Exportar registro bibliográfico

Alexandrita no município de Minaçu, Goiás: mineralogia, geologia e considerações genéticas (1998)

  • Authors:
  • Autor USP: PETERSEN JÚNIOR, KLAUS JUERGEN - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMP
  • Assunto: MINERALOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Uma mineralização berilífera interessante, contendo como novidade o raro mineral-gema alexandrita, situa-se no município de Minaçu (norte do Estado de Goiás) a sudeste do braquianticlinal granito-gnáissico da Serra Dourada. Essa ocorrência dealexandrita, na rocha hospedeira, ofereceu condições extremamente raras para esclarecer certas perguntas sobre a gênese deste mineral-gema, na maioria das vezes encontrado em depósitos aluvionares. Além do mais, a formação de alexandrita nestalocalidade se deu em condições lito-petrológicas de um ambiente aluminoso, contendo xistos com cianita e estaurolita, além de granada, biotita, muscovita e quartzo. Assim, a gênese difere de outras ocorrências mais conhecidas (Rússia eZimbábue), nas quais a interação de rochas pegmatíticas com rochas ultramáficas vem a gerar este mineral-gema. O seu modelo genético ainda não foi descrito na literatura geológica. Quanto ao contexto geológico, a ocorrência situa-se inserida naárea dos granitos estaníferos de Goiás dentro da Subprovíncia Tocantins, encravados na Faixa de Dobramentos Uruaçuanos, de idade mesoproterozóica. Não há posicionamentos definitivos quanto ao esclarecimento da colocação destes corposgraníticosno seu ambiente, seja por processos de remobilização do substrato da crosta com diapirismo tectônico, justificado pela formação de estruturas dômicas regionais, ou por processos ligados a intrusões magmáticas. Além destes processostectônicos, opapel dos fluidos em ambos oscasos era intenso, como foi mostrado nas investigações de inclusões fluidas nas amostras de alexandritas e esmeraldas. Estas análises permitiram delimitar condições de pressão e temperatura em torno de500-'570 GRAUS'C e de 6 '+ OU -' 2 kbar para a formação da alexandrita. Em conjunto com a determinação dos parâmetros físico-químicos das inclusões fluidas, as associações minerais encontradas, com alexandrita, estaurolita, granada, cianita,biotita, ) muscovita e clorita, permitiram delinear bons limites para as condições de P e T da formação dos mesmos. O papel das interações rocha-fluido poderia ser elucidado pelas investigações de elementos de terras raras nas rochasgraníticas e minerais das rochas encaixantes. Com respeito às propriedades físicas da alexandrita, estas diferem pouco das de outras ocorrências no mundo. Seu modo de cristalização nesta ocorrência, porém, se dá na maioria dos casoscomgeminações tríplices, mas com uma forma pseudohexagonal-prismática, distinguindo-se estas alexandritas da maiorias das ocorrências ligadas a rochas ultramáficas, que apresentam geminações tríplices achatadas no seu eixo c, com formas "derodasde carro de boi". A mudança de cor nas amostras com teor representativo de cromo é muito boa, com cor vermelha na luz incandescente e, de um verde azulado (tipo "pena de pavão") na luz do dia. O fato de muitos cristais apresentarem umagrande quantidade de inclusões, tanto fluidas como cristalinas, afeta muitas vezes a transparência da alexandrita
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.11.1998
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PETERSEN JÚNIOR, Klaus Juergen; SCHULTZ-GÜTTLER, Rainer Aloys. Alexandrita no município de Minaçu, Goiás: mineralogia, geologia e considerações genéticas. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-30092015-103945/pt-br.php >.
    • APA

      Petersen Júnior, K. J., & Schultz-Güttler, R. A. (1998). Alexandrita no município de Minaçu, Goiás: mineralogia, geologia e considerações genéticas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-30092015-103945/pt-br.php
    • NLM

      Petersen Júnior KJ, Schultz-Güttler RA. Alexandrita no município de Minaçu, Goiás: mineralogia, geologia e considerações genéticas [Internet]. 1998 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-30092015-103945/pt-br.php
    • Vancouver

      Petersen Júnior KJ, Schultz-Güttler RA. Alexandrita no município de Minaçu, Goiás: mineralogia, geologia e considerações genéticas [Internet]. 1998 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-30092015-103945/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021