Exportar registro bibliográfico

Contribuição ao estudo das rochas granitóides e mineralizações associadas da suite intrusiva Velho Guilherme, província estanífera do sul do Pará (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: TEIXEIRA, NILSON PINTO - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GGE
  • Subjects: MINERALOGIA; ROCHAS ÍGNEAS
  • Language: Português
  • Abstract: básico tem sido sugerido, hipoteticamente, como sendo a fonte para a fusão parcialde rochas granulíticas máficas na base da crosta inferior. Neste trabalho não se descarta a hipótese da participação de sistemas do tipo "hot-spot" como fonte de calor para a fusão parcial dos protólitos dos granitóides estudados nem tampouco omodelo de plumas do manto. Os granitóides em pauta podem ainda estar relacionados à atividade magmática distal associada tanto à evolução da orogenia Maroni-Itacaiúnas, quanto à orogenia Tapajós-Ventuári. O conjunto de dados comentados nestetrabalho permite estabelecer que nas áreas de ocorrência dos maciços granitóides, ora estudados, são remotas as possibilidades da existência de importantes depósitos de elementos litófilos (por exemplo estanho), com perspectivas de explotaçãoeconômica. Pode representar uma exceção a isso, a área de abrangência do maciço granitóide Mocambo, já que na mesma, ainda, existe uma reserva estocada (comunicação verbal). Entretanto, sua explotação dependerá sempre dos rumos futuros domercado internacional, hoje extremamente desfavorávelOs maciços granitóides Mesoproterozóicos Antônio Vicente, Velho Guilherme, Mocambo, Benedita, Ubim/Sul e RioXingu, da Suite Intrusiva Velho Guilherme, ora estudados, pertencentes à Província Estanífera do Sul do Pará(PESP), encontram-se alojadosem rochas arqueanas, tanto do Terreno Granito-Greenstone do Sul do Pará(TGGSP) quanto em sequências do embasamento arqueano retrabalhado, constitutivas do Cinturão de Cisalhamento Itacaiúnas. São anorogênicos, possuem composições sieno amonzograníticas, com termos álcali-feldspato graníticos subordinados e mostram-se afetados, em diferentes graus, por alterações tardi a pós-magmáticas. Apresentam natureza subalcalina, são peraluminosos a metaluminosos, de paleoambiênciaintra-placas e assemelham-se aos granitóides tipo-A, do sub-grupo-'AIND.2'. A cristalização fracionada foi, ao que tudo indica, o principal processo petrogenético que governou a evolução dos granitóides da suite. Os diferenciados mais evoluídose hospedeiros de mineralizações de Sn mostram um grau extremo de diferenciação('SiOIND.2'>75%) e são produtos de fracionamento magmático e da interação com fluidos tardi a pós-magmáticos ricos em voláteis(F, Cl). Esses fluidos foram responsáveispela extração de 'SnPOT.+2', a partir das fases minerais primárias, especialmente, da biotita, incorporando-o às soluções residuais onde, ao que tudo indica, oxidou-se, passando para a forma 'SnPOT+4' e depositando-se comocassiterita('+OU-'kersterita/estanita). Dados petrográficos, dequímica mineral (anfibólio, biotita, clorita) e geoquímicos, demonstraram que os granitóides dessa suite evoluíram, em grande parte, sob condições magmáticas de baixaf'OIND.2'('APROXIMADAMENTE IGUAL A' '10POT.-18'), as quais estenderam-se para o estágio de alterações tardi a pós-magmáticas. Indicam, ainda, que os mesmos foram colocados em níveis crustais rasos, a temperaturas e pressões variáveis entre 690 e'890 GRAUS'C e 0,8 e ) 4,0 kbar, respectivamente. Os valores de 'delta''18 GRAUS' (+8 a +9%o) referentes a quartzo 1 dos referidos maciços sugerem que os granitóides do maciço Mocambo derivaram de uma fonte provavelmente distinta daquela dos granitóidesdos dois outros maciços ora comentados. Dados isotópicos Pb-Pb(valores de 'mü'1) e Sm-Nd['épsilon'Nd(t)] indicam uma fonte crustal para os magmas geradores dos granitóides estudados, bem como demonstram que os protólitos dos mesmos evoluíram emestágio único e diferenciaram-se diretamente do manto entre 3,2 Ga e 3,0 Ga, conforme é indicado pelas suas idades modelo ('T IND.DM') a saber: 1) 3,2 Ga-maciço granitóide Antônio Vicente; 2) 3,0 Ga- maciço granitóide Rio Xingu; 3) 3,0 Ga-maciçogranitóide Mocambo. Os valores fortemente negativos 'épsilon'Nd(t), respectivamente, 11,939(rocha total) /-12,20 (zircão);-8,08(zircão);-11,87(rocha total)/-12,36(zircão), pressupõem o envolvimento de uma