Exportar registro bibliográfico

O bumba-meu-boi maranhense em São Paulo: dimensões semióticas (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: BUENO, ANDRÉ CURIATI DE PAULA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLL
  • Subjects: FESTAS POPULARES; CULTURA POPULAR; ANTROPOLOGIA CULTURAL E SOCIAL; SEMIÓTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho apresentamos uma pesquisa de campo sobre uma manifestação anual do Bumba-meu Boi maranhense em São Paulo, acompanhada de reflexões semióticas sobre como essa festa popular organiza sua significação. Na introdução relatamosnossaaproximação inicial com o Bumba-boi e com a Capoeira, e as primeiras pesquisas de campo e levantamentos bibliográficos que realizamos. No primeiro e segundo capítulos apresentamos o Bumba-boi em seu contexto cultural nacional e maranhense,eavaliamos bibliografias disponíveis sobre o tema nas áreas de literatura brasileira, antropologia, folclore, estudos africanos e etnossemiótica. No terceiro capítulo documentamos as toadas cantadas na manifestaçào de 20/06/92, acompanhadasdenotações esquemáticas dos programas narrativos relacionados. Nos capítulos 4, 5 e 7 descrevemos a manifestação encadeada das três festas que se fazem tradicionalmente entre abril e setembro, todos os anos. Ressaltamos como as toadascantadasinteragem no rito do Bumba-boi, com breves ensaios de análise semiótica cancional. E o capítulo 6 traz transcrições e discussões sobre a "comédia" teatral oral que se apresenta em cada Bumba-boi: a narrativa presente nessa "comédia" équepermite compreender o ciclo narrativo anual como um todo. Acrescentam-se comentários e notas sobre as aquisições da pesquisa de campo (registro em áudio em São Paulo e no Maranhão), que permitiam resgatar sucessivamente no Maranhãodadosnarrativosmenos detalhados na "brincadeira de Boi" feita em São Paulo. A abordagem semiótica colaborou na organização desses dados de pesquisa, para a definição da semiótica-objeto e para a observação da produção coletiva de umdiscursoetnomusical sincrético. Após apresentar o desfecho da manifestação anual, com a festa da "Morte do Boi", desenvolvemos nos capítulos 7,8 e 9 uma avaliação da geração de sentidos na narrativa. A conclusão que se delineia, sobre como oconjuntosignificante do Bumba-boi organiza os sentidos relacionados a vida e morte, permite reentender aquele estilo semiótico do confronto, tão presente nos temas cantados, na dança e na "comédia" do rapto do boi. E fica claro como a representaçãodoconfronto entre as personagens Nego Chico, Amo e índias alude ao processo civilizatório brasileiro e à colaboração inter-étnica em nossa história social. O valor da Força Vital é que transita entre esses sujeitos e o boi. Nossa propostadecontinuidade que se elabora a partir desses estudos vem projetada no apêndice final, e diz respeito a uma comparação possível entre o Boi maranhense e outras etnossemióticas afrobrasileiras
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.06.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BUENO, André Curiati de Paula; TATIT, Luiz. O bumba-meu-boi maranhense em São Paulo: dimensões semióticas. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Bueno, A. C. de P., & Tatit, L. (1999). O bumba-meu-boi maranhense em São Paulo: dimensões semióticas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Bueno AC de P, Tatit L. O bumba-meu-boi maranhense em São Paulo: dimensões semióticas. 1999 ;
    • Vancouver

      Bueno AC de P, Tatit L. O bumba-meu-boi maranhense em São Paulo: dimensões semióticas. 1999 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020