 e 10,0). Dados de EPR não mostraram reações de transferênciade elétrons entre a AT e ohúmus. Assim, considerando a forma da curva de sorção, observada por PPD, o mecanismo de reação mais importante entre a AT e o húmus é via ligação hidrofóbica. Experimentos de fotodegradação da AT com luz UV-Vis(300-450 nm) mostraram maior eficiência no processo quando da presença do húmus. Isto ocorreu, provavelmente, devido à ação de agentes fotooxidantes da AT, formados a partir do húmus excitado pela radiação UV. Observou-se também, uma ) dependência com a concentração de húmus, sendo que, dentro do intervalo de 10 a 1800 ‘mg.L POT.-1’ houve maior fotodegradação da AT para valores em torno de 300 ‘mg.L POT.-1’
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.12.1999
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SIMOES, Marcelo Luiz; MARTIN NETO, Ladislau. Aplicações de técnicas espectróscopicas e oilarográficas para caracterização e avaliação da reatividade do húmus com o herbicida atrazina. 1999.Universidade de São Paulo, São Carlos, 1999. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-20052010-165701/ >.
    • APA

      Simoes, M. L., & Martin Neto, L. (1999). Aplicações de técnicas espectróscopicas e oilarográficas para caracterização e avaliação da reatividade do húmus com o herbicida atrazina. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-20052010-165701/
    • NLM

      Simoes ML, Martin Neto L. Aplicações de técnicas espectróscopicas e oilarográficas para caracterização e avaliação da reatividade do húmus com o herbicida atrazina [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-20052010-165701/
    • Vancouver

      Simoes ML, Martin Neto L. Aplicações de técnicas espectróscopicas e oilarográficas para caracterização e avaliação da reatividade do húmus com o herbicida atrazina [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76132/tde-20052010-165701/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020