Exportar registro bibliográfico

Invertebrados neocarboníferos das formações Piauí (Bacia do Parnaíba) e Itaituba (Bacia do Amazonas): taxonomia; análise cladística das subfamílias oriocrassatellinae (crassatellacea, bivalvia) e neopiriferinae^(spiriferoidea, brachiopoda) (1999)

  • Authors:
  • Autor USP: ANELLI, LUIZ EDUARDO - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GPE
  • Subjects: PALEONTOLOGIA; ZOOLOGIA (CLASSIFICAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: A presente tese trata dos resultados de estudo de sistemática peleontológica da fauna de invertebrados da Formação Piauí (Neocarbonífero, Bacia do Parnaíba). Adicionalmente, duas espécies de barquiópodes e uma espécie de bivalve da Formação Itaituba Neocarbonífero, Bacia do Amazonas) foram descritas. A fauna de invertebrados marinhos da Formação Piauí é asegunda mais diversificada e abundante do Neopaleozóico do apís. incluindo os bivalves anteriormente tratados (Anelli, 1994, Dissertação de Mestrado), 51 espécies são atualmente reconhecidas na formação. Dentre os moluscos, o grupo mais abundante é o do bivalves, com 30 espécies (58%), seguido de gastrópodes, com 9 espécies (17%) e um cefalópode (2%). Os braquiópodes, segundo grupo em abundância, compreendem 9 espécies (17%), atribuídos as ordens Acrotretida (1 espécie), Strophomenida (1 espécie), Productida (5 espécies) e Spiriferida (2 espécies). Trilobites (1 espécie) e briozoário (1 espécie) ocorrem subsidiariamente na fauna. Dentre as 25 espécies da Formação Piauí aqui tratadas, 3 espécies, Bellerophon (Pharkidonotus) sp. n. (gastrópode), Pteronites sp. n. (bivalve) e uma nova combinação, Palladin plummeri n. com. (trilobites), são novas para a ciência. Foram ainda identificadas 2 novas espécies de braquiópodes, Neospirifer sp. n. 1, Neospirifer sp. 2 e um molusco bivalve, cf. Edmondia sp., na Formação Itaituba. A distribuição geológica das espécies reconhecidas indica uma idadepensilvaniana para a Formação Piauí, concordantemente, com a cronologia paleontológica conhecida da formação (Andares Atokano, Morrowano, podendo atingir a base do Desmoinesiano), estabelecida com base em conodontes. Aproximadamente a mesma idade é indicada por conodontes e fisulinídeos para a Formação Itaituba, Bacia do Amazonas. A composição das faunas das formações Piauí e Itaituba mostra fortes similaridades taxonômicas, confirmando sua contemporaneidade, bem como a provável ) ligação geográfica entre as duas bacias no Pensilvaniano médio. Faunas do Meio-Oeste americano, incluindo as da Formação Amsden (Wyoming), e da seqüência desmoinesiana do sudeste do Missouri, EUA mostram também fortes afinidades peleontológicas com as assembléias estudadas. Faunas sul-americanas de idade pensilvaniana correlacionáveis em menor grau, incluem as da Formação Cerro Prieto (Montanhas Amotape, Peru), Seção La jagua e Formação Palmarito, Venezuela. Além da abordagem taxonômica tradicional utilizada na análise das assembléias estudadas, o presente estudo inclui ensaios de análise cladística de alguns grupos representados por espécimes bem preservados e mais abundantes. Estes incluem táxions da subfamília Oriocrassatellinae (Molusca, Bivalvia) e dos Productida e Spiriferoida (Brachiopoda). Os resultados obtidos permitiram visualizar alguns dos problemas taxonômicos atualmente existentes relativos à sistemática desses táxons. A análise cladística não ponderada dasubfamília Oriocrassatellinae Boyd & Newell, 1968, mostra as relações de parentesco entre 16 espécies do gênero Oriocrassatella, bem como a existência de dois grupos monofiléticos, consistentes com as reconstruções paleográficas do final do Paleozóico. De acordo com esta análise, parte dos táxons da superfamília Crassatellacea são inconsistentes com a sistemática tradicional do grupo. A análise ponderada, por sua vez, embora não demonstre uma forte tendência de agrupamento de formas laurásicas e gondwânicas, é largamente coincidente com as propostas de agrupamentos de famílias e subfamílias da superfamília Crassatellacea mostrados nos esquemas de classificação disponíveis. A análise cladística auxiliou ainda na identificação de espécies monofiléticas e parafiléticas, no âmbito da superfamília. Uma análise cladística preliminar dos braquiópodes productídeos, baseada em lista de caracteres da literatura, foi executada com o fim de ) testar o tratamento sistemático atual de espécimes da Formação Itaituba e as hipóteses de atribuição taxonômica do material da Formação Piauí aqui descrito. A sistemática conhecida dos productídeos da Formação Itaituba só é em parte corroborada pelos resultados da análise cladística e carecem de revisão. Espécimes da Formação Piauí, embora preservados apenas como moldes, exibem caracteres úteis na identificação das superfamílias. A análise cladística da subfamília Neospiriferinae indica esse táxon como não monofilético. Resultadospreliminares da análise cladística de grande parte dos táxons atribuídos à superfamília Spiriferoidea mostra a família Trigonotretidae, bem como as subfamílias Neospiriferinae e Trigonotretidae, como agrupamentos para filéticos. Toda a coleção da Formação Itaituba atribuída por Mendes (19966) a Neospirifer dresseri parece agrupar três espécies distintas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.05.1999
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANELLI, Luiz Eduardo; ROCHA-CAMPOS, A. C. Invertebrados neocarboníferos das formações Piauí (Bacia do Parnaíba) e Itaituba (Bacia do Amazonas): taxonomia; análise cladística das subfamílias oriocrassatellinae (crassatellacea, bivalvia) e neopiriferinae^(spiriferoidea, brachiopoda). 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44136/tde-26072013-153442/pt-br.php >.
    • APA

      Anelli, L. E., & Rocha-Campos, A. C. (1999). Invertebrados neocarboníferos das formações Piauí (Bacia do Parnaíba) e Itaituba (Bacia do Amazonas): taxonomia; análise cladística das subfamílias oriocrassatellinae (crassatellacea, bivalvia) e neopiriferinae^(spiriferoidea, brachiopoda). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44136/tde-26072013-153442/pt-br.php
    • NLM

      Anelli LE, Rocha-Campos AC. Invertebrados neocarboníferos das formações Piauí (Bacia do Parnaíba) e Itaituba (Bacia do Amazonas): taxonomia; análise cladística das subfamílias oriocrassatellinae (crassatellacea, bivalvia) e neopiriferinae^(spiriferoidea, brachiopoda) [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44136/tde-26072013-153442/pt-br.php
    • Vancouver

      Anelli LE, Rocha-Campos AC. Invertebrados neocarboníferos das formações Piauí (Bacia do Parnaíba) e Itaituba (Bacia do Amazonas): taxonomia; análise cladística das subfamílias oriocrassatellinae (crassatellacea, bivalvia) e neopiriferinae^(spiriferoidea, brachiopoda) [Internet]. 1999 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44136/tde-26072013-153442/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020