crosta predominantemente Arqueana, oumesmo uma provável mistura de uma componente de material derivado do mantocom componentes de material crustal Arqueano em 3,2 Ga(maciço granitóide Antônio Vicente) e 3,0 Ga(maciços granitóides Rio Xingu e Mocambo). Deve-se ressaltar,entretanto, que os valores de 'épsilon'Nd (t= 1862 '+Ou-'32 Ma) igual a -8,08, idade modelo('T IND.DM) de 3,0 Ga e "delta'POT.18'O=+8,8 a +9,0% dos granitóides do maciço Mocambo, são diferentes daqueles relativos aos maciços Antônio Vicente,Velho Guilherme e Rio Xingu. Conjectura-se, assim, que: a) os granitóides do maciço Mocambo evoluíram a partir de um protólito de idade ('T IND. DM') mais jovem do que aquele dos granitóides do maciço Antônio Vicente; b) o protólito dosgranitóides do maciço Mocambo tinha características isotópicas [("delta'POT.18'O e 'épsilon'Nd(t)] distintas daquelas dos protólitos dos granitóides dos maciços Antônio Vicente, Velho Guilherme e Rio Xingu. A relação Th/Ta referente aosgranitóides ) dos maciços Velho Guilherme, Benedita e Rio Xingu sugere uma fonte dominantemente de crosta continental superior. Adicionalmente, a razão inicial 'ANTEPOT.87 Sr'/'ANTEPOT.86 Sr'=0,708 '+OU-' 0,048 obtida em granitóides do maciçoVelho Guilherme indica um baixo grau de contaminação por crosta mais antiga. Em relação aos granitóides do maciço Ubim/Sul, a razão Th/Ta sugere uma fonte magmática localizada em um segmento crustal um pouco mais profundo do que a crostasuperior. O amplo espalhamento composicional observado em relação aos granitóides do maciço Antonio Vicente parece representaruma mistura de material do manto com componentes de crosta profunda e crosta continental e talvez, até, umacontribuição adicional de sedimentos. Apesar disso, os granitóides estudados não desenvolveram concentrações econômicas de metais (classe mundial). Mesmo os depósitos de cassiteritas, explotados, eram fracos e tornaram-se inviáveiseconomicamente. Embora reconheça-se que os granitóides sejam diferenciados extremamente silicosos e evoluídos, os processos de diferenciação magmática, estado de oxidação, a cristalização fracionada e outros fatores, não foram suficentes paragerar concentrações econômicas de elementos litófilos, como era de se esperar. Do mesmo modo, na liberação de voláteis, o fracionamenteo líquido-líquido ou, enfim, a carga fluidal atuante no estágio de alterações tardi a pós-magmáticas nãopropiciou a formação de depósitos importantes. Em razão do que foi comentado acima, acredita-se que granitóides da Suite Intrusiva Velho Guilherme evoluíram a partir da fusão de diferentes segmentos crustais, com participação e mistura dematerial mantélico, de composições particulares e empobrecidos em elementos produtores de calor (U, Th, Rb e K). Talvez a mistura de uma componente de material mantélico empobrecido em elementos litófilos com componentes crustais de crostainferior e de crosta continental ) superior, também, empobrecidos, tenha sido o fator determinante para gerar granitóides com essas características geoquímicas. "Underplating" de magma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.10.1999
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TEIXEIRA, Nilson Pinto; BETTENCOURT, Jorge Silva. Contribuição ao estudo das rochas granitóides e mineralizações associadas da suite intrusiva Velho Guilherme, província estanífera do sul do Pará. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-22122015-110743/pt-br.php >.
    • APA

      Teixeira, N. P., & Bettencourt, J. S. (1999). Contribuição ao estudo das rochas granitóides e mineralizações associadas da suite intrusiva Velho Guilherme, província estanífera do sul do Pará. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-22122015-110743/pt-br.php
    • NLM

      Teixeira NP, Bettencourt JS. Contribuição ao estudo das rochas granitóides e mineralizações associadas da suite intrusiva Velho Guilherme, província estanífera do sul do Pará [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-22122015-110743/pt-br.php
    • Vancouver

      Teixeira NP, Bettencourt JS. Contribuição ao estudo das rochas granitóides e mineralizações associadas da suite intrusiva Velho Guilherme, província estanífera do sul do Pará [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-22122015-110743/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021