Exportar registro bibliográfico

Implicações taxonômicas dos flavanóides de annonaceae (1998)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, DEBORAH YARA ALVES CURSINO DOS - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Assunto: BOTÂNICA (CLASSIFICAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: A maior parte dos dados flavonoídicos em Annonaceae corresponde a substâncias isoladas de caules e raízes de Uvaria, explorandas pelas suas propriedades farmacológicas. A utilização da composição flavonídica foliar com fins quimiotaxonômicos foi feita pela primeira vez neste trabalho, no qual foram analisadas 31 espécies nativas do Brasil, distribuídas em 12 gêneros. Esses metabólitos foram extraídos em MeOH80% e isolados e purificados através de cromatografia em coluna e em papel. a identificação foi feita utilizando-se técnicas de hidrólise ácida e enzimática dos glicosídeos, cromatografia em camada delgada das agliconas e açucares, espectrofotometria de UV/visível e cromatrografia líquida de alta resolução aclopada a espectrometria de massas dos glicosídeos. Dentre os 76 flavonóides isolados, os flavonóis foram majoritários, correspondendo a derivados de campferol, quercetina, isoramnetina e ramnetina. Foram isoladas nove flavonas O- e C-glicosiladas, derivadas de apigenina, hispidulina, escutelareína e luteolina. A presença de derivados de ramnetina foi exclusiva em espécies da tribo Bocageeae (Bocagea, Cardiopetalum, Cymbopetalum, Hornschuchia, Porcelia s Trigynaea), juntamente com flavonas e flavonóis, predominatemente derivados de campferol. Metilação e 6-oxigenação foram características comuns nos flavonóides desta tribo. Derivados de quercetina foram mais freqüentes nas espécies de Unoneae (Anaxagorea, Annona, Rollinia e Xylopia), seguidosdaqueles de campferol. Derivados de luteolina e isoramnetina foram raros em Unoneae. Em Anaxagorea não foi identificado qualquer derivado de flavonol ou flavona, característica que parece apoiar as proposições mais recentes quanto ao posicionamento basal desse gênero que aparece apoiar as proposições mais recentes quanto ao posicionamento basal desse gênero na família. A química flavonoídica não forneceu apoio à relação de proximidade aceita entre Annona e ) Rollinia. Em Uvarieae, a presença de derivados de campferol une Duguetia e Guatteria, porém o primeiro pode ser distinguido de todas as outras espécies de Annonaceae pela ausência de derivados de quercetina. Derivados de isoramnetina também foram detectados em Uvarieae. As espécies de Guatteria se separam por um padrão particular na formação dos di e triglicosídeos. Os dados de análise numérica mostraram maior eficiência no estabelecimento de relações de similaridade entre taxa, quando os grupos de flavonóides distintos com base nos padrões de substituição das agliconas , foram considerados como caracteres, no lugar dos glicosídeos. O número de espécies analisadas neste trabalho foi insuficiente para o estabelecimento de conclusões definitivas quanto ao perfil flavonoídico das Annonaceae, entretanto, os resultados sugerem que as estratégias biossintéticas adotadas pelas espécies, na síntese desses metabólitos, parecem ter um importante papel no entendimento das relações de afinidade nessa família
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.10.1998

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Deborah Yara Alves Cursino dos; SALATINO, Maria Luiza Faria. Implicações taxonômicas dos flavanóides de annonaceae. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.
    • APA

      Santos, D. Y. A. C. dos, & Salatino, M. L. F. (1998). Implicações taxonômicas dos flavanóides de annonaceae. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Santos DYAC dos, Salatino MLF. Implicações taxonômicas dos flavanóides de annonaceae. 1998 ;
    • Vancouver

      Santos DYAC dos, Salatino MLF. Implicações taxonômicas dos flavanóides de annonaceae. 1998 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021