Exportar registro bibliográfico

Nos confins da metrópole: o urbano às margens da represa Guarapiranga, em São Paulo (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: MARTINS, SERGIO MANUEL MERENCIO - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLG
  • Subjects: GEOGRAFIA HUMANA; GEOGRAFIA URBANA; BACIA HIDROGRÁFICA (CONSERVAÇÃO;MANEJO); SANEAMENTO BÁSICO
  • Language: Português
  • Abstract: A partir das tendências de deterioração das águas da represa Guarapiranga, um dos principais mananciais para o abastecimento de água da região metropolitana de São Paulo, que se agravaram durante os anos 80, sobretudo em função do aporte de esgotos domésticos oriundo da extensão precária do tecido urbano na área correspondente à bacia hidrográfica sob fortes restrições desde a intituição da chamada lei de proteção aos mananciais em meados do decênio anterior, a atuação do Estado passou a se valer de outros instrumentos para enfrentar a realidade urbana perante a qual aquele aparato legal mostrou-se flagrantemente inócuo para o cumprimento de seus propósitos formais. O programa de saneamento ambiental da Bacia do Guarapiranga, esboçado inicialmente no âmbito da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, de acordo com as preocupações referentes à elevação nos custos para o tratamento das águas do reservatório, bem como com as potenciais implicações à ampliação do sistema adutor metropolitano decorrentes de tal comprometimento,foi redimensionado por equipes do governo estadual e do Banco Mundial, que passou a ser um dos financiadores. Passando a contar com uma arquitetura institucional cujos pressupostos e objetivos, como constam nos documentos oficiais, incluem a participação das diversas instâncias do governo estadual e dos governos municipais que têm interesses específicos na represa, a participação de entidades representantes da sociedade civil,"de forma a garantir uma legitimação das ações/medidas que venham a ser implementadas", e a constituição de uma unidade de gerenciamento com vistas à centralização das ações de coordenação e supervisão de sua consecução, "em resposta à demanda do próprio Banco", o programa Guarapiranga foi apresentado como uma espécie de experiência preparatória à concepção de uma "nova política" voltada aos mananciais. O que acabou ocorrendo ao final de 1997, fato saudado por vários profissionais e estudiosos. (Cont ) Consentânea com um modelo institucional engendrado no sentido de emoldurar os conflitos e contradições envolvidos no uso das águas no quadro do que se convencionou denominar de gerenciamento dos recursos hídricos, a "nova política" foi fortemente bafejada pela ecologização da questão urbana. A partir das indicações da incorporação decisiva de tais representações da urbanização pela ação do Estado, observei, neste trabalho, que as concepções sobre a vida social a partir da definição dos papéis e lugares a serem ocupados pelos indivíduos para a manutenção do equilíbrio "da casa", atualizam e complementam as práticas historicamente utilizadas pelas classes dominantes, periféricas e heterônomas, para prevalecer no Brasil. A conformação de um arranjo institucional consagrado a por em cena o cidadão postiço e caricato, representado pelo usuário, ele próprio representante de uma democracia dessubstancializada, atada ao mundo das mercadorias, ao movimentofantasmagórico das formas sociais produzidas pelos próprios homens, mas que se sobrepõem às necessidades sociais e se nutrem delas, tem reforçado a recusa secular das classes dominantes no Brasil ao reconhecimento do 'Outro' e sua conseqüente negação às tentativas de constituição de um campo da política referido às necessidades advindas da sociedade civil com vistas à configuração de um espaço público enquanto práxis transformadora simultaneously with an institutional model framed to deal with the conflicts and contradictions related to the use of water usually refered to as management of water resources, the "new policy" was heavily influenced by the ecologization of the urban question. Based on indications of incorporation of the above-mentioned representations by state actions, I have argued in this thesis, that the conceptions about social life based on the roles and places to be occupied by individuals in order to maintain "household" equilibrium, update and complement the practices that have historically been used by the heteronomous, peripherical dominant classes to maintain their rule in Brazil. The format of the institutional arrangement introduces an artificial and caricature citizen represented by the user who himself represents a democracy without substance, tied to the world of commodities and to the imaginary movement of social forms produced by man. Such institutional arrangement above social needs while at the same time structured by them, hasreinforced the secular refusal of the dominant classes in Brazil in recognizing the Other. Cosequently it has also denied any attempts of constituting a field of politics based on the needs of the civil society and aiming at the formation of a public space as praxis of social change
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.08.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARTINS, Sérgio Manuel Merêncio; SEABRA, Odette Carvalho de Lima. Nos confins da metrópole: o urbano às margens da represa Guarapiranga, em São Paulo. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Martins, S. M. M., & Seabra, O. C. de L. (1999). Nos confins da metrópole: o urbano às margens da represa Guarapiranga, em São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Martins SMM, Seabra OC de L. Nos confins da metrópole: o urbano às margens da represa Guarapiranga, em São Paulo. 1999 ;
    • Vancouver

      Martins SMM, Seabra OC de L. Nos confins da metrópole: o urbano às margens da represa Guarapiranga, em São Paulo. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021