Exportar registro bibliográfico

Purificação e caracterização físico-química de duas substâncias hemaglutinantes extraídas do fruto de Caesalpinia tinctoria (1998)

  • Authors:
  • USP affiliated author: OLIVEIRA, MARLI LOURDES DE - IQSC
  • School: IQSC
  • Subjects: BIOFÍSICA; BIOQUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: No presente trabalho foram isoladas duas substâncias do fruto de Caesalpinina tinctoria Domb, ex Dc que apresentam propriedades biológicas e químicas da família das lectinas. Elas promovem a aglutinação de hemácias humanas normais, se ligam emmatrizes polissacarídicas e pelo menos uma tem o caráter glicoprotéico. As lectinas foram extraídas a partir da vagem seca e triturada em meio salino tamponado. O extrato salino foi fracionado em duas faixas de massas moleculares: alta massamolecular (AMM), dialoconcentrado em Centriprep 10, e baixa massa molecular (BMM), obtida do filtrado de Centriprep 10 e subsequente dialoconcentração em centriprep 3. A fraçào BMM (entre 3-10 kDa) foi purificada por cromatografia de fasereversa em C18, por HPLC, em gradiente de TFA/AN, e denominada Lectina de Baixa Massa Molecular (LBMM). A fração AMM (>10kDa) foi isolada por cromatografia de afinidade em uma coluna de quitina, eluida com 'NH IND.4OH' 0,5M, e denominada delectina de Alta Massa Molecular (LAMM). A análise de aminoácidos da LBMM revelou um conteúdo de 23% em aminoácidos ácidos, 41% em aminoácidos hidrofóbicos, 59% em aminoácidos hidrofílicos, 27% de prolina e sua MM foi estimada em 4,1 kDa. A LAMMapresentou 26% de aminoácidos ácidos, 11% de prolina e sua MM foi estimado em 12,5 kDa. A LAMM foi caracterizada como uma glicoproteína pois contém 8,3% de carboidratos. O sequenciamento N-terminal mostrou a homogeneidade dessas lectinas sendoPro-Glu-Thr para a LBMM e'D POT.1'-V-P-A-Y-V-Y-V-H-'F POT.10'-G-F-G-E-E-H-R-D-V-'F POT 20'-D para a LAMM. As lectinas não apresentam especificidade de grupo para hemácias humanas do sistema ABO, e não são inibidas por açúcares simples. A LAMM éuma glicoproteína ligante de quitina embora nas concentrações testadas não inibiu o crescimento de fungos contendo quitina em suas paredes celulares (Trichoderma viride, Aspergillus niger e Penicillium funiculossum). As lectinas foram analisadas por espectroscopia de dicroismo circular (CD) e a desconvolução dos espectros, na região de 190 a 240nm, foi consistente com proteínas que predominam estruturas em folhas 'beta'. Os espectros de CD da LAMM mostraramalterações em função de variações de pH e temperatura que estão associadas com a perda da atividade biológica. A espectroscopia de fluorescência da LAMM nativa, excitada em 280nm, mostrou em máximo de emissão em 338nm. Após ser desnaturada poraquecimento a 80 graus C seu máximo de emissão foi deslocado para 357nm, além de apresentar um leve aumento na intensidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.09.1998

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Marli Lourdes de; BELTRAMINI, Leila Maria. Purificação e caracterização físico-química de duas substâncias hemaglutinantes extraídas do fruto de Caesalpinia tinctoria. 1998.Universidade de São Paulo, São Carlos, 1998.
    • APA

      Oliveira, M. L. de, & Beltramini, L. M. (1998). Purificação e caracterização físico-química de duas substâncias hemaglutinantes extraídas do fruto de Caesalpinia tinctoria. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Oliveira ML de, Beltramini LM. Purificação e caracterização físico-química de duas substâncias hemaglutinantes extraídas do fruto de Caesalpinia tinctoria. 1998 ;
    • Vancouver

      Oliveira ML de, Beltramini LM. Purificação e caracterização físico-química de duas substâncias hemaglutinantes extraídas do fruto de Caesalpinia tinctoria. 1998 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020