Exportar registro bibliográfico

Fazer e dizer em uma tarefa de encaixe com crianças: natureza da tarefa e o papel de instruções e de contingências (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: CAVALCANTE, MARIA REGINA - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: PSICOLOGIA EXPERIMENTAL; COMUNICAÇÃO VERBAL; COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL; REFORÇO
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo buscou descrever o desempenho motor de crianças em uma tarefa de encaixe, sob duas condições: Com e Sem Instrução. Buscou-se ainda verificar se, sob estas condições haveria correspondência entre o comportamento não verbal e o que a criança dizia sobre o que estava fazendo. Para a consecução destes objetivos, 32 crianças entre 5 e 6 anos forma expostas - em sessão única - a uma tarefa de encaixar peças nos furos de um tabuleiro, de acordo com as dimensões forma, tamanho e cor. A cada peça encaixada, a pesquisadora conseqüenciava caso a resposta estivesse de acordo com a instrução e/ou com a contingência programada. A programação de contingências foi alterada a cada bloco de 15 tentativas até que fosse cumprido o critério para finalizar a tarefa (105 tentativas). Na condição Com Instrução estas podiam ser imprecisas e precisas, as quais, por sua vez, podiam ser correspondentes ou discrepantes do desempenho motor seqüênciado. Em ambas as condições, solicitou-se as crianças, em várias oportunidades, que descrevessem seu desempenho na tarefa de encaixe. A conseqüenciação do comportamento verbal era contingente à descrição das contingências correspondente ou discrepante do desempenho motor conseqüenciado. Os resultados mostraram que na Condição Com Instrução apenas uma criança seguiu a instrução enquanto que o desempenho de uma outra foi controlado pelas contingências. Já na Condição Sem Instrução apenas uma criança apresentou desempenho de acordo com ascontingências. Quanto à correspondência entre o comportamento motor e verbal, a maioria das crianças na Condição Com Instrução mostrou correspondência esporádica. Já a maioria das crianças da Condição Sem Instrução não mostrou qualquer correspondência. Os resultados deste estudo são diferentes , na sua maioria, dos descritos na literatura sobre os efeitos de regras e contingências sobre o comportamento não verbal. Esta diferença se deve provavelmente aos procedimentos de coleta de dados ) adotados, os quais não favoreceram a ocorrência de controle seja pelas instruções de controle ou pelas contingências. Conclui-se que quando sob grande variabilidade de condições, não se observa o efeito de instruções, freqüentemente descrito na literatura
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.04.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAVALCANTE, Maria Regina; MATOS, Maria Amelia. Fazer e dizer em uma tarefa de encaixe com crianças: natureza da tarefa e o papel de instruções e de contingências. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Cavalcante, M. R., & Matos, M. A. (1999). Fazer e dizer em uma tarefa de encaixe com crianças: natureza da tarefa e o papel de instruções e de contingências. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Cavalcante MR, Matos MA. Fazer e dizer em uma tarefa de encaixe com crianças: natureza da tarefa e o papel de instruções e de contingências. 1999 ;
    • Vancouver

      Cavalcante MR, Matos MA. Fazer e dizer em uma tarefa de encaixe com crianças: natureza da tarefa e o papel de instruções e de contingências. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021