Exportar registro bibliográfico

O conceito de gozo em Lacan - algumas incidências sobre a direção do tratamento na clínica das neuroses (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: PÉCHY, SILVIA HELENA STUHR - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSC
  • Subjects: PSICANÁLISE; TRANSTORNOS NEURÓTICOS; PSICOLOGIA; GOZO (PSICANÁLISE)
  • Language: Português
  • Abstract: Partindo da constatação de que o conceito de gozo, criado por Lacan, é utilizado de maneiras diversas e algumas vezes até opostas para a formalização da clínica lacaniana das neuroses, indagamo-nos neste trabalho sobre os motivos desta diversidade. Iniciamos com um estudo sobre o conceito. Comparamo-lo com o uso do termo em sua acepção corrente e buscamos localizar o momento em que, na psicanálise, ele deixa de ser usado como um vocábulo da língua e ganha o estatuto de conceito. Trabalhamos sobre sua definição inicial enquanto "satisfação da pulsão" e sobre as transformações que sofre com o avanço de Lacan em relação às formalizações freudianas neste terreno. Apontamos também outros apoios teóricos do conceito no percurso de sua construção, especialmente suas relações com os registros simbólico, imaginário e real, referência constante do ensino de Lacan. Concluímos que, com o surgimento de uma diversidade de gozos, nomeadamente por volta da década de setenta, quando o tema do gozo vai girar em torno da premissa lacaniana de que "a relação sexual não existe", apenas uma das modalidades de gozo, o gozo fálico, pode ser situado como "satisfação da pulsão". Fica faltando então uma definição de gozo que abarque a totalidade de suas modalidades e até mesmo uma definição de gozo do Outro. Trabalhamos também o que nos pareceram ser oscilações de alguns aspectos do conceito, tanto na obra de Lacan quanto na de seus seguidores e comentadores, bem comointerpretações diferentes do texto lacaniano entre os seguidores, discutindo o que aí está em jogo. Discutimos, especialmente, as relações entre gozo e "desejo", já que o "desejo" aparece na formalização de casos clínicos, ora se contrapondo ao gozo, ora como algo que vai no mesmo sentido que este. Situamos, a partir das relações estabelecidas no Grafo e da transmissão do Seminário 7, as demarcações e as ambiguidades nas demarcações entre estes termos. Examinando... ) alguns modos de utilização do conceito na clínica, concluímos que, fundamentalmente, a diversidade se deve tanto à complexidade do conceito que em momentos diferentes de sua construção, apoia-se em referenciais diversos e algumas vezes de difícil superposição, como ao fato de o conceito incidir em âmbitos diferentes do processo analítico, ora em sua política, ora na estratégia, ora na tática
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.03.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PÉCHY, Silvia Helena Stuhr; NOGUEIRA, Luiz Carlos. O conceito de gozo em Lacan - algumas incidências sobre a direção do tratamento na clínica das neuroses. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Péchy, S. H. S., & Nogueira, L. C. (1999). O conceito de gozo em Lacan - algumas incidências sobre a direção do tratamento na clínica das neuroses. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Péchy SHS, Nogueira LC. O conceito de gozo em Lacan - algumas incidências sobre a direção do tratamento na clínica das neuroses. 1999 ;
    • Vancouver

      Péchy SHS, Nogueira LC. O conceito de gozo em Lacan - algumas incidências sobre a direção do tratamento na clínica das neuroses. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021