Exportar registro bibliográfico

Filmes ultrafinos de langmuir-blodgett e automontados de polímeros condutores (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MELLO, SARITA VERA - IQSC
  • Unidades: IQSC
  • Subjects: FÍSICO-QUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: A busca de novos materiais poliméricos com controle molecular tem sido um grande desafio. As técnicas de Langmuir-Blodgett (LB) e self-assembly (SA) têm sido os métodos principais para produzir filmes ultrafinos, visto que uma grande varieda de polímeros pode ser empregada. Estes materiais macromoleculares, entretanto, não são anfifílicos e portanto a formação de monocamadas de Langmuir estáveis e passíveis de transferência não ocorre de forma direta. Esta é a razão porque várias estratégias de engenharia são usadas para produzir filmes LB de polímeros. Neste trabalho nós mostraremos que, ao contrário do que se esperava, os filmes LB apresentam valores de rugosidade média consideravelmente maiores que a espessura de uma monocamada, o que certamente alerta para futuras investigações sistemáticas nas estratégias de processamento. A rugosidade, em particular, está associada com agregados que são formados durante o espalhamento da monocamada de Langmuir, o que pode ser visualizado pelo microscópio de ângulo de Brewster, como será mostrado aqui. Para estudar esses tópicos, três sistemas principais foram usados na presente tese: i) monocamadas de Langmuir e filmes LB de polipirrol solúvel, cuja inovação foi exatamente na fabricação de filmes usando um polímero pré-formado sem grupos alifáticos substituídos na cadeia principal. As propriedades dos filmes, investigadas com uma variedade de técnicas exerimentais, mostraram que monocamadas de Langmuir depolipirrol podem ser transferidas para substratos de ZnSe e Ca'F IND.2'. Os filmes resultaram parcialmente dopados, como indicado pelos espectros de UV-Vis-NIR.ii). O segundo sistema empregado foram filmes automontados (SA) produzidos com poli(o-metoxianilina) (POMA) e poli(ácido 3-tiofenoacético) (PTAA), os quais foram caracterizados por voltametria cíclica. Um fenômeno similar à autodopagem foi observado, devido ao fato de ambos os polímeros serem eletroativos, (continua) ) o que alterou a resposta eletroquímica da POMA.iii, monocamadas de Langmuir e filmes LB de um sistema misto de 16mero e o-pentadecilanilina (opA) foram obtidos, bem como polimerizados in situ na cuba de Langmuir. Várias composições de 16mero e opA foram usadas para identificar as melhores condições de polimemerização. Para uma razão de 1:1, a síntese foi três vezes mais rápida do que a observada para opA pura, levando à transfêrencia de filmes LB com rugosidade de apenas 5 A para uma única camada, para uma área de 10x10 'mü'm. Este é provavelmente um dos menores valores de rugosidade relatados para um filme LB de polímero
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.02.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MELLO, Sarita Vera; OLIVEIRA JUNIOR, Osvaldo Novais de. Filmes ultrafinos de langmuir-blodgett e automontados de polímeros condutores. 1999.Universidade de São Paulo, São Carlos, 1999.
    • APA

      Mello, S. V., & Oliveira Junior, O. N. de. (1999). Filmes ultrafinos de langmuir-blodgett e automontados de polímeros condutores. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Mello SV, Oliveira Junior ON de. Filmes ultrafinos de langmuir-blodgett e automontados de polímeros condutores. 1999 ;
    • Vancouver

      Mello SV, Oliveira Junior ON de. Filmes ultrafinos de langmuir-blodgett e automontados de polímeros condutores. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020